Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Metamorfose


Todos os dias minha Nana tem algo novo e incrível prá me contar... 

A cada dia ela chega da faculdade tendo aprendido algo novo e mágico acerca do corpo humano - e compartilha comigo, com o pai, com os irmãos... 

Diz "Hoje eu consegui localizar uma artéria que ninguém na classe conseguiu!" "Hoje eu consegui entubar o boneco de primeira, três vezes seguidas!(se referindo ao boneco médico usado na aula e ao exercício de ajudar o boneco a "respirar"...)"; "Hoje foi a terceira sessão de acupuntura na paciente que eu tô acompanhando e ela já tá conseguindo mexer a mão (pois ela participa do Grupo de Acupuntura e, dentre outros pacientes, acompanha essa idosa que recentemente teve AVC - derrame - a qual, recebendo tratamento de acupuntura, está tendo melhoras bem significativas...)".

É lindo ver ela acordar todo dia antes das cinco da manhã, sem reclamar - logo ela, tão dorminhoca! - e seguir estudando até tão tarde, todos os dias, finais de semana... Vê-la assumir suas responsabilidades, lutar suas próprias batalhas... Como ela ama o que faz - e como eu sou grata a Deus por vê-la feliz, realizando seu sonho!

Ontem ela trouxe prá mim fotos muito lindas. Ela e sua melhor amiga, indo de um prédio ao outro entre aulas, repararam que as árvores dos pátios da faculdade estavam repletas de grandes insetos:

Quando chegaram mais perto repararam...

Que não eram insetos - eram mudas abandonadas prá trás, na metamorfose deles - reparem que todos tem um rasgo no dorso:



Parece que a necessidade de transformação os pegou em pleno movimento! Ela me disse que havia centenas e centenas deles... Tirou tantas fotos - prá mim, pois sabia que eu ia adorar! Pena que não me permitiu mostrar as fotos nas quais ela segura esses invólucros vazios nas mãos - não quer, de jeito nenhum, sair em fotos no blog. Coisa de privacidade dela, eu respeito (também não apareço em nenhuma foto, não é? Puxou a mãe...). Suas mãozinhas delicadas e lindas com exoesqueletos vazios de insetos nas palmas, seu sorriso de alegria no rosto curioso... Algumas amigas disseram que ela era nojenta - pode um absurdo desses? E são estudantes de Medicina, como ela...

Vejam como os insetos ficaram, depois da muda:



Lindos, não é mesmo? E ela me garantiu que a foto do celular não fez jus à beleza deles - asas com brilho furta-cor, carapaça multicolorida, vibrantes de vida!

Como ela. Como meus filhos todos - minhas crianças, meus bebês, os filhos de Deus que Ele me pediu prá tomar conta, proteger, alimentar, ajudar a trazer o melhor de cada um deles, de dentro prá fora...

De crianças tão inocentes e carecedoras da minha atenção a jovens adultos inteligentes, que esbanjam sabedoria ainda em tão tenra idade e tão merecedores da minha atenção - sempre... Metamorfoseando-se perante meus olhos, dia a dia, cada um deles tão melhor do que eu que eu me pergunto: "Saíram mesmo de mim?"... Às vezes até duvido, parece sonho...

Algumas transformações são assim, quando acompanhadas tão de perto: um dia você para prá pensar e se dá conta de que não percebeu quando elas começaram, só se lembra de como eram e aprecia como são agora... Sorte a deles...

Outras pessoas, pelo mundo afora - eu, inclusive - têm que passar por eventos traumáticos prá vivenciar mudanças. A dor precisa cair sobre eles como uma tempestade - daí eles se encolhem prá se proteger dela, se endurecem por fora e muitos ali ficam, prá sempre, enclausurados nesse sofrimento solitário... Muitos nunca mais são os mesmos...

