Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Um retalho

E o "retalho do retalho"...

No meu aniversário do ano passado minhas filhas me levaram no Bom Retiro e me compraram retalhos por quilo. Um deles foi este tecido verde lindo, uma malha encorpada super macia, que - como sempre acontece nesses retalhos... - vinha cheia de defeitos:


Defeitos como furinhos e emendas feitas em overloque. As tecelagens compõem as peças assim, às vezes: no meio do rolo vem essas "surpresas" que, quando localizadas na loja, são cortadas fora da peça e colocadas à venda mais barato, geralmente no balcão de retalhos. Vinte reais o quilo foi o quanto eu paguei nessa loja e, como o tecido era pesadinho, só esse pedaço deu quase 8 reais. 

Com ele eu fiz essa calça pro bambino - super macia e gostosa:



Daí sobrou uma lateral meio "prejudicada", quase-QUASE da largura de uma blusa prás meninas - que dó... Eu tinha até essa palinha bordada, comprada a 4 reais (pela qual me apaixonei assim que vi e que planejava colocar num vestido prá mim, uma hora dessas...).

Eu tenho muito isso, às vezes me acho quase uma artista: assim como os grandes mestres escultores olham pro mármore e enxergam a estátua dentro dele eu olho pros paninhos e enxergo uma blusa, um vestidinho, por mais que dali pareça que não vai sair nada...

Mas dos "trapos-dos-trapos" saiu esta blusinha aqui:





Da parte que tinha mais pano eu tirei a frente da blusinha - no osso, mal tinha espaço prá costura - e, das sobras-das-sobras eu tirei, em duas partes e em sentidos contrários da malha, as costas, divididas ao meio (cliquem na foto que vocês vão ver a costura...). 

Fiz a blusinha, costurei a palinha e, naquela costura feia das costas, preguei um elástico - como se fosse proposital, mas totalmente quebra-galho.

Deu certo, ficou linda, o namorado da Naninha a achou muito linda com ela - e a danada ainda contou "Minha mãe fez esta blusinha ontem, de um retalho de uma calça que fez pro meu irmão...".

Assim que eu gosto: nada de bancar posuda, a gente tem que ser orgulhosa da própria simplicidade - porque isso, esse tipo de orgulho, tá longe de ser pecado...

Duas peças lindas, gostosas, práticas - com apenas 8 reais...

E tem muito mais coisas feitas de retalho vindo por aí - mas haja tempo prá postar...

8 comentários:

  1. Rosa você é sim uma artista, a artista dos retalhinhos rs
    Eu também adoro a revista burda e compro sempre aquela para talhas grande,
    Adoro vir aqui espreitar as novidades.

    Bacione

    ResponderExcluir
  2. Rosinha, querida, já disse, mas repito:
    - Tu és única!
    Pessoa mais maravilhosa eu não conheço! Simples, honesta, criativa, bondosa! E mais, muito mais que de momento não me ocorre. E, pelo que vejo, as meninas seguem as pisadas da mãe!
    Grande beijo, sua linda!

    ResponderExcluir
  3. Rosa...a verdade é que saber um pouco de costura...poupa-se imenso pois sempre vamos fazendo algumas peças para nós e para os nossos!
    Eu sou filha de alfaiate mas fui professora 35 anos...de modo que a arte de bem costurar não é comigo...contudo sei coser à máquina!
    Aqui também há armazéns que vendem ao quilo...e sem dúvida que se fazem comprar excelentes!
    Suas peças estão lindas e a "camisete"...excelente com a renda em branco!
    Bj amigo

    ResponderExcluir
  4. Que linda, Rosa! Adorei a cor e a renda, ficou demais!
    Parabéns!
    Uma Feliz Páscoa para você e sua família
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ficou linda!! Malha é boa por isso, dá pra usar de qualquer lado que estica e funciona super bem. Também faço o mesmo com as sobras!
    bjs

    ResponderExcluir
  6. Rosa, eu morri de rir do seu texto, pois sou igualzinha, igualzinha! Sinto muito orgulho dessas coisas que a gente faz. Sabe, uma vez uma pessoa me escreveu (nos comentarios do blog), dizendo que me achava com complexo de inferioridade (ou superipridade), pois eu tinha a necessidade de ficar me gabando a toda hora, dizendo que eu queria me parecer elegante, copiando coisas das lojas. Ah, eu soltei-lhe os cachorros e disse que eu não queria me parecer elegante, pois eu era elegante e tinha sim muito orgulho de mim! Pois Rosa, querida, tenha mesmo orgulho de você, se ser o que é, honesta, simples e sincera, sem vergonha de dizer que gosta de você e das coisas que faz. Claro, temos que gostar mesmo, temos que ter orgulho de nós.Por isso, tenho certeza que nunca teremos depressão, mulher!
    Está de parabéns pela genialidadede transformar o feio no belo!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, Rosa!
    Tem que ter o dom! E isso vem de Deus. Acabei de voar no cantinho da Paula (foi por isso que vim pra cá) e sempre digo que a criatividade humana não tem limites. E se o principal ingrediente é o amor, então... não há como não sair coisas legais.
    A blusinha ficou mesmo encantadora e se não falar que é de "sobras das sobras" rsrs ninguém acredita.

    Que sua Páscoa e de seus familiares seja recheada de bênçãos! Um dia muito feliz em família pra vocês.

    Abraços esmagadores.
    Márcia.

    ResponderExcluir
  8. Lindas criações!!! e você, a artista de tudo isso. Tem que ter orgulho mesmo pois é na simplicidade que há elegância.
    Parabéns pela criatividade.

    Bjs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...