Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

terça-feira, 1 de outubro de 2013

O lixo de uma pessoa...

Pode bem ser o tesouro de outra... 

Quantas vezes isso é verdade, não é mesmo? A pessoa não dá o menor valor prá uma coisa maravilhosa que tem em casa - muitas vezes não dá valor até mesmo prá pessoa que lhe faz companhia ou até odeia a própria vida que leva... 

Nós, seres humanos, somos eternamente insatisfeitos... 

Mas hoje não vou falar sobre nossas inconsistências - o assunto é criatividade: os diversos usos daquela máquina de costura antiga, que pertenceu à nossa avó...


Minha mãe tem uma - preta, só faz ponto reto... Antes de ganhá-la, minha avó costurava tudo à mão: fazia os lençóis de toda a família (incluindo os enxovais...), fazia calças e paletós pro meu avô e meus tios, os vestidinhos da minha mãe... Acordava de madrugada e de madrugada ia dormir - suas cadeiras tinham capas bordadas à mão, suas toalhas eram feitas de pano de saco (e ninguém dizia...). E ainda tinha um quintal cheio de verduras, plantadas e cuidadas por ela... Um dos melhores seres que já habitaram o planeta, com uma das histórias de vida mais duras e, ainda assim, mais resplandecentes de luz - quem sabe um dia eu esteja à altura de contar...

Quando ela ganhou a máquina do meu avô foi um marco na vida dela - e na da minha mãe que, aos dez anos, entrou para o Corte e Costura...

Bom, minha mãe até hoje guarda essa relíquia - um dos seus bens mais preciosos - e eu a vejo, às vezes, acariciá-la com reverência, pois mãos muito saudosas a tocaram por muito, muito tempo...

Vejam o que fazem por aí com estas raridades - descartadas com desprezo por pessoas sem noção alguma do valor das coisas:

Quero crer que deram um bom uso prás máquinas - quando transformaram seu móvel em lavatório...



Esta simplesmente recebeu uma pintura em tom de ouro velho e uma bela tampa de madeira...
Nesta mantiveram quase tudo - somente um tampo novo, com uma pintura adamascada... O canto da sala ganhou um charme especial com essa mesinha tão simples, não acharam?
Que lindo trabalho de marchetaria - ficou precioso!
Separadas - mas unidas à distância - as duas pernas da mesa da máquina de costura parecem terem sido projetadas especialmente para dar vida a essa mesa... Amei também  o lampião pintado na parede, visitado por borboletas...

Mosaico: com cola de silicone e pastilhas de vidro (um pouco caras, é verdade...). Um efeito como esse - e bem mais em conta - se obtém comprando num vidraceiro quadrados de vidro colorido. Depois é só colar com silicone transparente sobre uma superfície pintada de branco.

Ah, lindíssimo! Um simples tampo de vidro grosso oval...
 Ou então este vidro, jateado de borboletas!
O gatinho se sentiu em casa nesse tampo de granito...
Olhem que bela ideia: uma mesa expositora para um lindo navio de madeira!
Uma penteadeira toda branca - que quarto não ficaria lindo?
Agora no jardim de casa: duas antigas máquinas de costura te fazendo companhia naquelas tardes frescas, os beija-flores visitando o teu quintal e você lendo, pela vigésima vez, "O Sol é Para Todos"...
 Um banco de jardim...
 Lindos, não são?
Aqui eu acho uma judiação: churrasqueiras...

Deixar o móvel no seu formato original, mas pintá-lo e enchê-lo de anjos!

Ou então - de flores!


Esta, de todas que mostrei, é minha favorita - a delicadeza do branco e o romantismo das rosas. Amei.
Esta é uma verdadeira peça de arte: incrustar um relógio no corpo da máquina, depois de cromá-la e dourá-la. Lindíssima!
Ou, simplesmente, deixá-la em sua forma original, envelhecida pelo tempo, desgastada pelo toque repetido de mãos que trabalharam muito, mas coberta de flores... Será que era uma máquina de verdade - ou seria apenas um bibelô, um brinquedo antigo de menina?

