Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Olhando só para ele

Conta-se que Ciro, rei da Pérsia, durante uma de suas campanhas, venceu e aprisionou um príncipe da Líbia.

O príncipe foi levado ao rei vencedor, juntamente com sua esposa e filhos.

Após examiná-los bem, Ciro disse ao príncipe:

- Que me dás se te conceder a liberdade?

- A metade do meu reino - foi a resposta.

- E se der liberdade, também, a teus filhos?

- Entrego-te, nesse caso, a outra metade do meu reino. 

- Que me darias, então, pela liberdade de tua esposa? perguntou o rei persa.

O príncipe percebeu, então, que havia agido precipitadamente: ao oferecer tudo o que tinha, havia esquecido de sua companheira... 

Depois de meditar por um momento, declarou com firmeza:

- Entrego-me a mim mesmo pela liberdade de minha esposa.

O grande rei ficou tão surpreso ao ouvir esta resposta, que concedeu a toda a família sua liberdade - sem exigir resgate, nem fiança.

Ao regressar ao lar, impressionado estava o príncipe pela generosidade e grandeza do conquistador. Perguntou então, à sua esposa, se ela havia reparado como era serena e altiva a fisionomia do soberano persa.

A delicada esposa respondeu:

- Não olhei absolutamente para nada, pois tinha meus olhos fixos naquele que estava disposto a dar-se a si mesmo pela minha liberdade.

Como seríamos felizes se esta fosse a confissão de nossos corações no que se refere ao Cristo: Aquele que ofereceu mais que sua liberdade por nós - ofereceu sua própria vida! Se mantivermos nossos olhos fixos nele, não teremos ocasião de olhar para os defeitos e falhas de nossos irmãos, de invejar, cobiçar ou julgar o que não é do nosso interesse.


(conto extraído do livro "Lendas do Céu e da Terra", de Malba Tahan - adaptação minha)

10 comentários:

  1. Tia Rosa como sempre perfeita né? bjão querida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem longe da perfeição, mas perseguindo ela por toda a vida... Beijão e obrigada pela bondade, querida Clícia.

      Excluir
  2. Grande declaração de amor, por atos, não apenas por palavras. É esta a única forma válida de a fazer, seja a uma mulher, a um Deus, a uma causa.
    Lindo, Rosa, linda Rosa!
    Beijo, beijo ...

    ResponderExcluir
  3. Amei! Que lindo!Falar do amor é fácil, agora agir e fazer como Cristo, que nos amou e ama de tal maneira que nesta vida jamais poderemos compreender verdadeiramente, é bem diferente. A única coisa que Ele nos pede é procurarmos amar como Ele amou, viver como Ele viveu!
    Obrigada por compartilhar algo tão belo!
    Bjos!
    http://docesalinhavos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou, querida Miriam. Eu, particularmente, sou fã incondicional de Malba Tahan e seus contos - meus filhos cresceram ouvindo essas estórias. A gente só tem a crescer com elas. Beijos e obrigada.

      Excluir
  4. Oi Rosa, querida.
    Ontem à noite fui dormi lendo algumas postagens antigas de seu blog. Passei a admirá-la mais.
    Depois eu leio mais.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Helena. Suas postagens antigas também estão presentes no meu dia-a-dia - me servem de inspiração. Beijos.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...