Mas outros - a grande maioria, graças a Deus - rompem a carapaça da dor e saem dela mais fortes, mais humanos, mais solidários. Prá muitos de nós somente a dor ensina e somente ela nos faz capazes de sentir empatia pelos semelhantes e nos torna propícios ao perdão - nos faz grandes!

Cá estamos nós, neste mundo enorme, lindo, perigoso e assustador, tão cheio de prazeres e tentações, repleto de tristezas, alegrias, dor e redenção: ninguém parte dele do jeitinho que chegou. A inocência se vai com o tique-taque do nosso coração, a cada batida; a responsabilidade se torna cada vez maior a partir do primeiro passo que damos por conta própria, a cada palavra que proferimos desde nossa primeira, balbuciada sem um dentinho sequer na boca...

Que, a cada casulo que deixarmos prá trás, saibamos abandonar o que não mais nos serve, mantendo nossa essência e  que saibamos abraçar o que de novo nos espera - assim como meus filhinhos, meus belos dorminhocos, que - aos poucos - deixam de ser crianças prá se tornarem, a cada dia, pessoas admiráveis!


12 comentários:

  1. lindo o texto. linda a transformação, e os filhos; a gente dá o melhor de nós para que eles sigam seu caminho cada um com a sua característica, eu particularmente fico reparando quando os meus filhos estão almoçando, brincando juntos ou ate mesmo dormindo a criação é a mesma mas tem certos detalhes que torna-os muito diferentes um do outro e isso é muito bonito, e como a senhora disse a inocência se vai a cada tique e taque, mas cada um com sua essência.bjs e um ótimo fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É assim mesmo, Elisabete querida... Beijão e uma linda semana prá você.

      Excluir
  2. Lindo texto, querida amiga! O tempo passa e muitas vezes não sentimos nossos filhos crescerem, passarem pela metamorfose da vida. E durante a vida inteira, por quantas metamorfoses passamos, não é verdade? Beijos e bom final de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, viver é evoluir sempre, abandonar o que fomos prá nos tornarmos melhores a cada dia. Beijos, Ligia querida, e uma linda semana!

      Excluir
  3. Oi Rosa, que linda reflexão você fez...estamos a todo momento saindo do casulo...a cada insight, a cada mudança de atitude um invólucro velho foi deixado para trás.
    Se não me engano, esses insetos são cigarras, vi num livro sobre a mata atlântica e me lembro dessas cores maravilhosas.
    Que belo trabalho você e seu marido fizeram, criando filhos que estão se tornando valores humanos!
    Bjs querida e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, doutora querida! Bem que eu achei que eram cigarras! Numa das vezes em que fui na faculdade com minha filha, escutei a cantoria delas... São mesmo lindas...

      Beijos e obrigada por me dizer... Uma linda semana!

      Excluir
  4. Oi Rosa, lindo o texto. Gosto sempre de vir aqui.
    É amiga, o tempo vai passando e elas crescendo e tomando suas próprias decisões.
    Lhe desejo um ótimo final de semana.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Carla querida, fico feliz que você goste daqui. Beijos e uma ótima semana prá você!

      Excluir
  5. Olá Rosa...como gostaria de ter presenciado essa metamorfose!
    Adoro borboletas e a sua metamorfose!
    Essa mudança nos filhos é natural!
    Fica a sensação de que...apesar de...valeu a pena!
    Filhos são nossos amores verdadeiros!
    Bj e boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São mesmo - filhos são nossa vida! E apreciar seu crescimento é um verdadeiro privilégio. Beijos, Maria da Graça querida, e uma ótima semana!

      Excluir
  6. Os frutos não caem longe do pé.
    É um presente Divino, criar os filhos e nos ser dada a oportunidade de vê-los assim, tão gente, tão humanos, tão belos.
    As imagens são lindas e o teu texto muito denso, digno de reflexão. Mas muito leve, cheio de amor. Amei!

    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, Lia querida, é um presente de Deus acompanhar o crescimento dos filhos, apreciar suas mudanças ... É uma riqueza sem tamanho...

      Beijão, minha querida!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...