Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Overlock - ter ou não ter?

Finalmente comprei uma máquina de overlock. 

Usada, comprada de segunda mão em um bazar. Sua Majestade foi totalmente contra: "Se você queria tanto assim essa máquina, porque não me falou, que eu comprava uma nova prá você?"
Mão-de-vaquice pura minha. 

Cresci vendo minha mãe costurar sem overlock e tudo o que ela fazia era lindo... Só comprei essa porque apareceu a oportunidade e o preço estava bom.

Vejam bem: próximo à minha casa tem um abrigo para idosos (muito bom, por sinal - fui voluntária lá durante anos e posso garantir que o tratamento dado a eles é de primeira...). Muitos idosos, por não quererem ou não poderem ficar com os filhos, decidem ir para lá por conta própria, e doam ao abrigo seus móveis, etc. Outros, os próprios filhos abandonam lá (digo "abandonam" porque, depois de deixarem os filhos lá, nunca mais visitam - cansei de ver os idosos se arrumarem no domingo, dizendo "Hoje meu filho vem..." e isso não acontecer...). Alguns filhos simplesmente doam os pertences dos pais quando estes morrem - não dão valor a móveis velhos, louças, relógios. 

Tem cada preciosidade! Pianos, relógios cucos, cadeiras de balanços, rádios antigos, guarda roupas de madeira maciça, com partes esculpidas - lindos demais, precisando apenas de um trato. Tudo a preços inacreditáveis... Se Sua Majestade deixasse, eu comprava muita coisa...

Quando tem bazar (tipo duas vezes por mês) os donos de antiquários fazem a festa: compram um guarda roupa por 150 reais e depois vendem por 2, 3 mil reais na loja deles. Vão muitos bolivianos, comprar panelas, cadeiras, roupas e calçados. Calçados e roupas tem de dois tipos: usados e novos. Algumas lojas doam seus estoques da estação passada, mercadoria encalhada ou com pequenos defeitos. Dá prá comprar uma sandália nova por 2 reais (pena que os números mais vendidos - tipo 35 a 37 - nunca tem...). Sabe aqueles brindes que dão em revistas? Quando a revista é recolhida das bancas, elas são encaminhadas prá reciclagem e os brindes são muitas vezes doados (comprei umas toalhas de banho gigantes, aveludadas, do aniversário da Vogue, por 5 reais cada...).

Como eu sei dessas coisas? Meu irmão passa lá, de vez em quando, pois ele coleciona relógios e rádios antigos, e me avisa quando tem algo muito legal. Daí ele me avisou da máquina de overlock. A pobrezinha tava com o porta-fio e a agulha quebrada, com a lubrificação grossa e endurecida, a mesa coberta de pelotas de cimento e respingos de tinta. A dona anterior faleceu, o filho deve ter deixado a máquina largada em um canto qualquer, reformou a casa - e a máquina ali, desamparada. No fim, decidiu se desfazer dela, doando-a do jeito que estava, toda suja. O bazar do abrigo a colocou à venda do jeito que veio (gente preguiçosa é fogo: nenhum funcionário teve a decência de dar uma limpada nela...). Estava custando 80 reais, com mesa e tudo. Mandei arrumar, trocar o que estava quebrado, revisar o motor (que estava ótimo) e custou mais 80 reais. Eu mesma limpei a mesa. Resultado: agora eu tenho uma overlock.

Detalhe de pouca importância pro Universo, mas extremamente importante prá mim: junto, veio uma caixinha de acessórios, com bobinas, correias, faquinha, chave de rosca - a dona antiga tinha todos os apetrechos. Dentro da caixinha veio também um papel com nomes, telefones de advogados, escrito com a letrinha tremida de uma senhora idosa. Um pequeno recorte com o desenho de um avental de cozinha (talvez um projeto...). Uma nota fiscal eletrônica da Niazi Chohfi (nós duas fazíamos compras no mesmíssimo lugar!!!). Me fez pensar: um dia também vou deixar prá trás minhas máquinas, meus projetos... Espero que alguém lhes dê um bom destino.

Agora, resposta óbvia à pergunta do início da postagem: ter. Fica bonito o trabalho, com cara de comprado pronto. 

