Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Casaco de Moletom pro Papai




Vamulááááá! Fazer um casaco de moletom grosso, quentinho, lindão toda vida e cheinho de bolsos pro papito, que o dia dele tá chegandôôô!

Ó, eu recebi um encarte de uma grife onde Sua Majestade compra as camisas - não vou dizer o nome, mas começa com Vila e termina com Romana, e lá, entre outras coisas caras, tinha um blusão de moleton por meros R$269,00 (DUZENTOS E SESSENTA E NOVE REAIS?!!!), de algodão peruano...

Ah, que pena que o Brasil é um país tão pequenininho - não temos terra prá plantar algodão, temos que comprar dessa potência enOOOOOOrme que é o Peru (olha no mapa, só em São Paulo devem caber uns quatro Perus, senão mais)...

Aí, eu fui lá ver o blusão e - Óh, choque! - aquela coisa com cara de velho, surrado, que alguém com frio ganhou quando pediu por piedade na porta de alguém. Sério, não entendo que moda é essa: umas calças que parecem as que meu irmão usa quando vai lavar o carro, umas jaquetas tão caídas que parecem ter sido herdadas de pai prá filho. Sei lá. Tem gosto prá tudo. Pensa por esse lado: não precisamos mais ter vergonha de uma roupa que, de tão usada, até aprendeu nossos caminhos de cor e salteado.

Esse casaco eu fiz copiando um casaco meu (é masculino, é largo, é grande, tenho que dobrar prá fora as mangas prá caber em mim mas eu adoro, de jeans forrado de flanela xadrez, quentinho e cheio de bolsos e ganhei da minha irmã faz uns - o quê? - vinte anos...). Cabe no meu moleque mas ele não gosta de jeans, então eu fiz de moletom. Foi experiência científica, deu certo, já repeti a façanha e fiz outros 2 - depois eu posto.

Bem, o molde eu fiz com envelopes pardos usados (sovina!) emendados, escaneei, hospedei no Megaupload AQUI, é só baixar, imprimir e mandar bala.

Faz pro Papito, pro "marildo", pro "namoraldo" (não faz práquele que só fica "ficando" com você, prá ele você dá uma "pernáquia", tchau e "bença" - Acorda, "Minina"), faz pro filhão maravilhoso, ou muda o abotoamento e faz prá você.

Tem bolsos prá carregar celular, carteira, lencinho, chave. Melhor ainda: corta bolsos a mais e prega eles por dentro, em espelho dos de fora, prá guardar o "dindin" mais seguro.

Gastei 24 reais de moleton (O QUÊ? MILAGRE DE NOVO?) comprado por quilo, no Bom Retiro. Os botões de martelar, da Eberle, comprei na 25 de Março, por 20 reais o pacote com - chuta - 250 botões. (O QUÊ? O QUÊ? O QUÊ? Eu pago um real cada no armarinho perto de casa! - Agora você vê quanto eles lucram...) A etiqueta bordada foi no Bom Retiro também, paguei R$3,50, o cordão eu já tinha.

Pois é, menos de 30 reais por essa maravilha. O moletom é tão quentinho, tão grosso, uma delícia. O moleque adora, diz que detesta comprar roupa, prefere o que eu faço (brilho de estrelinhas nos meus olhos...).

Prá quem mora em São Paulo, Capital, os lugares que eu comprei são esses:

- Moletom por quilo, SANETEX, Rua Silva Pinto - 350/352, (11) 3222-8095,

- botões na Maluly, Rua 25 de março, 717/719 - Centro São Paulo-SP - Tel: (11)3311-8453 ;

- a etiqueta bordada foi no Bom Retiro também, não me lembro a loja, acho que na Rua da Graça, mas lá tem muitas, é só bater perna. Ah, esqueci de dizer: o moleque usa tudo tamanho G ou GG, dependendo da marca, porque ele, apesar de magrelo, é alto "quinem" um guarda-roupa. A última vez que eu medi ele tinha 1,82 m, mas faz tempo que ele diz que já passou da hora de eu marcar a altura dele com uma faquinha no batente da porta...

Então, é isso. Boas costuras!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...