Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Personagens famosos que amavam batatas



Desde que o mundo existe, os "Adoradores de Batata" têm estado presentes - e têm sido incompreendidos. Sim, porque sua adoração, meramente gastronômica, atiçava iras de quem (diferentemente deles) não entendia o apelo gustativo do mais sublime dos amidos e os julgava meros hereges...  


Na maior parte do tempo, esses malsinados seres perpetuaram sua condição como meros anônimos; contudo, diversos batatólatras ajudaram a fazer a história da humanidade. O batatólatra mais proeminente de todos foi a maior inteligência que já habitou este planeta: Leonardo da Vinci. Pesquisadores afirmam que, em suas anotações (onde estão a maioria de seus rascunhos) encontram-se, diversas vezes, listas de compras - repletas de menções às suas tão adoradas batatas. Ele - que nadava contra a corrente - era vegetariano e tinha como base alimentar batatas e mais batatas... A mais intrigante prova desse amor é sua maior obra, a "Monalisa". Fotografias tiradas em Raio X altamente tecnológico mostram a verdadeira cara por trás daquele sorriso enigmático, como vemos na imagem inédita mostrada no início desta postagem.

Seu amor pela batata era tanto que, mesmo forçado pela Inquisição a cobrir seu amado rosto com o da sua cozinheira - como disfarce - ele carregou o quadro consigo pelo resto da vida, sempre planejando passar uma acetona em cima, mas foi pego de surpresa pela morte lá pelos sessenta e poucos anos. Em sua homenagem é que as batatas dos supermercados, entre elas as do Extra, se chamam "batatas Monalisa".




Sabe aquele mito de que peixe é bom prá inteligência? É  do peixe com BA-TA-TA que estamos falando, bobinhos,  é a batata a responsável por tantas mentes inteligentes ao longo da história. É só parar prá pensar: Napoleão Bonaparte, que quase dominou a Europa inteira, adorava comer, mais que tudo, batata frita com cebola. Naqueles retratos dele com a mão dentro do casaco, sabe o que ele estava fazendo? Isso mesmo - ele estava escondendo um saquinho de suas adoradas batatinhas. Aliás, são dele as frases: "Ao vencedor, as batatas" e "Meu reino por uma batata"! Só que depois, os invejosos se apoderaram das frases (Quincas Borba, por exemplo, um invejoso de primeira e - segundo relatos fidedignos - um amante de beterrabas, se apoderou da primeira frase e ainda colocou Machado de Assis como cúmplice...) e até adulteraram a segunda frase, dizendo que ele trocava o reino por um cavalo... Absurdo!!! Quem faria isso? Por batata é muito mais lógico. Além disso, ele jamais comeria um cavalo inteiro, ele era pequenininho...



Outro que era louco por batatas era aquele cara que pintou uma cara feia e magrela, com desespero - parecendo assustado e morrendo de fome - louco por um pacotinho de batatinhas visto - no original - no cantinho inferior esquerdo da obra... O que poucos sabem é que o quadro foi modificado devido a uma disputa judicial com aquela rede de lanchonetes que todo mundo conhece, a do palhaço. O tal palhaço não queria a imagem da lanchonete associada com uma imagem de alguém à míngua, mas o pobre pintor estava na miséria e só pintava o que estava vivendo... O palhaço, sem dó nem piedade, mandou tirar do quadro o desenho das batatinhas... O problema é que o quadro ficou famoso e seria propaganda grátis da lanchonete até hoje, principalmente entre os cultos frequentadores de museus, que passam longe dos fast foods! O palhaço ficou muito arrependido, mas já era tarde. Acima temos uma foto tirada pelo próprio artista antes da modificação de sua obra e um pouco antes dele morrer de fome. A vida é mesmo trágica...

Ainda tem dúvidas de que batata é boa prá cabeça? Cá estou eu que não me deixo mentir sozinha... Mestra em Besterologia Aplicada, vencedora três vezes seguidas do Concurso de Jogadora de Conversa Fora, pinto, bordo, costuro, piloto um fogão como poucos, escrevo, tomo tombo de monte da vida e me recupero... Eduquei três filhos lindos com muita batata - de todos os tipos: cozida, assada, amassada, frita... Lazanha de batata - já comeram? Deu vontade de comer, né? Então, colega, deita o cabelo (depois você desconta na caminhada...).  Não caia na besteira de dizer que carboidratos são do mal - eles nos dão energia prá seguir vivendo nesse mundo moderno, onde o fotoshop das imagens que vemos nos rouba a esperança de sermos meramente normais. 

Pensa assim: Deus é tão bom que até debaixo da terra escondeu tesouros gostosos pros seus filhinhos... 

