Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Prá estômagos fortes...



Hoje é aniversário do "Marildo", "Sua Majestade", "el Patrón", meu colega de quarto... É bem como disse o poeta mesmo: "Grande é este amor meu de criatura/ Que vê envelhecer e não envelhece...". Mesmo porque o tempo passa glorioso prá ele: enquanto eu vou ficando um caco, tendo que catar pedacinhos meus ao longo do caminho, lá está ele, grisalho e maravilhoso - meu deus grego!

Mas não foi na sorte que eu ganhei essa mega-sena - homem lindo, inteligente, disputado. E eu era apenas eu: magrelinha (menos de 40 quilos, corpo de moleque, sem peito, sem bumbum...), vestida bem modestamente. 

A vida naquele tempo tava uma meléca - prá não dizer coisa pior... Não entrava numa faculdade pública, não conseguia emprego prá poder seguir com a vida, pagar uma faculdade particular... Naquele tempo não tinha Prouni, Fies... Um beco sem saída.

Daí eu pensei em fazer serviço voluntário - o melhor jeito de não pensar nos seus problemas é ajudar os semelhantes; você se sente útil, se sente capaz, se sente instrumento divino no auxílio a quem tem menos ainda que você. E também pensei: "Quem sabe assim Deus se lembra de mim"... 

Então fui.

Quem foi a primeira pessoa que eu encontrei quando fui me voluntariar? "Sua Majestade" - o próprio. Não fui com a cara dele logo de imediato: segurou uma de minhas mãos entre as dele, aconchegada bem no meio, olhou nos meus olhos, conversou comigo sorrindo - Eu, hein?! Parecia um fugitivo do seminário de padres, me chamando de irmã prá cá, irmã prá lá... Achei super esquisito...

Tinha um montão de atividades e, pelo menos naquele tempo, era cheio de jovens participando (é, eu já fui jovem...). Tinha visitas a asilos de idosos, de deficientes, orfanatos, lares de crianças em situação de risco, com pais encarcerados. Ele me escolheu como parceira nas visitas - e tinha pelo menos meia dúzia de garotas querendo meu lugar. Todas lindas, umas loiras, outras morenas, uma japonesinha - e ele escolheu eu - o patinho feio da ninhada...

Daí, um belo dia, os rapazes e as garotas do grupo aproveitaram que ele não tinha vindo e encheram minha cabeça contra ele - como "toda garota bonita nova que entra no grupo cai nas armadilhas dele...", (e eu pensei - "disseram que eu sou bonita! hi, hi, hi!") "que já tinha 3 grávidas" e blá, blá, blá.

Na verdade, ele tinha uma namorada grávida, com a qual desejava se casar - mas a família dela era contra, por achar que ele estava abaixo do nível sócio-econômico deles. Foi daí que saiu minha enteada... Por mais que ele fizesse, não deixaram eles se casarem... Na verdade, ele me escolheu como parceira (me disse um tempo depois...), porque eu não fazia o tipo dele, ele realmente não me achava bonita e (o mais importante!) eu não dava em cima dele! As outras garotas (as bonitonas) o assediavam descaradamente e, como ele queria permanecer fiel à namorada, me escolheu porque eu não representava perigo!

Tá, mas ainda não explica como ele acabou nas minhas garras... 

Eu sempre fui muito realista - se acho que uma coisa não é pro meu bico, nem vou atrás. Ele era muita areia pro meu caminhãozinho - eu não tinha nem chance, com tanta concorrência.

Até que um dia, voltando de uma das visitas em Ferraz de Vasconcelos, descemos do ônibus no centro da Penha, bem perto do Largo do Rosário. Íamos caminhar um pedaço juntos prá daí cada um seguir prá sua casa - isso era umas 8 horas da noite. 

Caminhando pelo largo reparei um cheiro ruim - imaginei que algum mendigo devia ter feito suas necessidades ali por perto, atrás de algum arbusto...