É necessário ter? Não. Se você pretende comprar uma máquina de overlock e costurar a roupa toda nela, não aconselho. Não fica resistente. Sabe aquelas roupas que a gente compra e que a costura fica abrindo - calças de moletom, etc - e a gente tem que ficar consertando? É isso. Não sei se as overlocks mais novas fazem costura mais resistente, mas eu ainda prefiro o ponto elástico da minha Janome. Até prá desmanchar dá trabalho...
Se você costura prá fora e tem medo que a freguesia vai olhar torto prás suas costuras porque não tem overlock, faz o pessoal ver a vantagem de ter uma roupa costurada na máquina: é um privilégio ter uma costureira. 

Qualquer loja vende roupa com acabamento de overlock...

Um probleminha: enfiar os três fios da abençoada máquina. A maioria das costureiras não sabe fazer isso: amarra o fio novo no pedacinho do fio velho e puxa. Só que, se o fio parte dentro da máquina e escapa,  e você não sabe enfiar, tá perdida. Eu não sosseguei até aprender.

Prá ajudar quem já passou por esse aperto, separei 3 vídeos do Youtube que me foram muito úteis (ajudam a enfiar e também a regular o ponto): 





No final,o importante é: faça com capricho, seja na máquina, com ou sem overlock, seja à mão. Mande pro mundo a seguinte mensagem: gosto do que faço, e faço com amor. O resto não importa, vai pro lixo mesmo ou acaba vendido, quase de graça, em um bazar qualquer...

REMENDO DA POSTAGEM

Prá quem se interessar no Bazar, o abrigo que eu falei se chama "Abrigo para a Velhice Desamparada Dr. Adolfo Bezerra de Menezes". Fica em São Paulo, Capital, no maravilhoso bairro da Penha - onde eu embelezo a redondeza, na rua Dona Vicentina Alegretti, 265, telefone: 2164-1800. Contudo,o bazar fica em uma rua lateral: Rua Leopoldo Machado, 270, também na Penha. No site deles diz que vai ter um bazar de primavera agora no dia 19 de setembro, nesse local, das 10 da manhã até as 4 da tarde. Fiquem de olho no site, bem AQUI, e assim vocês ficam sabendo de outros dias. Mas é aquela coisa sazonal: tem hora que você vai e já levaram tudo o que valia a pena, tem hora que você vai e tem toneladas de coisas lindas que você quer levar. Ah, tem uma coisa chata: eles não entregam móveis. Se você se apaixonar por algo grande - mesa de madeira maciça com oito cadeiras, vai ter que arrumar transporte...

O local onde mando arrumar minhas máquinas (a Elgin, a Janome e agora a overlock) é o lugar de sempre: R.F. Máquinas, Av.Cangaíba, 1470, também na Penha, fone 2641-6548. Fica do lado do Correio. É bom porque o moço arruma direitinho e dá garantia (e não cobra caro...).

33 comentários:

  1. Rosa, eu tenho uma overlock bemmmmmm antiga e das chinesinhas e portátil. A dona me vendeu de ódio, pq dizia que não prestava. Comprei só para as costuras ficarem mais limpinhas e olha que tenho ela a mais de 20 anos e tá boazinha!!! Não costura bem malhar fininhas tipo aquelas de camisolinhas para dormir, que escorregam muito. Tirando isso, costura muito bem e uso bastante!!! Mas...eu faço como você, costuro só para as filhas e euzinha ;)
    Ah..Rosa, mostra esse ponto elástico da sua máquina de costura. Eu tenho um Singer e uma Brother nova. bjs e amei o desfecho do post, penso assim tb!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Olívia. O ponto elástico da minha Janome 2008 é bem comum - com certeza a sua Singer ou a Brother nova tem. ele parece umas casinhas de abelha, uns losangos que ficam empilhados. Se você entrar no site da Janome, é o ponto D vermelho:
      http://www.janome.com.br/produtos_detalhes.asp?sukey=39723141237WU74DWM&mukey=39563103706T5OZPNC

      Você é sortuda como eu: costura prá quem ama...
      Beijos e obrigada.