(Página tirada de um blog que eu tive uma vez, que só recebeu - acreditem - 11 visitas... Ai, como eu falo besteiras. Às vezes, até eu me choco... Qualquer semelhança com personagens ou situações da vida real seria mesmo um milagre)

Mais uma blusa de tricô à máquina

Com crochê - DE NOVO! É que assim, se você tem máquina, mas não tem frontura, não precisa se debulhar em lágrimas, chorar fazendo Mi-mi-mi no cantinho, pensando "tadinha de mim, queria tanto fazer uma blusa linda pro Natal, pro final de ano..." "queria tanto ganhar uma graninha, fazer tricô prá fora, ficar rica e famosa"... 

Bom, a parte do rica e famosa é meio difícil, fica por conta de Deus... Mas fazer um tricô bonito, fácil, gastando pouco, usando somente a parte básica do tricô à máquina e - ainda por cima - fugindo do carro verão, que (convenhamos) é meio caprichoso, difícil de lidar... Quando teima que quer derrubar pontos, derruba mesmo, aí compromete todo o desenho, tem que desmanchar, começar de novo, tomar novalgina prá abaixar a pressão...

 É linda, mas usa com soutien cor da pele por baixo, um top...
 Detalhe do desenho das costas - no centro e nas laterais, fiquei mudando os pontos de lugar, fazendo um barrado bem vazado; intercalei partes lisas, flores - um rendado misto...
 Olha que botões lindos!

Essa blusa, manequim 44/46, (mas serve até em 48...) mesma receita da outra que eu fiz (azul marinho), teve o rendado todo feito com o transportador (paciênêêência!!!). Dá um pouco de trabalho (se o carro verão não fosse genioso, sairia mais depressa, mas também não dava prá fazer um desenho múltiplo como o que vocês estão vendo - só faz uma coisa só, repetindo indefinidamente...). Mas, pensa assim: se eu tivesse que fazer na mão, demorava vinte vezes mais, então - mesmo tendo que transportar os pontos, tá saindo depressa...
Você laça os pontos nas agulhas, divide de modo harmônico em quais partes você vai fazer cada desenho (em um número central de agulhas eu passava todo ponto para a próxima agulha à direita, em outra parte, fazia florzinhas, uma logo em seguida da outra...).

Vai brincando, inventa!

Depois de pronta, costura, faz o acabamento que você quiser no crochê que fica delicado, super lindo, caprichadinho... Ah, escolhe um botão que combine (os meus, mesmo a blusa sendo bege, são pretos com gliter prata em volta - maravilhoso!). 

Chique, né?

A linha é Brisa, da Pingouin - compra 2 cones, mas vai sobrar metade do segundo. Regulagem 7. Aproveita que a Aslan tá liquidando a R$10,95 o cone(mas só tem poucas cores) ou compra perto da sua casa que você economiza na taxa de entrega...

Gostou? Então comenta, que não paga nada e ainda me deixa feliz (hihihi)...

Boa diversão prá vocês!!!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Tricô à máquina + crochê






Acho que vocês já repararam que eu adoro misturar as duas técnicas. Esta blusa nasceu de um novelo de linha Cléa, na cor vinho, que sobrou e que não queria virar biquinho em pano de prato. Daí procurei na loja perto de casa uma linha brilhante, dessas de cone, e acabei comprando Princesinha, cuja cor era mais ou menos parecida e que desse para fazer na máquina. Usei os dois fios juntos, um em cada passador de fio. 

Não tem receita, pois é muito básica.  Apesar de bonitinha, não fui muito com a cara dela (a linha brilhante não é muito maleável, o tricô e o crochê ficaram pouco elásticos...). É o tipo de linha que você vê em muitas toalhinhas em feiras de artesanato, mas que eu não acho que tem bom caimento para vestimenta - é 100 % polipropileno, não dá uma sensação gostosa ao vestir (talvez a culpa seja da menopausa, fico querendo só algodão...). 

Mas, se você se animar a fazer uma, preste atenção nas minhas dicas:

- Use Anne, Ibiza, qualquer linha que você conheça ou sinta nas mãos que vai ser macia e gostosa de usar. Pode usar até mesmo dois fios de Cléa juntos;

- Usei regulagem 10 nessa mistura de linhas; você vai adequar a regulagem ao fio escolhido;

- Não tem máquina? Faz inteirinha de ponto alto de crochê, bem comum - o charme você agrega com o barrado e as florzinhas...