Sentado num dos bancos do largo estava um velhinho, de terno cinza claro, com um chapéu, todo arrumadinho. "Sua Majestade", então, se aproximou do velhinho, começou a perguntar se estava tudo bem - ao que o velhinho, aéreo, nada respondia, um fio de baba escorrendo no canto de sua boca entreaberta. Olhando prá sua calça clarinha reparei uma grande mancha e pensei "O velhinho fez xixi na calça...". Era mais que isso.

O velhinho tinha tido um AVC - Acidente Vascular Cerebral, um derrame. Tinha até feito cocô na roupa...

"Sua Majestade" me pediu que chamasse um táxi e agarrou o velhinho no colo. O motorista, quando sentiu o cheiro, queria ir embora, mas o "Marildo" lhe assegurou que o carro não ficaria sujo - que ele iria levar o velhinho no colo, durante todo o trajeto.

Fomos até o hospital da Penha - um cheiro!!! Lá "Sua Majestade" contou o ocorrido à atendente, disse onde o havia encontrado e fomos embora - ele à pé, pois todo o dinheiro que tinha pagou o táxi.

A calça jeans dele estava toda suja de fezes - e eu digo: nunca houve homem mais lindo na Terra.

Um pouco antes dele pegar o velhinho no colo ele tirou seu moletom e me entregou, prá não sujar - era um blusão cor de margarina, com um escorpião desenhado na frente. Acabou deixando o moletom comigo - esqueceu...

Naquela noite nem dormi, abraçada com o moletom dobradinho, sentindo o cheiro do desodorante ele. Minha cabeça era uma tempestade: parecia que eu tinha encontrado o maior tesouro sem dono do mundo e não tinha como pegar prá mim!!! Era essa bondade que eu queria na minha vida, essa força, esse coração! O fato dele ser bonito era só um pequeno bônus - por dentro é que ele era ainda mais do que lindo...

Daí me lembrei do que minha avó dizia: "É sempre mais rápido chegar ao coração de um homem pegando o atalho que passa pelo estômago". E ela não me ensinou a cozinhar? 

E assim fiz. Todo fim de semana, quando saíamos pros voluntariados, eu levava dois lanches bem caprichados - dois pedaços de torta, dois sanduíches... Fazia com o que tinha: espinafre do quintal, berinjela...

Boa companhia, boa comida, boa conversa, bom ouvido... Foi assim.

Chegou uma hora ele disse que não conseguia imaginar a vida dele sem eu do lado, que parecia que me conhecia a vida toda, que eu tinha estado do lado dele desde que ele nasceu...

E até hoje me dá um trabalhão enorme mantê-lo do meu lado - meu submarino vive sempre em alerta amarelo, pronto prá batalha nos mares - não dá prá relaxar. O que custou muito a conquistar tem que ralar prá manter - é isso que eu penso.

Ele vem prá casa, xereta as panelas, come cantarolando... Vem do trabalho, senta no sofá e diz "Lê prá mim?" - e a Sherazade aqui continua suas "trocentas" mil e uma noites de histórias, mantendo o rei satisfeito e feliz.

Mas não acaba aí a história - tanta pedrinha mudou de lugar, enquanto a água rolava debaixo da ponte...


25 comentários:

  1. d rosa adoro suas histórias, e tenho certeza que tudo que passamos na vida tem um proposito de deus, eu também tenho uma filha de um primeiro relacionamento e também não me casei, 3 anos depois conheci meu marido ( que tbm era muito disputado rsrsr)casamos apesar de uma torcida contra enorme, e estamos comemorando 14 anos juntos. deus apesar das dificuldades coloca sempre tudo no tempo e lugar certo.a gente que na maioria das vezes é que não entende isso. desejo muita saúde e felicidade pra senhora e sua família. bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha sogra sempre dizia: "Eu planejo e Deus realiza". às vezes a gente quer tanto uma coisa, mas acaba conseguindo outra muito melhor, graças a Ele. Beijos e parabéns pelos 14 anos de felicidades!

      Excluir
  2. Pois é ...Rosa, rosinha, mal abri sua página e já dei gargalhadas e já chorei!!!!

