Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O Sheik, o Cavalo e a Caridade




Houve uma vez, há muito tempo atrás, um sheik chamado Samir, que possuía o mais famoso cavalo de sua região, que certo árabe de outra tribo, chamado Daher, cobiçava muito. Daher ofereceu, em troca do belo cavalo, todos os seus camelos, porém Samir não aceitou a proposta.

Um dia, o árabe Daher, disfarçando-se, cobriu o rosto de cinzas e vestiu-se de farrapos e colocou-se à beira do caminho por onde havia de passar o sheik montado em seu magnífico animal.

Ao ver que Samir se aproximava, implorou Daher, com voz disfarçada - triste e sucumbida:

-"Ajuda a este infeliz peregrino! Há três dias que estou doente e sem forças para sair daqui, em busca de alimento! Socorrei-me, óh generoso sheik, e Deus que está nos céus lhe beneficiará por sua esmola!"

Samir ofereceu-se bondosamente para levá-lo na garupa de seu cavalo. O invejoso, porém, disse assim:

-"Não posso levantar-me, senhor! Não tenho mais forças!"

Comovido diante de tão deplorável miséria, desceu Samir do cavalo e, com grande dificuldade, colocou o falso mendigo sobre a sela de seu animal.

Tão logo se viu sobre o cavalo, o impostor o esporeou e afastou-se, dizendo:

- "Sou Daher! Tenho agora este cavalo em meu poder! Vou levá-lo para minha tenda, quer queiras, quer não!"

Samir, então, pediu-lhe que parasse por um momento, pois queria solicitar-lhe apenas um favor.

O ladrão, certo de que não poderia ser perseguido nem agarrado, se deteve para ouvir o que o outro tinha a dizer.

-"Você se apoderou do meu cavalo e desejo que o mesmo te sirva bem. Entretanto eu te peço que não contes a ninguém a forma pouco digna pela qual o obtiveste."

-"E por que não?" - disse Daher.

-" A razão é simples" - explicou o sheik. "Pode acontecer que outro homem, encontrando-se doente de verdade, se veja forçado, algum dia, a pedir auxílio e o viajante venha a desconfiar do infeliz e lhe negue assistência e esmola. Serás a causa de que muitos se abstenham de praticar a caridade pelo medo de uma traição."

Tocado no coração, envergonhou-se Daher ao ouvir essas palavras e, inspirado pelo arrependimento, desceu do cavalo e devolveu-o ao seu legítimo dono.  Samir, que era um homem bondoso e sábio, convidou-o a ir até a sua tenda, onde o hospedou por vários dias e do  ocorrido nasceu uma amizade que lhes durou por toda a vida.

(Conto extraído do livro "Lendas do Céu e da Terra", do escritor brasileiro Malba Tahan - que, para quem não sabe, era um dos melhores escritores brasileiros na opinião de Monteiro Lobato)

Meus filhos cresceram ouvindo isso ...

Ah, fiz mais um selinho pra mim:

Não ficou bonitinho?

2 comentários:

  1. Olá Rosa, adoro vir aqui. Tem sempre algo que nos enriquece de saber, e hoje então, me encantei com essa fábula maravilhosa. Valeu amiga.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Que bom! Sabe, das postagens que eu faço, as "historinhas" são as que eu mais gosto... Já leu a do Príncipe e os 3 pratos de arroz? E a do verdadeiro inimigo? Ah, todas são especiais... Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...