Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

terça-feira, 19 de julho de 2016

Como fazer uma sapateira vertical de tecido

"Ô coisa de pobre, Dona Rosa!!!"

Pois é. E eu também adoro comer pão com ovo, lambo as tampinhas do iogurte (das do Marildo também, que ele despreza aquela gostosura) e sempre que posso esfrego as páginas do catálogo da Avon nos pulsos, quando me falta o que fazer. Se bem que não me dou bem com perfume, mas como o cheiro vem de graça nas páginas da revista, não custa experimentar (e ainda não achei um que me agrade, infelizmente..).

Bom, voltando à sapateira: tudo começou com essa bendita reforma que nunca acaba, na qual vou ter finalmente o meu quarto de artesanatos (prá poder ficar em paz ouvindo Bee Gees e A-ha sem ninguém que me aporrinhe o juízo - se bem que também é quarto de passar roupas, de guardar as ferramentas fedidas dos homens da casa, abundantes de ferrugem nas caixas...). 

Só que essa reforma não acaba nunca e cada vez arrumam mais e mais coisas prá entuxar no "quarto da velha". E olha que conseguir pintá-lo de rosa goiaba foi um milagre, o "Marildo" dizendo que a cor era horrorosa, que o resto da casa toda é branco, que ia destoar do conjunto, nhé-nhé, blá blá blá - venci: o quarto é rosa.

Daí quero tirar uma das sapateiras - pois MEU quarto também abriga todos os sapatos da família. E passeando pela Penha vi numa lojinha xing-ling uma sapateira vertical, feita de fio plástico, por 50 e tantos reais. Feinha a coitada. 

Em casa, o tic-tac da minha cabeça não me dando paz, fucei nos meus guardados procurando calças velhas do meu garoto (que ele mandou doar, jogar fora e eu guardei prá fazer aventais de cozinha prá mim..) prá fazer com elas a tal sapateira "de pobre" - como chamam as malvadas, as donas de closets onde seus sapatos se enfileiram majestosos como que expostos em vitrine.

E deu no que deu: achei as calças, achei 2 metros de brim preto, achei viézes bonitinhos, sianinhas... 

E foi assim que eu fiz:


Como eu disse no desenhinho de paint que eu fiz prá vocês: eu passo um risco com a régua e divido esse risco em 5 partes de 12 cm. Dividi pelo verso a tira que vai ser o bolso em 5 partes de 24 cm - ou seja, cada bolso tem um volume prá fora da sapateira que é o dobro do lugar onde foi costurado. Alfineto risco com giz.

Reparem que antes eu preparei a tira que vai fazer os bolsos: fiz bainha na parte de baixo e apliquei viés florido na borda.

Costurei usando ponto zig zag apertadinho, bem reforçado. Maior vexame seria se com o tira e põe de sapatos os bolsos se desfizessem...

Então, costuradas as laterais dos bolsos, eu fiz as pregas. É mais fácil do que parece: não precisa medida, só precisa acomodar cada bolso de 24 cm de largura no seu espaço de 12 cm.

Veja só como vai ficar. Se a prega de um lado ficar um pouco maior que a do outro, não esquenta: não dá prá ver e o volume continua o mesmo.

Assim ficam os bolsos, enquanto no alfinete. Daí é só passar uma costura bem reforçada apenas na base, que isso já prende o formato dos bolsos.

Começa a fazer as fileiras de bolsos da parte de baixo e vai subindo, fazendo uma fileira por vez. Deixei 5 cm de espaço entre uma fileira e a outra. Quando isso tá pronto, é só passar viés em toda a volta, fazer uma barra larga em cima prá passar uma ripinha de madeira, que é o que vai dar a sustentação da sapateira.

Prá fazer com as calças jeans velhas do meu garoto eu usei, para a parte de trás da sapateira, partes das frentes de duas calças, sem chegar nos bolsos. Foi só emendar tudo, não tem segredo.