Abençoados sejam todos os nossos instrumentos de trabalho - que nos aproximam de Deus, Nosso Pai, Criador de tudo e de todos - pois, com o auxílio deles, criamos coisas úteis e belas e bem mostramos que somos Seus filhos... 

Que no dia em que os mesmos se tornarem obsoletos prá nós, saibamos lhes dar uma correta destinação.

Quantas pessoas, como eu, guardam como tesouro na memória a imagem das mães a pedalar incansáveis, madrugada adentro, uma dessas maquininhas, "Tléc, tléc, tléc", prá no dia seguinte colocar o pão na mesa...

(Imagens tiradas deste site russo AQUI)

30 comentários:

  1. Rosa, as ideias são lindas! Eu tenho a máquina da minha sogra que tirei da mesa, porque estava cheia de cupim, e coloquei o maquinário num gabinete, e ficou como portátil! A armação de ferro, eu guardei, e ainda busco uma ideia que me agrade! Você me deu muitas ideias lindas, pois quero colocar na minha chácara, quando eu tiver uma, claro! rsrsrs!bjs e lindo dia! Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena que a mesa tinha cupim - você jogou fora? Sabe, tem uns produtos que se passam nos móveis infestados com esses bichinhos que acabam com eles e ainda dá prá recuperar a madeira... Mas o importante é ter conseguido salvar a máquina. Agora, quando você reaproveitar a armação, fotografa prá eu ver como ficou... Beijos!

      Excluir
  2. Rosa, que postagem apaixonante!!

    Minha avozinha também cortava as calças dos meus tios no colo e costurava tudo nas mãos.
    Anos mais tarde ela ganhou a sua máquina de costura. Vou questionar minha família para saber qual o fim que deram à essa preciosidade.

    Adorei sua seleção de imagens.

    Tenha um lindo dia,

    beijinhos,

    Lígia e =ˆˆ=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lindo dia prá você também, Ligia querida. Espero que a preciosa máquina ainda exista...

      Beijos!

      Excluir
  3. Lembro de minha irmã 19 anos mais velha que eu, costurava para a família toda e eu fui a mais previlegiada, ganhava vestidos novos,sempre
    feitos pela minha querida irmã...
    Amiga, obrigada pela sua visitinha ao meu cantinho e realmente as de crochet duram mais!
    Bjus e tudo de bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, uma irmã 19 anos mais velha! É quase como se você tivesse uma segunda mãe - que sortuda!

      Beijos, Márcia querida!

      Excluir
  4. Lindas postagens!!!!! Já estou seguindo..... Gostaria de te convidar para conhecer meu cantinho também http://www.namodacomtrico.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Olá!!!! Obrigada pela visita e pela sugestão dos comentários. Mas como eu faço? O meu e mail é: omsdesportista@ig.com.br

    ResponderExcluir
  6. nossa a do meu avô é igualzinha a primeira foto, as ideias são ótimas mesmo. ah aproveitando como a senhora tem sitio e gosta de cozinhar gostaria de saber se a senhora sabe fazer doce de leite,( daqueles tipo mineiro) , tive vendo umas receitas na net mas diz que tem que cozinhar 3 horas e meia, achei muito tempo, e acho melhor fazer receitas de quem já fez pra não errar bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Experimenta esta receita aqui:

      http://minicozinha.blogspot.com.br/2010/08/doce-de-leite-de-corte.html

      Minha Nana adora. Beijos!

      Excluir
  7. Rosa, gostei muito das máquinas reaproveitadas, mas o que eu gostava mesmo era de ouvir a história de vida da vovó.
    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sei se eu consigo contar - aliás, não me sinto com permissão disso, dentro do meu coração...

      Beijos.

      Excluir
  8. Eu tenho uma dessas...foi da minha avó, não sei se foi também da bisavó. Ainda funciona, não mudei nada.Está no canto da sala com a overlook em cima.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo, adoro esses móveis com história... Beijos.

