Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Kelly


Um tempo depois de estar trabalhando na minha casa, quando já conversávamos e ríamos e comíamos um belo prato de arroz com feijão juntas ela, de repente, me disse assim:

-"Sabe, Rosa, você me enganou direitinho!"

Engoli o punhado de comida que tava mastigando, olhei prá cara dela e esperei a resposta...

Ela riu da minha cara, aquele riso gostoso que só gente gorda e de bem com a vida sabe dar, riso de quem está a vontade prá rir com ainda um tanto de comida na boca. Quase engasgou...

-"É disso que eu tô falando! Olha a cara que você faz!!! Quem não te conhece pensa que você é uma mulher brava, metida - uma malvada de primeira! A primeira vez que o "Barba" me trouxe aqui, prá trabalhar na tua casa e eu olhei prá você, me deu um arrepio de medo! Eu pensei 'Essa mulher vai me tratar igual a um cachorro' e olha você aí, um coração de polenta... Ah, Rosa, você engana muito bem!"

E eu pensei que ela também tinha me enganado direitinho... Estava grávida, em vias de ganhar - e não parecia! Sabe aquelas mulheres muito gordas que, quando ficam grávidas, parece que a barriga espalha, que o bebê se acomoda por dentro e a barriga não parece nada mais que uma barriga normal de gordinha? Pois ela começou a trabalhar prá mim e, 14 dias depois não apareceu! Eu não pude sair prá trabalhar, pois não tinha com quem deixar as crianças e então uma assistente social ligou do hospital, dizendo que ela estava lá, tinha ganhado neném e precisava da nossa ajuda!

O Marildo (vulgo "Barba" prá ela...) foi no hospital e, na volta, me contou tudo: ela escondeu que tava grávida por medo de não arrumar trabalho - e precisava muito trabalhar. Ah, a história dela era ainda mais complicada...

Dois meses antes a polícia havia dado uma batida na favela em que ela morava e havia achado montes de droga na casa de um fulano - o traficante do pedaço. O mesmo havia escapado, mas a polícia o estava caçando. O marido da Kelly havia recebido uma "proposta" desse tal traficante: assumir que era o dono da droga e ganhar com isso dois salários mínimos e uma pena de prisão. Se não aceitasse... bem... não ia ver o filho caçula nascer. 

Ele aceitou, obviamente, e agora cumpria pena num presídio no interior de São Paulo. O Marildo era amigo de um conhecido deles e foi assim que, um tempo depois, ela veio trabalhar na minha casa...

Bom, fomos buscá-la no hospital, compramos tudo: fraldas prá nenenzinha, roupinhas, mamadeira, chupeta - até absorventes pro resguardo dela, pois ela não tinha absolutamente nada. Minto: tinha outros 3 filhos, de idades próximas das idades dos meus, tinha um cômodo de tijolo sem acabamento nas paredes e nem piso e todos tinham fome. Quando chegamos na casa dela o seu menino mais novo, Ricardo, da idade do meu Ike, estava sentado peladinho no chão de terra úmida, com meleca verde de tonelada escorrendo do narizinho, chorando desconsolado - e dentro de casa uma menina de 5 anos arrumava uma mamadeira...

O medo da Kelly era ser mandada embora, mas esse medo não virou realidade. Eu pedi ao Marildo que a deixasse trabalhar, que ela trouxesse a menina recém nascida junto todo dia - e, quando eu chegava do trabalho, a gente se revezava nas trocas de fraldas, nas mamadeiras e até no serviço da casa. Nunca na vida vi bebê mais sério, de olhos mais tristes...

Uma vez por mês o Marildo acordava às duas da manhã e dirigia por horas prá levá-la visitar o marido - que acabou viciado em crack na prisão, vê só como são as coisas...

Ela trabalhou prá nós por quase dois anos e só saiu porque arranjou um emprego numa fábrica, onde ia ter mais direitos do que a gente podia dar - saiu sem nenhuma briga, numa despedida mista de tristeza por ficar sem nossa amizade diária e alegria por um novo começo.