Cada tira prá fazer uma fileira de bolsos foi uma das partes de trás de uma das pernas. Fiz bainha embaixo, passei viés em cima. O tempo todo assessorada pela minha secretária deliciosa cor de chocolate com cheiro de pão de queijo - não me larga do pé, meu chulé.

Passei sianinha branca nas costuras das bases dos bolsos, pois achei que combinava com o viés xadrez - dava um arzinho "country"... Feita a bainha e as alças para pendurar a sapateira, já fui colocando a ripinha de madeira.

Os remendos foram estrategicamente costurados para esconder rasgos nas barras das calças - que, como falei, estavam velhinhas e curtas pro bambino, que tá alto igual um guarda-roupa... Esta sapateira vai ser pendurada na lateral de uma arara de roupas que vai ficar no MEU quarto rosa, na qual coloco as roupas para passar e depois de passadas, antes de lhes dar o devido destino. 

Agora a sapateira preta de brim. Coloquei nela cinco alças, pois a minha ideia era pregá-la no alto da porta desse mesmo quarto, bem na folha (que é arredondada em cima) - mas não deu certo. As taxinhas não penetram na folha, que é de madeira muito dura. Então vou ter que esperar o tempo do meu filhinho prá ele dar um jeito de pendurá-la atrás da porta e não nela...

Ai, ansiedade, ansiedade...

Por que as pessoas não realizam todos os meus desejos na hora em que eu os tenho - isso é um dos mistérios do Universo. Minha vida seria tão mais fácil...


Assim ficou a sapateira - nela cabem 25 pares de sapatos diversos, de chinelos até tênis (já experimentei). Colocarei as solas uma de encontro à outra - não apenas para maximizar espaço, mas também prá manter a sapateira mais limpa.

Espiem os espaços por dentro dos bolsos...

Na sapateira jeans cabem 24 pares de sapatos - mas como cada bolso mede 10 por 20 cm (enquanto que os bolsos da sapateira preta mediam 12 por 24...) nela colocarei rasteirinhas, sapatilhas, coisinhas mais estreitas e leves.

Remendinhos fofos...

Espaço interno razoável...

Aproveitamento excelente de calças jeans a quem ninguém daria valor. Falando a verdade: doo muita roupa na porta, mas vez por outra fico decepcionada: tem gente que anda 4 metros da minha porta, seleciona o que quer e larga no chão, em plena rua, aquilo que não lhe interessa. Daí meus olhos se enchem de água quando eu vejo uma roupinha de um dos meus amores rolando ladeira abaixo - podiam pelo menos jogar fora longe dos meus olhos... Assim sendo, prefiro ajudar só quem eu conheço e sei que vai usar mesmo - o resto eu reciclo se puder.

Minha mãe fez dois edredons maravilhosos usando calças jeans velhas dos meus irmãos - cortou tudo em quadrados e alternou jeans preto com azul - se ela ainda enxergasse teria bordado cada quadrado, que eu conheço minha velha...

Então, IDEIAS!!!

*Faça um troço desses com bolsos mais baixinhos e acondicione neles os seus sutiãs meia-taça - assim eles não ficam rolando nas gavetas. Pendure ganchos auto-adesivos por dentro da porta do guarda-roupa para pendurar sua "sutiãnzeira" e vai ficar tudo organizadinho, sem ocupar espaço...

*Vale fazer um desses prás gravatas do seu marido - que tal agora, pro Dia dos Pais, hein?

*Já pensou fazer um mini, prá guardar sapatinhos de bebê? Pode fazer de patchwork, todo quiltado, cheio de desenhos de bichinhos, uma fileira de bolsos de uma estampa, outra fileira de outra...

*Fazer um de cor única, costurar janelinhas de tecido em todos eles e fingir que é um "apartamento" prás bonecas da tua filha, com telhadinho vermelho em cima e tudo. Garanto que qualquer menininha iria adorar ter um prédio de apartamentos prás suas bonequinhas ao invés de só uma casinha - tão moderno...

*Ah, você pode fazer bolsos mais altos e largos, prá guardar tuas botas...

*Fazer um desses prá guardar tesouras, linhas, elásticos, apetrechos de costura...