      Excluir
  9. Vi agora o vídeo que vc postou da mulher dançando..demais! Genial que fez o video e colocou aquela música maravilhosa. Adoro as músicas do ABBA, lamentei quando o grupo se desfez. Não se faz mais músicas como antigamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo plenamente - especialmente as da década de 80 (que foi um lixo prá moda, mas que produziu músicas lindas sem conta. Beijos.

      Excluir
  10. Olá Rosa.
    Minha mãe ainda tem uma dessas que pertenceu a minha avó, e ainda a utiliza com muita regularidade.
    Parece que as coisas de antigamente duravam uma vida. Agoro, já não é assim.
    Essas ideias são mesmo interessantes.
    Também achei linda a maquinha cromada com o relógio.
    Beijinhos e uma ótima 4.ª f para você

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma linda quarta feira prá você também, Alice. Que bom que a máquina é usada com regularidade - sinal de que é estimada. Beijos.

      Excluir
  11. Ai Rosa, eu voltei à infância...minhas duas avós eram costureiras, a minha avó materna só fazia vestidos de noivas e madrinhas, e minha avó paterna (com quem eu morei boa parte da vida) tinha uma máquina dessas antigas de pedal preta que trouxe com ela no navio quando veio da Espanha fugindo da guerra, e foi com ela que começou a vida aqui, criou os filhos, comprou uma casa, enfim ganhou sua vida...Ela fazia todo tipo de roupas, tinha muitas freguesas, chegou a ter um ateliê com várias costureiras, mas nunca se desfez da máquina. Ela está até hoje na casa de uma tia, foi toda restaurada, está linda...
    Eu cresci debaixo das máquinas de costura, comecei a costurar aos 5 anos para as bonecas e aos 12 fiz meu primeiro vestido...Ah! quantas lembranças...
    Bjs querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Duas avós costureiras - que tesouro, Doutora querida! Você começou bem antes de mim, meu primeiro vestido eu só fui fazer depois de casada... Parabéns - pelas "prendas" e pela linda história de vida. Beijos.

      Excluir
  12. Olá Rosa!!! Como êh bom saber q podemos ter boas lembranças e recordações êh como a vida era dura mas sabiam viver o estresse n acompanhava e faziam tantas coisas... Linda a história da sua vive sua maezinha acariciando c tanta reverência a maq sabendo o qt lhe foi preciosa... E ver q tudo era costurado a mão cada lugar da casa tinha um toque dela... Êh emocionante e deu p sentir e se envolver na história

    Rosa além das imagens q são lindas amei cada uma delas mas a pintada em ouro c o tampo oval me chamou atenção q linda... E a mesa e o lampião q ateliêr lindo de viver...

    Demais cada imagem já tinha visto uma imagem c ela e tb quis ter uma em casa e vi q da p fazer mtas coisas c elas...

    Minha mãe tinha uma q ganhou no seu casamento do seu pai hj ela tem 90 anos.. E tb costurou muito nela

    Grde bj

    Rose jp

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo demais ter boas recordações associadas a objetos dentro da nossa casa - é como ter pequenas máquinas do tempo, somente à espera da memória prá funcionarem. Que linda a sua mãe, guardando esse tesouro. Beijos e uma linda quarta feira!

      Excluir
  13. Respostas
    1. Que bom, minha querida. Guarde com carinho.

      Excluir
  14. Meu pai é alfaiate...por isso esta postagem merece todo o eu interesse!
    Aliás...algumas imagens guardei-as para um dia...reaproveitar as duas máquinas que ele tem na alfaiataria!

    ResponderExcluir
  15. Rosa, sua linda! Bela postagem no dia do aniversário da minha vó! Adorei pedalar na máquina tão estimada dela - 57 anos de uso e parece novinha em folha!
    bjo bem grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ficar na lembrança, então... Sabe que eu bordei toalhas pro meu enxoval na velha pretinha da minha avó? Não sei bordar em nenhuma outra... Beijos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...