    Deus que abençoe o Marildo, com muita saúde, pois sem saúde, nada feito!!

    Pelo seu relato, é um desses raros humanos que carrega dentro de si o amor, o respeito ao próximo!!

    Ah, menina, tenho certeza que você também é linda - tem a beleza exata...para a sua idade!!!

    Rosa, segunda-feira vou na minha primeira aula de tricô...kkkk...estou ansiosa, minha avozinha e mamys só no crochê...sempre...então nunca aprendi a fazer tricô...será que conseguirei...duas agulhas...ai...

    Querida, tenha um lindo final de semana ao lado do Marildo sortudo por ter te escolhido!!

    beijinhos,

    Lígia e =^^=

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, eu devo até ser linda: prá minha mãe eu sei que sempre fui, meus filhos me acham linda também... O Marildo nunca me disse que me achava linda - mas me ama assim mesmo, então tá bom... Quanto ao tricô: vai com fé que você aprende, é gostoso demais quando a gente pega o jeito. Sabe que meu marido, quando pega um dos meus novelos de lã diz que acha lindo pelas possibilidades que estão dentro do novelo, simplesmente quando vão prás minhas mãos e algumas agulhas. É algo mágico tecer - você sabe disso, pois faz crochê, que é uma arte maravilhosa... Mas nada impede que você amplie seu talento, não é mesmo? Beijos!

      Excluir
  3. Parabéns ao marildo,e muita saúde, porque felicidade ele já tem bastante, com toda certeza, ao seu lado! Mas nunca é demais.
    E eu nunca duvidei do seu poder de sedução, pois você sabe 'fazer de tudo' e bem feito e assim consegue agradar todos que te conhecem!! Você merece o companheiro que tem!!
    Linda a sua história de amor. Têm segundo capítulo?? quero mais!!!
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem muitos capítulos, quem sabe aos poucos eu conto mais... Beijos e obrigada pela sua bondade, Luci querida!

      Excluir
  4. 'Colega de quarto' é boa rsrs
    e 'fugitivo de seminários de padre'?! kkkkk

    Sabe que quando eu conheci o meu marido, ele também parecia um seminarista? ainda tirei sarro, mandando ele pisar na barra da calça. lógico que ele não conseguiria, era muito curta, pega siri, ridículo rsrs

    Li o teu relato bem-humorado, e fiquei imaginando as cenas, que coisa linda, virei fã dele rsrs
    Acho mesmo, que estava previsto vocês ficarem juntos. algo no universo é capaz de juntar duas pessoas tão especiais assim. porque te acho maravilhosa, Rosa.

    Feliz aniversário pro teu marido! que sigam juntos, realizando um mundo melhor.

    Querida, eu havia sumido, devido ao falecimento do meu sogro. foi tão inesperado que perdi o rumo.

    bjs



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que pena o falecimento do seu sogro, é sempre uma dor muito grande quando alguém que amamos se vai prá junto de Deus... Mas, com o tempo, irá doer menos, e - no final das contas - aqui não é nossa casa mesmo, não é? Nascemos prá um mundo melhor, junto de Nosso Pai - e seu sogro só se antecipou a nós na viagem de volta. Beijos.

      Excluir
  5. Rosa, você é muito divertida! Tirou a sorte grande, pois marildos bonitos por dentro são raros! Eu tenho um e não largo de jeito nenhum! Não é um Brad Pitt, mas amo como se fosse!Foi ele que me conquistou ao longo dos anos de casamento e sou feliz assim!Tenha um ótimo fim de semana! bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, então você foi a conquistada? Que bom, deve ser uma delícia ser o prêmio!!! Parabéns e uma linda semana!

      Excluir
  6. Ai Rosa que história linda!
    Adorei você chamá-lo de colega de quarto...rsrsrs
    Seu marido é um ser humano muito especial, mas se ele te escolheu é porque você é tão especial quanto ele...não se subestime.
    Vida longa ao casal!
    Bjs e ótimo final de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mas eu não me subestimo!!! É só que ele é o recheio da empadinha, sabe como é, por causa a vida é mais ensolarada, por causa dele eu me melhoro a cada dia... Beijos, Doutora querida!