O marido dela saiu da cadeia, se livrou do vício com muito custo - mas, graças a Deus, se livrou. Trabalha de segurança noturno em um mercado. 

Só os vejo uma vez por ano, no Natal - e é, de longe, a melhor parte dele. Levamos uma cesta de produtos natalinos, um peru congelado prá ceia, os copos de requeijão que ajuntei durante o ano. A cada ano as mudanças são mais e mais maravilhosas: a construção de mais um cômodo, a troca de uma porta, um banheiro melhor... Nos dois últimos anos em que fui a gente se desencontrou: num deles ela estava ganhando uma graninha extra de última hora fazendo faxina na casa de alguém no dia de folga do trabalho - não tem tempo ruim, essa mulher... No outro ela havia saído com um dos filhos prá comprar presentes de Natal...

Desta vez, nem bem cheguei, ela me viu e, da janela basculante da cozinha semi-aberta vinha o som de sua voz, dizendo: "Logo que eu acordei eu sabia que hoje eu ia ver a Rosa! Eu sabia! Eu sabia!"...

Ela aparece - tão baixinha e tão gordinha como sempre - e me dá aquele abraço esmagador de saudade e atrás dela vem aquela menina mais velha, tão linda e tão trabalhadora quanto a mãe. Me abraça e me beija tanto que quase me sufoca, dizendo "Que saudade que eu tava de você, tia!!!"

Tão bom rever pessoas amadas! Tão bom fazer parte da história delas, vê-las crescer, prosperar, serem felizes!

Orgulhosa, a Kelly me mostra atrás dela uma geladeira - maior que a minha! - comprada pelos dois filhos mais velhos, de presente de Natal. Diz que foi surpresa, que chorou quando foi abrir o portão da rua e viu o caminhão ali, descarregando a caixa - a cozinha ficou ainda menor com aquele monstrão enorme ali dentro! Atrás de mim o fogão, presente de Dia das Mães - me contou que chegou do trabalho, passou por ele e nem reparou - entrou, trocou de roupa e, quando veio fazer o jantar e a marmita, quase caiu no chão, as pernas amoleceram de felicidade com o fogão de cinco bocas que ela queria e mais um ferro de passar novinho em cima, de enfeite, também presente desses dois filhos. Todo mundo de lágrimas nos olhos - lágrimas de felicidade, as melhores do mundo...

A menina mais velha - hoje uma mulher, com os cabelos pintados de pink - fez cursos de estética e trabalha num grande salão de beleza, na Av. Paulista - e se prepara prá, finalmente, começar uma faculdade (na qual seu emprego vai arcar com 50% das mensalidades...). O menino termina no próximo ano a faculdade de Gestão Empresarial e trabalha esse tempo todo no mesmo emprego. 

O menino da idade do meu Ike já é pai há um mês exato e mora com a mulher na casa da Kelly - dormem num colchão disposto no chão da sala, até ajeitarem a vida. É um bom menino, um bom homem, batalhando pela vida, assumindo o que faz e seguindo em frente, com os exemplos da mãe maravilhosa e dos irmãos mais velhos.

A menina de olhos tristes cresceu e se tornou uma mulher de uma beleza avassaladora - estilo mulata Globeleza, vocês já viram? Cobiçada por todos os homens que a viam, acabou abandonada grávida pelo que lhe conquistou o coração e lhe deu olhos ainda mais tristes - mas ela tem uma família linda, que está do seu lado, amando e cuidando. O menino tem quase 3 anos e, de triste, não tem nada - é vibrante e alegre como deve ser uma criança de quase 3 anos.

Ah, tem mais: cinco anos atrás um dos vizinhos da favela, com dez filhos em escadinha, foi embora na surdina e deixou prá trás uma criança que não saía da casa dela e a Kelly acabou mãe de mais uma - o coração dela acompanha o tamanho das suas gordurinhas, é enorme como uma abóbora dentro do peito...

A gente se abraça, a gente ri, a gente chora e esse choro deixa a gente de alma lavada, limpa e feliz...