      Excluir
  2. tenho uma,tbm comprei usado ,é muito útil pra mim já ganhei muito didim c/ ela ..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É o melhor tipo de dinheiro: o abençoado pelo trabalho. Beijos e obrigada, Eva querida.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi Menina! Também costuro pra mim e família, só. Tenho duas máquinas de costura velhinhas. Uma é Elgin Brother (é assim q se escreve?) e outra Bela, da Singer. Eu gosto das duas e faço coisinhas de malha, com ponto elástico. Faço calcinhas, soutien e roupas para andar em casa e p dormir. Sempre sonhei com uma overlock. Fala mais sobre as vantagens e desvantagens dela, por favor. Uma grande e carinhoso abraço e parabéns pelo lindo blog (estou divulgando, viu?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,Kira! Obrigada por visitar e por divulgar. Eu também faço como você - gostoso, né, ser assim, auto-suficiente? Se você tiver oportunidade de comprar, faça isso, a costura fica bonita. Mas é como eu falei: não fica muito resistente, tem que dar uma reforçada na máquina. Mas prá quem tem lugar prá mais uma máquina em casa e gosta de fazer caprichado, vale a pena. Beijo!

      Excluir
  5. pombas,voce esqueceu de dizer aonde e o bazar fiquei cu.
    curiosa.susu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga sueli! Perdoa a falha!!! Vou "remendar" a postagem... Beijão!

      Excluir
  6. Vou ver se a Brother tem esse ponto!!
    Obrigada por compartilhar suas artes!!!
    bjs
    Olivia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Comcerteza tem, Olívia: a minha Brother antiga tem... Beijão.

      Excluir
  7. Muito esclarecedor seu post, adorei! Ter uma overloque está nos meus planos futuros, um dia eu chego lá!
    Nossa, você é da Penha também? Que legal! É engraçado que nesse mundo de blogs a gente conhece gente de tanto lugar que acha uma coisa de outro mundo encontrar alguém de perto!
    Vou dar uma passada no Bazar, aproveitando que é perto da minha casa... Quem sabe eu acho algo legal?
    Bjs e parabéns por mais uma postagem nota 10!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal! E você ainda embeleza a Penha muito mais do que eu com a sua presença... Beijos e obrigada.

      Excluir
  8. Rosa, respondendo a pergunta do título: "VELE SIM A PENA!!!" Eu tenho duas overlocks. A primeira foi comprada quando morei em SJCampos, de segunda-mão, chinesa, semi-indutrial (deve ser igual a sua). Fiz tudo com essa máquina, pois quando o ponto está bem regulado (coisa que só lá eu conseguia com o técnico), costurava desde os vestidinhos infantis de tricoline que fazia até pijaminhas e tenho algumas costuras dessa época que o ponto não abriu. Ela colocava elástico também com uma peça que comprei à parte. Eu não vivo sem a minha. Comprei baratinho, com garantia e tudo (coisas de São Paulo e interior mesmo!) Tenho um gabarito que eu mesma fiz de como passar os fios e quando a cabecinha falha, eu recorro à colinha. Agora comprei uma overlock Janome, encantada com a propaganda, mas ainda nem precisei usar porque a minha chinesinha dá conta do recado. Mas reconheço que esse tipo de máquina é para quem tem paciência, quem tem cuidado porque com pessoas ansiosas, desastradas, vai mesmo é ficar praguejando pela compra.
    Eu amo esse tipo de bazar, pois lá sempre se compra objetos raros, histórias de família. Quando compro algo assim eu fico pensando como vivia o dono daquele objeto, quem era, como vivia, o que sentia e os objetos falam, como essa sua máquina que lhe deu algumas pistas da antiga dona, que era uma senhora caprichosa, cuidadosa. Eu tambèm às vezes me pergunto quando eu for embora desse mundo quem vai ficar com minhas máquinas que cuido com tanto amor, quem vai organizar meus paninhos, ler meus escritos, meus projetos, quem vai viver isso. Talvez as filhas vão guardar como lembrança, assim como guardo o relógio (e uso) do nono, da nona, tomo café nas xicaras lascadinhas, passo a mão pelas asinhas e sinto amor, sinto saudade.
    Nossa, escrevi tudo isso por causa de uma máquina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Incrível, Helena, como a gente é parecida!!! Ainda temos, na minha família, um xale de lã que pertenceu à minha avó, todo roído de traças, no qual eu e minha mãe ainda nos enrolamos quando estamos doentes; o rosário que ela dedilhava quando fazia suas orações... Para nós, os objetos são carregados de memórias! Que Deus abençoe as lembranças que você coleciona e obrigada pelo lindo comentário. Beijão.