- Faça a blusa um pouco mais curta que o normal, pois vai levar o barrado de crochê filê e depois as flores;

- Comece o decote umas 10 a 15 carreiras antes da carreira que você começaria normalmente e continue a decotar mais que o normal, deixando só uns 15 pontos para os ombros, pois vai levar também um barrado de crochê filê em toda a volta dele;

- Repare que eu fiz um decote "V" achatado nas costas - se não fizesse, o barrado subiria pelo pescoço;

- Repare também que eu fiz a blusa toda em avesso do ponto meia, mas você pode fazer como achar melhor.

- Nos detalhes, dá prá ver bem a diferença de brilho e de tonalidade dos dois fios;

 - Faça flores mais bonitas que as minhas - achei que elas ficaram muito sem- graçosas...Ou então, não faça flor nenhuma - fica linda... É que eu estava com a idéia de fazer assim e quis ver como ficava. Talvez eu arranque as flores...

Espero que esta blusa inspire vocês a fazerem alguma parecida, mas muito mais bonita.

Ah, só prá complementar: essa blusa, se você se interessar em fazer, tem o custo de um novelo de Cléa 1000 (R$6,84 na Aslan) e dois cones de Princesinha (R$2,65 cada, também na Aslan) - TOTAL = R$12,14.


Outra coisa:não sei se vocês repararam, mas meu filho colocou um passarinho segurando uma carta aqui do lado direito, embaixo da propaganda grátis da Aslan e da Línea Itália: é só vocês colocarem o seu email ali e toda vez que eu postar alguma coisa, o blogger avisa vocês...

Bons trabalhos!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Blusa Pérola em crochê





Nesta blusa usei 3 novelos de linha Ibiza na cor sisal (mas parece pérola), agulha n. 3 e misturei o gráfico dessa blusa de revista com o gráfico de duas blusas que eu já fiz: esta branca abotoada e esta roxa. Fiz de mangas curtas porque é prá usar no calor mesmo, então achei que não precisava de manga longa (além do mais, manga longa eu acho sempre mais formal, manga curta topa qualquer compromisso...). Na Aslan tem a mesma cor que eu usei, custa R$8,21 cada novelo, no Bazar Horizonte custa R$8,90 cada, não tem sisal, mas tem melão, que é bonita também. Então, com menos de 30 contos sai a blusa - mas pode fazer com Anne que também fica linda. O manequim da minha ficou 40/42, mas você pode ampliar, porque os pontos são muito fáceis, a blusa se faz praticamente sozinha. 

Voltando à linha - Ibiza - só vou dizer isso: é linda!!! Se você fizer uma, vai querer fazer outras, todas as cores são fantásticas.

Agora, aqui vale aquele conselhinho de sempre: de preferência use com um top por baixo, um soutien cor da pele... discrição, lembra? 

A respeito disso, tenho uma historinha legal prá contar: 

Antes de ser papa, João XXIII passou por todas as hierarquias da igreja católica. 

Quando ele era cardeal, foi convidado a um jantar por pessoas importantes, um daqueles jantares formais onde os lugares na mesa são antecipadamente marcados. 

Talvez prá fazer uma provocação, a pessoa que dispôs os lugares à mesa fez sentar-se ao lado do religioso uma riquíssima e escandalosa mulher da alta sociedade, famosa por suas extravagâncias, especialmente seus abusados decotes... Acho que todos estavam esperando ver o cardeal ficar corado, encabulado, sei lá, queriam constranger o pobrezinho... 

Tão logo ele se posicionou em seu assento, com os olhares de todos esperando por sua reação, ele, galantemente, escolheu a mais bela e vermelha maçã do arranjo de mesa à sua frente e ofereceu, gentil, à mulher, que exibia, orgulhosa, seu famoso decote.

Logo a seguir, com voz mais gentil ainda, disse:

- "Lembre-se, cara dama, que após comer a maçã, Eva cobriu-se...". 

Genial, não é? Saber dizer uma verdade, chamar alguém à consciência sem ser rude nem grosseiro, sem ofender a suscetibilidade de ninguém...  

Isso é sabedoria.

Bons trabalhos e bom final de semana!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Piadinhas de tricoteira...

 Nossa missão: fazer do mundo um lugar melhor com nossa arte...

Tricoterapia...
 Reciclando...
 Fazendo gente feliz com o tricô (afinal, tá tão difícil achar um bom "cobertor de orelha")...

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Selinhos Adolescentes

Você se lembra de como era antes? Todo mundo dizia: "Ser mãe é padecer no paraíso..." e até que era - mesmo com a choradeira noturna, as trocas de fraldas... Tinha horas que a gente nem sequer lembrava do próprio nome, parecia um zumbi andando pela casa, esperando que essa fase passasse, esperando pelas primeiras palavras, os primeiros passinhos... Quando eles dormiam, era tão lindo de se ver...