*E mais uma ideia pro dia dos pais: que tal fazer uma dessas prá pendurar na garagem, pro seu marido acondicionar as ferramentas? Num espaço chaves de fenda, noutro martelo... Numa garrafinha pet de água vazia você enche de pregos, em outra você põe porcas e parafusos, buchas... Organiza a bagunça dele de presente!

É de pobre? Pode ser... Mas - de verdade - não precisa ser rico prá ser feliz, eu sei bem disso. E, se você quiser, pode fantasiar que só vai ter uma sapateira dessas até ganhar na loteria - daí você compra uma mansão onde vai ter um closet enooooorme, com vitrines prá mil pares de sapatos chiques (sonhar não paga nada...).

E - enquanto isso - dá até prá ganhar um dinheirinho abençoado por Deus fazendo sapateiras como essas prá vender, não dá?

Bom, me perdoem, mas vou sumir mais uma vez. Dia 23 agora é aniversário da minha mãe e ela me pediu muitas meias e muitas toucas, que ela sente frio no corpinho velho - e com tudo o que tenho prá fazer, tenho que me desdobrar prá fazer o presente dela.

Até mais.

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Restaurando jaqueta jeans e outras coisas...

Tá na moda essa mistura: pegar uma jaqueta jeans e dar uma "requipimpada" nela, usando spikes, rendas...

Olha a nova jaqueta jeans da Lola:
 



Já foi um conjunto jeans - jaqueta com calça combinando, ambas com recortes de tecido com estampa de pele de tigre (que logo que herdei da minha irmã caçula - como contei nesta postagem AQUI - eu arranquei, pois não sou fã de estampa animal...). Usei até cansar, até ganhar filhos e quilos extras e acabar perdendo ela prá sempre (mas não consegui me desfazer dela, gostava tanto - sempre sonhava emagrecer prá usar novamente...).



Então as meninas cresceram e eu fiz ela ficar assim: arranquei as mangas, dei uma desfiada...



e incrementei com crochê - as meninas ficavam tão fofas com ela!!!

Daí o tempo passa, o crochê cansou, arranquei ele:


Peguei um metro de moletom grosso, 20 cm de malha sanfonada da mesma cor, alguns botões de martelar e...

Fiz um capuz bem básico (que a Lola adora capuz...) - você pode copiar de um capuz que você tenha em casa ou pegar molde na Marlene Mukai

duas mangas - pega o molde grátis também lá na Marlene...


Aí vem o pulo do gato: encompridar a jaquetinha, dando a falsa impressão de ser um colete jeans colocado sobre uma jaqueta de moletom... São quadrados e retângulos de moletom, estrategicamente posicionados embaixo do jeans...
Fiz um esquema no Paint, que é prá vocês entenderem melhor:

e ficou assim:

 


Como vocês podem ver, depois de colocar as duas tiras de abotoamento nas frentes da nova jaqueta, ela até se fecha, como uma jaqueta normal faria. Fica parecendo mesmo que tem um coletinho jeans aberto por cima de uma jaqueta de moletom, não fica? 

Infelizmente, na minha Lolinha - que é prá quem essa jaquetinha foi feita, não dá prá abotoar. Manequim 48 de busto, minha deusa linda de formas generosas... A jaquetinha era manequim 40 - não dá prá fazer milagres, esticando ela, não é mesmo?  

Ou, na verdade, quase dá - pois até parece milagre reaproveitar uma jaquetinha tão velha, não é mesmo?

Mas não fiz somente isto nestas duas semanas, espia só: lembra desta banquetinha de madeira que eu lixei e não sabia ainda como ia transformar (nesta postagem AQUI, na qual fiz meu primeiro maiô - já fiz um segundo, num outro molde, falta tempo e oportunidade de mostrar...) 