      Excluir
  9. Oi querida, as vezes confundo o que li se foi no seu blog ou no blog da Helena de tão parecidas que são amo vcs duas e só aprendo com a oficina de pijamas da Helena e com sua dica do ponto elástico (pq a minha singer tem aquele eslástico de fazer calçinhas sabe que vc me mostrou) fiz um pijama lindo e bem quentinho coloquei até bolso, pra que bolso no pijama né? não sei quis esbanjar não parava mais de costurar aquele moletom, mas sabe agora acho que nem preciso tanto de uma overlock, vc e a Helena dizem o mais importante é o capricho e eu concordo. Mas hj vcs 2 me fizeram chorar... DEUS abençoe vc bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É como você disse mesmo, Eliana: eu e a Helena temos muitas coisas em comum...Por outro lado, deve ter ficado lindo o pijama... Assim que der, compra a overlock que você quer, nem que seja à prestação: a gente, que é prendada, merece se dar esse agradinho... Beijos e obrigada.

      Excluir
  10. Oi Rosa, conheci seu blog hj, pesquisando sobre overlocks e confesso que fiquei encantada com suas idéias geniais e as sábias palavras q só uma mãe amorosa sabe dizer.
    Amei esse post sobre a overlock, pois estou querendo muito comprar uma, e desse modelo da sua é mais em conta, então gostaria de te perguntar se vc já usou a sua e qual a sua impressão dela? valeu a pena a compra? e a linha, podemos aquelas linhas de poliester de máquina doméstica ou tem q ser linha própria pra overlock? Fico com medo de comprar e no final acabar tendo prejuizo.
    Beijos e já sou sua fã
    Janaina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Janaína, desculpe a demora - eu estava sem telefone e sem internet porque a Vivo tá trocando os cabos na minha área. Olha, se você puder comprar uma overlock, dessas baratas mesmo, é bom, mas não primordial. Eu costurei uma dúzia de calças de moletom com ela - ficaram lindas, ótimo acabamento mas, com tão pouco tempo de uso (fiz em junho, prás férias no sítio) já estão abrindo as costuras e tenho que reforçar com a máquina de costura normal. Tecido fino, como camisetas, só costura unindo duas partes: se você quer fazer uma bainha no overlock não faz nem em sonho. Tem que usar 3 linhas: uma linha de costura normal, de polyester de cone, e duas daquelas próprias prá overlock (custam barato, menos de 2 reais cada cone e duram bastante). O chato é enfiar, mas prá isso ajuda o vídeo. Se você vai costurar só prá casa, prá família, acho desnecessário: o ponto elástico das máquinas (a maioria tem) dá conta do recado. Mas, pela beleza... Olha, se puder se programar, esperar prá fazer prestação de uma melhor, que encare também tecidos finos, acho que vale mais a pena. Mas essa é a minha opinião... O bom era você ir na casa de alguém que tenha e dar uma experimentada - tipo test drive de carro, sabe? Vai na loja e pede prá vendedora usar a máquina na sua frente e vê o que você sente - usa a tua intuição. Espero ter ajudado. Beijão.

      Excluir
  11. Olá! Não tenho muita experiencia em costura. Agora q comecei pode-se dizer. Ganhei uma Singer 18 pontos a 2 anos do maridão junto com a super mamãe. Com ela faço bermudas para meu meninão q ainda usa fraldas. Roupas das minhas bonecas e alguns artesanatos. Troco ainda ziper e faço alguns estojos escolares, bolsas bem simples. Mas tenho uma enorme vontade de comprar uma máquina overlock. Queria fazer os tapetes frufru. E com elas posso adaptar o aparelho para esses tapetes. Só q o bolso ainda não deu. E onde moro não tenho a sorte de encontrar um bazar como esse. Mas amei seu blog. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sol. É assim mesmo: eu também não sou costureira e comecei fazendo coisas pequenas - lençóis, fronhas, aventais de cozinha, shorts... Aos poucos a gente perde o medo e vai ficando boa. Se você puder comprar overlock é bom, mas pode se virar muito bem sem ela se sua singer tiver o ponto elástico (que parece casinha de abelha). Pega um pedaço de tecido elástico (malha de algodão, etc), costura com os pontos, estica levemente e sente a resistência dessa costura. Quando o ponto é elástico, dá uma esticadinha sem arrebentar. Acho que overlock só compensa se você costura profissionalmente, em grande quantidade. Prá costuras prá família acho desnecessário... Beijos e obrigada por gostar do meu blog.