Na hora de ir embora a gente se aperta nos braços uns dos outros, aquela irmandade que Jesus quis que existisse no mundo, que não vem do sangue mas que faz pulsar feliz o coração e promete se encontrar mais vezes - coisa que não vai acontecer, pois ambas temos vidas corridas (ela ainda mais, pegando três conduções prá ir trabalhar, todo santo dia...). 

Como uma pessoa pode fazer a diferença nesta vida, Meu Pai! Uma mulher tão pequena, com uma força tão grande: reabilitou o marido drogado, encaminhou direitinho os filhos na vida, todos boas pessoas, honestas, trabalhadoras, em meio a tanta adversidade!!! Eu abraço essa irmã que Deus encaminhou prá minha vida de um jeito atrapalhado, que me achava assustadora (depois eu pergunto prá Ele por que Ele me deu essa cara...), que vive dizendo que meu coração é de polenta e digo:

-"É, dona Kelly, cada vez que eu te vejo você me faz muito feliz, mulher... ". Olho pro Ricardo e digo: -"Cuida bem dessa mãe, ela vale mesmo em ouro tudo o quanto ela pesa... Um dia, no Céu, ainda vou entrar na fila prá te pedir favor, minha irmã" - e ela chora e me abraça mais uma vez, antes da visita de Natal acabar.

Bendito seja Deus, que nos permite experimentar a vida, crescer com ela e interagir uns com os outros, aprendendo a ser irmãos.

Que o Natal de todos seja repleto de santas alegrias e que todos comemorem o mais importante dos aniversários na mais profunda e contagiante paz. Amém.

23 comentários:

  1. Que linda história,estou chorando de emoção! Por isso eu digo Rosa, que quando queremos, nada nos impede de ir pra frente. Só fica pra trás quem desiste no primeiro obstáculo! Essa mulher podemos chamar de heroína, pois não desistiu, nem deixou pra trás quem precisava dela! Amizade é assim,simples e sincera, a gente se dá e deixa de ser ofendível quando nos magoam, tenta entender a ação do outro! Obrigada pela linda historia! Feliz Natal e Feliz ano novo, que miras bênçãos sobre você e sua família! bjs Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Feliz Ano Novo, Nina querida! Tudo de bom prá você no ano que vai começar, muita saúde, muita paz, muito trabalho prá se realizar sempre. Beijos!

      Excluir
  2. Linda história, minha amiga. É bom ter coração de polenta, não é? Assim podemos fazer o bem para outras pessoas, com toda sinceridade do mundo. Há quem faça para ficar bem na fita, mas quando há sinceridade é inegável a emoção de ambos os lados. E como é bom fazer o bem, ver o outro feliz. Assim é a vida, nos surpreendendo a cada dia. Minha querida desejo-lhe e aos seus, toda felicidade do mundo. Feliz e Santo Natal! Que Jesus os abençoe muito, muito pelo bem que fazem ao próximo, pois isso não tem preço que pague. Muita paz, amor, alegria, saúde e fraternidade. Abraços sinceros e fraternos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Ligia querida! Que Deus te abençoe, te dê muita saúde e paz e te faça feliz no próximo ano. Beijos!

      Excluir
  3. Bom dia Rosa.
    Acabo de receber mais um presente de Deus,acho que nada é por acaso, ler a sua mensagem hoje me emocionou demais,acho que faço a minha parte aos menos favorecidos,mais você é simplesmente incrível,a sua compaixão e caridade é algo lindo e raro de se vê, e essa mulher é uma vencedora,acho que ambas se ajudaram.
    Meus parabéns pela sua mensagem.
    Seja bem vinda no meu blog.
    Um lindo natal.
    Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mirtes querida! Espero que em 2014 você seja muito feliz, tenha muita saúde, muita paz e fé em Deus prá superar e vencer tudo o que aparecer na frente. Beijos!