      Excluir
  7. Olá Rosa! Sua história de amor mais parece de novela. Além de ser lindo ele ainda tinha bom coração. Impossível não de apaixonar por ele não foi???Parabéns a ele pelo niver e por ter escolhido vc para companheira.Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Célia, mas lembre-se que a beleza está nos olhos - por acaso outras mulheres também viam a beleza que eu via... Beijos e obrigada!

      Excluir
  8. Rosinha querida, acabei de me deliciar com o teu relato. Tão lindo!
    Parabéns e muitas felicidades a esse deus grego, pelo aniversário, mas também por ter ganho a loteria no dia em que te conheceu ... Homem de sorte!
    Beijo, linda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Nina! Meu deus grego agradece!!! Beijos.

      Excluir
  9. Lidoooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!! Que maravilha existir uma pessoa assim linda por dentro e pro fora!! Parabéns para os dois!!!
    Bjus!!
    Liege

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Liege, adorei o entusiasmo do seu comentário! Beijos e obrigada mesmo!

      Excluir
  10. Muito interessante seu relato. Perceba que nenhum dos dois ficou “caidinho” pelo externo do outro. Mesmo você achando que ele era “bonito” só se apaixonou por ele quando enxergou a alma. Esse é o segredo da verdadeira felicidade. Porque ao longo dos anos o encanto externo vira desencanto... as rugas, os cabelos brancos, as doenças físicas, enfim, são tantas coisas... mas, quando o amor é assim... não tem fim, apenas se multiplica. Que vcs sejam sempre presente, um para o outro, no verdadeiro amor, abençoado por Deus.
    Bjs
    Mara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo o que você disse é tão certo! Amor de verdade transcende as aparências, não é mesmo? Muito obrigada pelo sábio comentário. Beijos, Mara querida.

      Excluir
  11. Ai Rosa, tive que ler seu relato hj em 3 etapas, mal podia esperar prá ler mais, sabe aquele comichão... só mais uma frase, só mais uma frase....
    Eita homi lindo da pêga!!!(posso soltar meu alagoanês, né?) Que qualidades admiráveis. Agora eu entendo porque seus filhos são tão bons, vem da perfeita combinação genética de vcs 2.
    esperta a sua vó :D, mas vc o conquistou pela pessoa que é, a comida foi a estrada que o levou ao jardim da Rosa :D
    ficou no jardim porque a Rosa é uma mulher de valor, linda no sentido mais completo da palavra, perfume de vida, mãos de artista. Ele também deu a maior sorte. Parabéns aos 2.

    Obrigada por compartilhar, vou ler novamente, e novamente, e novamente.

    gde beijo!!!

    ps: meu pai foi fugitivo do seminário... hahaha!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já te falei que o "Marildo" é alagoano? Adoro "alagoanês"... Que demais seu pai ser fugitivo do seminário!!! Se fosse no tempo de Cristo, ele não precisava fugir - Pedro era casado, não era? E foi a pedra fundamental da Igreja... Beijos!

      Excluir
  12. não sei como perdi esse post...
    obg por me cutucar, minha vida tá me atropelando, malabarismo com mta bola... trabalhando mais noites, e agora fui inventar de plantar umas florzinhas no quintal, coisa inocente, inadvertida, sem suspeitar que estava me metendo num projeto de excavação de erva daninha que envolveria 2 casas adjacentes... ou eu ou ela... vamos ver quem vai sobreviver. ô praga!
    tenho que postar a minha calça, prá vc me dizer o que acha e me dar dicas. tenho um monte de coisa prá postar, na verdade.... o que me leva à segunda frase desse comentário... mas é assim né?

    bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda vai plantar florzinhas no quintal e travar batalhas com ervas daninhas? Até quando descansa carrega pedra... E agora tô me sentindo com a maior moral, dando palpites nas roupas que você faz - tadinha "dEu"!!! Tô esperando prá ver. Beijos!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...