      Excluir
  12. KKKK Poxa seu post é incrível amei de coração, achei o que eu estava procurando a semanas, eu nem to acreditando nisso parabéns !!
    Só que eu tenho uma duvidazinha olha só minha historinha rsrsrs

    Eu tenho 16 anos e entrei num curso com minha mãe de corte e costura, eu e ela sabemos costurar muito bem, mais entramos só para aprender mais um robe rsrsrs o curso já terminou e minha mãe fez um investimento muito alto comprando maquinas de costurar industrial e outras simples já usadas só que o pior de tudo que as maquinas ficam paradas kkkkkkk sem utilizarmos. aqui em casa tem overloque só que é como vc falou

    (Um probleminha: enfiar os três fios da abençoada máquina. A maioria das costureiras não sabe fazer isso: amarra o fio novo no pedacinho do fio velho e puxa. Só que, se o fio parte dentro da máquina e escapa, e você não sabe enfiar)

    izatamente isso eu não sei fazer ai minha mãe fica com medo de vender as roupas que eu e ela fazemos pq não é costurado com overloque eu fico com um aperto no coração danado kkkkkkkk como custurar e vender as roupas sem usa a danada da overlok? vc tem uma tequina alem de costurar bem? mim ajude por favorrrrrrrrrrrrrrr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Amarilys! Que linda, você costurando bem aos 16 anos - bem melhor do que eu, imagino onde você vai chegar... Você disse que sua mãe fez um investimento em um montão de máquinas usadas - então tem que por o investimento prá render!!! Dar uma revisada nas máquinas (se o dinheiro anda curto, faz em uma de cada vez, num bom técnico). A overlock é mais capciosa - melhor é aprender a enfiar do que depender dos fios presos. Os vídeos que eu postei são muito bons, assista mais de uma vez e depois pratique até ficar craque. Mas é como eu falei: a costura fica bonita, mas não resistente. Se você tem uma máquina com ponto elástico fica muito melhor. A única técnica que eu uso na hora de costurar é a paciência: com pressa a gente erra mesmo. Corto com cuidado, alinhavo sempre (não confio muito em alfinetes, prefiro dar sempre uma alinhavada) e depois costuro. Provo, ajusto se for preciso, faço bainha com capricho - os detalhes fazem a diferença, seja prá gente usar ou prá uma freguesa. Se você vai costurar profissionalmente o capricho é tudo: mantém e amplia a freguesia. E é bom ressaltar sempre que é um privilégio, no mundo moderno em que vivemos e no qual vem tanta roupa fabricada na China, ter uma costureira. Muito sucesso prá você e prá sua mãe, minha querida. Beijos.

      Excluir
  13. Olá Rosa, primeira visita no seu blog e já me encantei. A respeito dos idosos, que triste, eu jamais deixaria meus pais ou avós abandonados assim e espero que minha filha também nunca me deixe, pois é tão triste você dedicar a vida inteira à uma pessoa e quando você precisa do retorno, é abandonado.
    A respeito das máquinas, adoro, cresci vendo (e mexendo rsrs) minha avó costurar, aprendi e aprendo até hoje com ela (aos seus 73 anos :D ) e uma overlock está na lista de desejos deste ano, tenho uma singer brilliance 6160, mas sinto falta do acabamento que a overlock dá, também estou de olho numa brother eletrônica, mas essa vai ter que esperar mais um pouco(senão marido enlouquece, rsrs). Que linda a história da sua overlock, aqui em casa já disse que a máquina singer de ferro da minha avó será minha um dia e tenho a certeza de quando eu me for, as minhas máquinas serão da minha filhota que também já está entrando no mundo das "costurices". Eu com 23 anos sou tachada de velha porque costuro, mas não me importo, adoro costurar e é isso que importa.
    Lindo blog, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa! 23 aninhos... Se a minha memória não fosse de elefante eu já teria esquecido de como era ter essa idade... Parabéns por costurar mas, principalmente, por dar valor a aprender com sua avozinha - trate ela como um tesouro (porque, com certeza, ela é...). Eu não conheço a sua máquina mas pesquisei nas imagens do google e ela é cheia de pontos - Parabéns! Quando der compre uma overlock - mas o melhor é fazer prestação de uma nova, ganhar aula de manejo, etc. Enquanto isso, só a máquina que você tem já dá prá se virar bem a beça. Fui no teu blog e quis deixar comentário, mas não consegui... Então: parabéns pelo blog e pelo talento. Beijo.