Mesmo quando já não eram tão pequenos, você ia acordá-los prá escola e ficava lá, um minutinho só, babando...


Aí alguém aparecia e dizia: "Filhos criados, trabalhos dobrados"... "Ah, que nada!" - você pensava - "Quando eles estiverem grandes, aí eu vou voltar a ter um tempinho de novo prá mim..." Alguém sabe do dia e a hora em que isso realmente aconteceu? 

Antes, a gente era o centro do mundo, tinha super poderes, sabia tudo de tudo... Os olhinhos deles brilhavam quando olhavam prá gente... Eles usavam a roupa que a gente comprava, comiam (e adoravam) a maioria das comidas que a gente fazia...  Nós os chamávamos para passear, não importava onde, eles iam, com o maior dos entusiasmos...


Aí, um belo dia, a gente ouve uma frase meio assim:

e descobre que eles querem privacidade - DE NÓS!!! - querem ser donos do seu espaço, do seu próprio tempo e - muitas vezes - de um espaço e de um tempo meio fora de mão dos nossos...

Ficam grudados no celular, MP-isso, Ipad-aquilo...

Se apaixonam - uma vez por mês...


Conquistam espaços, pessoas, histórias - das quais a gente parece não fazer parte...


Aquela linda garotinha aparece em casa acompanhada de um rapaz que - apesar da aparência - só o que  conseguimos ver é isso:
E tudo o que queremos fazer é pular na jugular dele...

Ou então o garoto, aquele rapaz maravilhoso que a gente jura de pé junto que é o melhor do mundo (e que nenhuma mulher do Universo merece...) se despede (com um beijo) de uma garota que parece que acabou de ser pescada do rio Amazonas... Ai...


A gente pensa: "Que sorte eu tenho... Eles andam com uma turma de amigos que eu aprovo!" Mas acabam sempre passando menos tempo com a gente...


Ou nos enchemos de paciência porque, sem mais nem porque, nossa casa se transforma em um campo minado, tudo é motivo de rebelião e revolta - a gente se torna o sinônimo de tudo que está errado à volta deles: nós, a geração que fez do mundo o estrago que eles veem por aí...


Pára! Pára! Pára!


"Volta o filme!" 

Não precisa chegar nesse ponto... Antes de mais nada, lembra que você já esteve no lugar deles, já foi jovem, cheia de combustível prá queimar, dona de todas as respostas, pronta para o que der e vier... 

Prá diminuir as distâncias, tenta entender o mundo em que eles vivem. 

Ouça as músicas que eles ouvem (você pode até gostar de muitas delas...), assista os programas que eles assistem, leia o que eles estão lendo... 

A gente precisa de pontos em comum pra dialogar. Não me venha com "No meu tempo as músicas eram assim..." "No meu tempo isso ou no meu tempo aquilo...". 

Este também é o teu tempo: enquanto a gente está caminhando pelo mundo, tudo é do nosso tempo. 

Dê conselhos, mas saiba que ninguém aprende muito com eles: tem que por a mão na massa, tropeçar nas pedras, machucar os pés, criar seus próprios calos...

Abrace de braços abertos, que assim eles vão, mas voltam...

Comemore cada pequena vitória deles, esteja sempre pronta prá escutá-los, ofereça o ombro prá chorarem quando o mundo não corresponder às expectativas deles.

Antes de mais nada, lembre a eles o que realmente importa:


Tenha fé em Deus e na educação que você mesma deu a eles: falta de confiança, às vezes, machuca mais que surra...

No fundo, no fundo, eles vão acabar entendendo que você não quer (nem pode...) impedir que eles cresçam, e que, por mais que o façam, sempre vão ter o mesmo lugar especial dentro da sua vida e do seu coração... 

Por maiores que fiquem, mais altos e mais fortes e que até  consigam te carregar no colo, por mais que se tornem totalmente independentes e que não precisem mais de sua ajuda e ainda aprendam no mundo muito mais do que você pode ensinar (parece duro, eu sei...)eles sempre vão ser seus bebezinhos, não é? 



Como naquela música dos Pretenders: "Nada que você confessar vai me fazer te amar menos - eu ficarei do teu lado..." (essa é uma tradução minha...). 


Então, aproveita a experiência e pensa assim: só Deus mesmo pode ser tão bom e tão sábio, pois nos deixa sentir com Ele uma das maiores alegrias que Ele sente - ser Pai (ou mãe)...