      Excluir
  4. Querida Amiga, essa é uma linda história de Natal.
    Desejo que o seu seja muito, muito feliz, na companhia dos seus pintainhos e maridão.
    Muitos beijinhos da Nina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nina querida. Eu também te desejo tudo de bom, minha amiga. Muita saúde, muita paz, felicidade de montão. Beijos!

      Excluir
  5. Rosinha fofa, obrigada pelas suas palavras doces, para si e toda a
    família, paz, saúde e muito amor, para o ano todo, beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mira querida! Felicidades prá você e seu marido, que Deus abençoe vocês. Beijos!

      Excluir
  6. Rosa, minha querida Rosa, sua vida emociona mais do que filme da Disney! Rsrs A alegria de receber ao dar é fantástica! O sorriso, as lágrimas, o amor... e no final aquela sensação de quem tem tudo o que precisa e talvez até mais... Enquanto muitas pessoas vivem infelizes mesmo tendo muito.
    Que Deus transborde, sempre, em sua vida e de sua família, muita prosperidade, muita paz, muito amor e muita saúde. Que tenhas um natal maravilhoso junto aos seus e que 2014 chegue com esperanças e realizações.
    Um grande beijo e um forte abraço
    Mara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mara querida! Que Deus abençoe a você e a toda a tua família, com muita saúde e muita paz. Que Tenham um 2014 maravilhoso. Beijos!

      Excluir
  7. Que história heim , obrigado por compartilhar,obrigado pelo carinho
    que sempre seja esta pessoa linda que você é, o mundo precisa mais de gente assim como você que só quando conhecemos melhor vemos o quanto é bela.
    beijinhos
    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Simone querida! Um 2014 maravilhoso prá você e prá família, com muita paz e saúde. Beijos!

      Excluir
  8. Rosa, querida, enntrei aqui para lhe deixar uma mensagem de Natal e recebo essa linda mensagem - a verdadeira mensagem de Natal! Linda história, um exemplo de vida. Que Deus continue lhe dando sabedoria para modificar vidas assim.
    Um lindo Natal junto aos seus.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Helena querida! Tudo em dobro prá você, que Deus te abençoe, te proteja e te faça feliz. Beijos!

      Excluir
  9. Maravilhosa! Deixei pra ler agora enquanto a casa não acordou... me emocionei, história de gente de verdade e linda que nem tu. Que Deus continue te abençoando pra que possa continuar por ai espalhando o bem. Feliz Natal pra ti teus familiares.
    Bjus!!
    Liege

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você veio, Liege! Que o ano de 2014 seja maravilhoso, com a proteção de Deus. Muita saúde e paz, minha querida. Beijos!

      Excluir
    2. Oi Rosa , eu sempre venho, infelizmente não é sempre que consigo comentar. Preciso de tuas palavras ela me confortam e dão um calor gostoso no coração.Depois que minha irmã virou anjo, quase não falo com ninguém, mas aqui contigo é como se te conhecesse a mt tempo e me sinto bem, me sinto viva!Adoro vir aqui...desejo que em 2014, continue assim espalhando sementes de amor e conforto por onde passe.
      Bjus!!!
      Liege

      Excluir
  10. Que bom conhecer pessoas assim! E eu digo isso dos dois lados: você a ela e ela te conhecer também.
    Rosa, um Feliz Natal prá toda família,muita alegria e paz!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tava sentindo a tua falta, Luci querida. Fiquei feliz em ter você aqui, sempre comentando tão carinhosamente o ano todo... Que Deus te abençoe, minha querida, te dê muita saúde, paz e felicidade no ano que vem aí. Beijos.

      Excluir
  11. Rosa linda,
    obrigada por compartilhar essa história. Que Deus continue abençoando a Kelly e a sua família e a você e sua família.

    Bjo bem grande, Feliz 2014, com muita saúde e história prá nos contar!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisana querida, que 2014 seja maravilhoso prá você, pro marido, prás crianças, que haja muito trabalho, muita saúde, que não faltem momentos alegres prá recarregar as energias e que Deus esteja sempre presente, protegendo a todos. Obrigada. Beijos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...