      Excluir
  14. oi necesito uma ajuda pra conseguir um trabalho en sao paulo eu soy experto con overlock collaretera recubridora recta dejo meu email dongumaro97@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queria poder ajudar, se eu tivesse uma empresa, te dava uma chance... Vou rezar a Deus que te encaminhe prá um emprego bom. Um abraço.

      Excluir
  15. ei vc tem alguma dica de quando o cone de fio da overlok estoura e a gente tem que passar para outro cone existe um metodo mais facil do enrolar na mão agradeço se responder

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Lu. Infelizmente o único método que eu conheço é enrolar na mão mesmo, a menos que você conheça alguém que tenha um enrolador de linha manual ou elétrico, desses que tem em loja que vende linha por peso... Infelizmente, acho que não vale a pena, perde-se muito tempo - se for um cone só, melhor é comprar outro...

      Excluir
  16. Oi pessoal tudo bem???
    Eu acabei de comprar uma overlock de segunda mão, mas não sei manusear ainda... Alguém poderia me ajudar??? eu não sei como fazer a barra das roupas. Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  17. Oi Rosa!
    Esta é a primeira vez que passo pelo seu blog e fiquei absolutamente encantada com a história que você contou.
    Eu sempre tive um grande fascínio por tudo ue é feito a mão, assim como por móveis,e equipamentos antigos eee bazares de antiguidades, tenho o maior respeito por todo tipo de coisinha que se encontra nesse tipo de lugar,um certa reverência até, pq como vc consigo enxergar que aquilo foi parte da vida de alguem, talvez até parte importante dessa vida que já se foi...
    Cheguei no seu post perguntanto ao google se valia ou não a pena ter uma overlock; minha mãe (que ainda é viva) me deu uma maquina de costura de 50 anos que ela tinha usado apenas 2 vezes, estou super animada pra me aventurar pelas costuras caseiras, mas em toda "receita" ou video de youtube que encontro o tal do overlock está sempre lá, acredita??? Eu chegava a pensar que minhas costuras da máquina é que não aguentariam, imagina qual não foi aminha surpresa quando li o contrário!
    Conhecer seu blog e ler esse post foi um grande presente, uma inspiração pra mim.
    Obrigada por dividir essas histórias lindas com a gente.
    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  18. Oi! Rosa ,já havia estado sem seu blog ,hoje estou aqui mais uma vez, você é bem amorosa no que faz, serve de inspiração. É bem família, coisa de casa, saudades de mãe e de irmãos, é bem assim com uma sabedoria incrível. Quero aprender muito contigo. Abraços.

    ResponderExcluir
  19. Vim procurar sobre ter ou não ter uma overlock e me apaixonei pela maneira que conduz a vida! Que presente mais lindo ganhei aqui! Identifiquei-me com várias leitoras aqui. Li cada comentário/resposta (... e a overlock, em si, até ficou pra 2º plano... rs). Fiquei de coração partido com a estória dos velhinhos esperando pelo que não chega. Ai, ai! E o bazar... sou apaixonada por lugares de 'quinquilharias'. Vejo objetos cheios de estórias, me fascinam! Bom, seu blog vai para minha lista de favoritos dos favoritos... já! Obrigada por esse lindo presente! Santa tecnologia e abertura pra dividir com o mundo sua maneira de ser! Grande abraço! Fica com Deus! ;)

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...