(Daquela que nunca parou de assistir desenhos animados a vida toda - uma brincadeirinha com fundo de verdade - prá vocês...)




segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Blusa de Tricô de Verão Azul Mescla



 (OOps! Tá amassada nas costas porque tava guardada, dobradinha na gaveta...)


Fácil, bonita, versátil e quase de graça... Melhor que isso só de graça mesmo... Melhor que isso só se eu fizesse uma prá você (bem que você queria - e eu também... Já pensou, eu com saúde e tempo de sobra prá espalhar uma belezurinha dessas pelo mundo afora, ficar rica e famosa, dominar o mundo, quer dizer ganhar uma graninha? Ai, ai, sonhar não paga nada...). Bom, eu dou a inspiração, a foto prá vocês verem como é que fica linda; dou a receitinha, explico como faz o trabalhado do ponto (um jeito fácil de fazer algo com cara de verão sem  ter que se preocupar com o carro verão - você faz tranquila usando o transportador, parece que deu trabalho, mas é moleza... e não precisa de frontura, então, se você não tem uma, tá beleza prá você...) e ainda digo onde comprar baratinho a linha (na Aslan (só tem cor lisa) ou no Bazar Horizonte (tem mescla) você espia o preço - se for mais barato que no armarinho perto da sua casa, compra lá, mas lembra que ainda tem taxa de entrega, então, às vezes, o barato sai caro...). Com, no máximo, R$16,00 reais você vai ter uma linda blusa, fresquinha, de algodão, prá você andar bonita sem ter que usar somente camisetinhas... (Ah, reparou que, com esse trabalhinho, você foge do batido ponto meia, faz uma blusa com cara de trabalhada sem se apavorar de medo se você for iniciante? Hehehe, não conta prá ninguém... Vão achar que deu trabalho...)



 Olha como o trabalho fica diferente na frente e nas costas: como o fio é mesclado, com um comprimento mais ou menos homogêneo de cada cor, quando você faz as costas (sem abotoamento) e a frente (com abertura para abotoar) a largura do trabalho é diferente, então ficam listas menores atrás e listas maiores na frente... 


Detalhe do ponto



Receitinha e Gráfico de mãe

Bons tricôs!!!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Mulheres a beira de um ataque de nervos


Às vezes, nem é nervosismo mesmo: É só fome, TPM, vontade de usar o banheiro...

Ou gente pedindo tudo, toda hora... Caramba! Parece que o mundo não gira se a minha mão não der um impulso nele!!!


Pode ser também sono: a gente quer dormir e tem alguém no nosso pé do ouvido falando, falando, falando...


Às vezes, a gente é que fala, se explica, se abre, mas parece que está falando grego!!!


Ou então, escuta umas mentiras que, mesmo com a melhor das intenções, machucam... (É isso mesmo, mãe, no fundo eu sempre soube que era exagero de amor materno: você dizia que eu parecia aquela Vênus que nasce dentro da concha e eu olhava no espelho e via uma adolescente com cara de graviola, cheia de espinhas... Snifff...)


O pior é quando esquecem o dia do seu aniversário. "Diacho! É só uma vez por ano!"


Mas não pense que vai ficar por isso...



Tá certo!!! Mas não precisa perder a cabeça: faz ele pagar onde dói mais - no bolso! Estoura o limite do cartão de crédito dele...


Mas, mesmo depois, o coração ainda tá partido, você fala grosso, atravessado - mas cheia de razão! - e tem gente que acha que você tá exagerando!!!

Então seja franca: chama prá bem perto e ensina o be-a-bá prá ele...

Bom final de semanaaaaaa!

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Blusa rendada de tricô


Azul Marinho (muito sóbria, mas chique - dá prá usar um brinco mais vistoso, caprichar mais na maquiagem...). Prá quem tem máquina - mas não tem frontura - essa blusa caiu do céu, porque não precisa dela... Saiu por 20 reais e ainda sobrou linha - ou seja, se você comprar 3 cones, dá prá fazer ainda uma regatinha prá usar por baixo e aí vira um twin set classudo por 30 micharias (Ah, muléca!)!!!!

Não tem máquina de tricô? Faz de crochê, tá cheinho de gráficos fáceis e lindos dando sopa na internet - vai ficar ma-ra-vi-lho-sa!

Compra a linha pela internet - na Aslan tá custando R$ 10,95 o cone, recebe em casa, faz a blusa prá ficar bem linda no Natal (faz uma branca também, pro Ano Novo - ou amarela, que diz que dá sorte com dinheiro...).

A receita taí, prontinha pra uso, o gráfico também: é só arregaçar as mangas e Voilá! Mais uma obra de arte rendada... 


Bons trabalhos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...