Pois então: fiz uma banqueta pro meu filhão usar com a mesinha que eu também reformei e que ficou assim:



Na banqueta eu fiz o seguinte: ela já estava lixada, então eu pintei de um tom de marrom meio acinzentado que eu mesma criei, misturando marrom café com um pouco de branco e de preto (prá parecer o tom do guarda roupa do moleque...):


"Mas que pintura manchada é essa aí, Dona Rosa?" Calma, eu explico: usei um pincel macio, com o marrom que eu criei, prá não marcar. Daí, com um pincel bem duro, velho e escangalhado, eu fiz uns veios negros imitando madeira, também parecendo com o guarda-roupa dele...

Daí eu acolchoei o banquinho - prá ele ficar macio pro garoto se sentar. Bumbum que mamãe beijou tanto quando trocava as fraldinhas merece se sentar em algo macio, não é mesmo? Então, aproveitando as rebarbinhas das calças de moletom que eu fiz prá eles (que acabaram me saindo por 13 reais cada uma, com elástico e tudo...) - algumas estão nestas fotos aqui:




Teve emendas, bolsos coloridos, mas são prá ficar em casa e são bem grossas, macias e quentinhas - bom demais, todo mundo adorou...

Voltando à banqueta, que havia ficado assim - só pintei as pernas:





Amontoei sobre a banqueta as tais rebarbinhas - como eu falei, são de moletom bem grosso e aflanelado, então dão um acolchoado bem macio e fofo: 


Cobri com um pedaço dobrado de manta acrílica:


Prendi a manta acrílica e as rebarbinhas na banqueta usando apenas um fio de linha...



Daí emborquei a banqueta no chão em cima de uma sobra de corino...


E foi só grampear, cortando as sobras.


Pronto! Banqueta pronta!



Posicionada na mesinha, que já foi de overloque, que tava enferrujada e descascada, que agora tá novinha e meu filhotinho adorou!



Também repintei a porta da copa - cuja moldura foi trocada, pois a antiga teve que sair, depois de ser toda arrebentada pelos ladrões da última vez que entraram aqui em casa... a moldura nova era mais clara que a porta, o Marildo comprou errado. Daí ele comprou este líquido aqui, prá eu escurecer a madeira:


Tem prá simular a cor do mogno, da cerejeira, do carvalho... Bom, prático, mas eu poderia ter escurecido a madeira usando um paninho embebido em álcool com pó de café ou chá preto - era como eu fazia antigamente, mas ele não gosta do cheirinho do café... Ô frescura!

Bom, então foi com esse líquido que eu fiz o que precisava ser feito, até acertar com a cor:


Não ficou linda?



Tem lugar que parece manchado, mas é que eu tirei essa foto com a tinta ainda molhada, tamanha a pressa...

E como nem tudo são alegrias, dei uma lascada na minha jarra de suco favorita: 


Dá prá ver melhor?



Só percebi quando ela começou a vazar suco de uva na toalha, na hora do almoço, manchando tudo - eu bem que pensei que ela tinha quebrado, quando escorregou da minha mão na hora de lavar a louça... Quando vi que não quebrou, fiquei feliz, depois fiquei triste, gostava tanto dela...

Comprei umas pedrinhas lindas numa lojinha na Penha, gastei só 2 reais com elas:



Coloquei elas dentro da jarra, um bocadinho de água, e dois galhinhos de jibóia:



Assim sendo, vamos ficar juntas por muito tempo ainda: agora ela fica parecendo um aquário de plantinha em cima do microondas...


Fiz uma camisetinha nova prás meninas, usando um retalhinho comprado por quilo - custou uns 5 reais... 


E enquanto meu quadro não fica pronto, comecei um novo projeto: reformar um trenzinho que fiz pro meu filho, quando ele era pequeno, usando lata de palmito, caixa de suco e caixa de leite de soja, pedaço de vidro de vinagre e outros lixos:


Tadinho... Tá tão velhinho! Já perdeu as rodas, já deu ferrugem na lata de palmito - mas meu filho se nega a jogar fora... Depois eu mostro como tá ficando... só posso adiantar que vai ganhar partes novas e vai ser vermelho.

Ufa! Dias tão curtos prá tanta coisa, vocês não concordam?! 

Até mais, que tô cheia de coisas prá fazer!!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...