Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Último diaaaaa!




Participa prá ganhar, colega! 

NÃO PRECISA TER BLOG!

NÃO PRECISA TER FACEBOOK!

É só clicar prá seguir o blog e deixar um comentário dizendo qual cachecol gostaria de ganhar - mais fácil, impossível!!!

Clica nesta postagem AQUI, vira seguidora,deixa um comentário e cruza os dedos - o sorteio é amanhã, 01/03/2013!

VAI QUE "OCÊ" GANHA...


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Penúltimo dia!!!

Pois é: Amanhã acaba meu concurso... Sexta feira vou sortear um cachecol feito por mim, no concurso mais fracassado da internet... 

Acho até que vou marcar na folhinha, prá comemorar o aniversário ano que vem...

Só digo uma coisa: acho que cachecol é um acessório que anda meio caído, ninguém quer - pelo menos o meu pouca gente quer... E é tão simples participar: tem que se tornar seguidor do blog e fazer um comentário nesta postagem AQUI. Pronto! Tá concorrendo!É de graça e demora tão pouquinho...

Bom, prá você que não gosta de participar de concurso, o que eu posso fazer? Dar a receita do cachecol, que é prá você procurar uma tricoteira perto de casa e pagar prá fazer.

Tipo: Este aqui...


RECEITINHA DE MÃE:
6 mil carreiras na máquina, laçando 3 agulhas, dando um espaço de quatro agulhas vazias e laçando mais 5 agulhas. A cada 1000 carreiras tecidas faz uma marquinha com um pedacinho de lã ou linha, na lateral menor. Quando acaba, arremata com o remalhador. Passa a ferro toda a fita de tricô. Então, passa cola branca na ponta da linha, espera secar (prá ficar parecendo uma agulha) e enfia as contas (pérolas, miçangões, o que quiser...) e, com agulha de crochê, faz um barrado intercalando as contas na parte mais larga dessa longa fita de tricô. Depende de quantas pedrinhas você tem, faz uns 10 pontos baixíssimos, põe uma pedrinha - e por aí vai... Quando acabar, não corta o fio, mas começa a fazer o babado do lado em que a fita tem somente 3 pontos - igual eu fiz neste cachecol AQUI

No cachecol branco fiz 2 mil carreiras a mais, mas é fácil, só que demora um pouco (por causa das pedrinhas), e é barato, além de ficar lindo - alguém duvida?

Então, faz - ou participa... Quem disse que a sorte não tá do teu lado??? 

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O que se faz com...


Um metro de tecido?

Três reais?

Bom, um montão de coisas, se for eu... Já fiz vestidos e camisas prás minhas filhas com apenas um metrinho de pano...

Agora... Três reais? 

Pois é: quando fui na 25 de março e comprei o cetim charmeuse com o qual fiz as cuecas samba-canção pro Marildo, tinha esse tecido estranho - parecia crepe, parecia laise, todo bordado. A cor não era lá essas coisas, então comprei só um metro, pensando em fazer dois shorts. 

Quando o Marildo olhou, fez cara de "cavalo dado não se olha os dentes" e disse: "Devia ter comprado mais cetim, esse pano não é bom prá fazer nada... Muito feio...".

Encarado como desafio, resolvi utilizar o pano prá mim e vejam só no que deu: com apenas esse pedaço de tecido fiz um regatão muito bonito prá mim. O comprimento não era suficiente, mas resolvi assim: 

Nas emendas dos ombros apliquei gripure preta e, nos acabamentos, simplesmente usei viés preto de um resto de crepe que eu tinha: 


O acinturado vem dos cintinhos, presos ao corpo do vestido com simples pences na frente.

Se você nunca costurou na vida, esse é um projeto fácil que você pode se arriscar sem medo - e se sentir satisfeita depois. 

O Marildo ficou de boca aberta... Tadinho... Já devia estar acostumado de que eu estou sempre certa...


domingo, 24 de fevereiro de 2013

Blusinha rosa



Modesta - sem dúvida - mas nem por isso perde nada: é linda, facílima de fazer e custou (pasmem!) 8 reais. No armarinho MN, na av. São Miguel, 4546, você compra linhas Brisa e Anne Brilho, entre outras, de saldão, a preços incríveis! Dois novelos de Anne Brilho a R$3,95 cada, renderam essa blusinha linda prá minha sobrinha Bibi, maníaca por rosa. 

Usei regulagem 10 na minha Elgin 840, não usei frontura (prá quem achava que a máquina só tem serventia se tiver frontura, agora pode ter certeza e exultar de alegria porque estava redondamente enganada) e fiz os acabamentos em crochê. Uma delicadeza...

Faz usando esta receitinha minha AQUI (só que faz a frente em peça única, sem dividir em duas prá abotoar - e, ao invés de fazer somente um furinho, faz florzinha...) e seja feliz!

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Pirão Suave de Atum

Receita premiada - acredite se quiser! Com ela ganhei um microondas e uma cesta de produtos Knorr, num desses concursos passados. Peninha - só fiquei entre as cem finalistas: as 10 primeiras ganharam fogão e geladeira e a campeã ganhou também 10 mil reais!!! Genial - a ganhadora: fez coxinha de feijão preto com recheio de catupiry (prá fazer os netos comerem feijão...). 

Eu - com meu pirãozinho moleza de fazer - nem achava que tinha chance... Dei sorte.

Vamulá:

PIRÃO SUAVE DE ATUM (5 pessoas)

Ingredientes:

2 latas de atum light (pode usar o atum em óleo, mas fica oleoso demais... Não use o atum ralado, é um lixo, parece uma gosma cheia de pedaços de cartilagem. É atum em "lomos", como tá escrito na lata.);

2 tomates bem vermelhos picados ou passados no processador;

1 cebola pequena picada bem miudinho ou ralada;

2 colheres (sopa) de óleo ou azeite (se você usar o atum no óleo, use esse óleo);

1 colher (chá) rasa de sal;

Pimenta e cheiro verde à gosto;

1/2 vidro de leite de côco;

12 colheres (sopa) rasas de farinha de milho amarela.

Modo de fazer:

Frite bem a cebola no óleo, acrescente o tomate, refogue bem. Junte o atum em pedaços e mexa, mas sem desmanchar muito o atum. Jogue o leite de côco, salgue e deixe aquecer um pouco o leite, sem ferver (+/- 1 minuto e meio). Vá despejando as colheres de farinha de milho aos poucos, mexendo à cada adição e, por fim, junte o cheiro verde. Pronto!

Sirva com agrião refogado e arroz integral que tá bom demais. Ou como tá na foto, arrumadinha numa travessa com vagens fritas alho e óleo - do jeito que o patrão gosta...

É uma maneira prática de fazer principalmente crianças comerem um prato à base de peixe sem dar trabalho, ficando gostoso e custando pouco. E se você nunca experimentou prato salgado com leite de côco - tá na hora de abandonar esse preconceito que é uma delícia!


Quando fui classificada entre as finalistas do concurso, uma moça da Knorr ligou prá minha casa querendo saber como foi que eu criei esse prato. 

Eu disse a ela que, um belo dia, estando eu atarefada passando roupa depois de já ter preparado o almoço com antecedência, liga prá casa o "Marildo" perguntando se eu tinha feito peixe pro almoço, que ele tava morrendo de vontade de comer peixe - isso 11 e pouco da manhã, faltando menos de 1 hora prá ele chegar (só homem prá pensar que a gente torce o nariz como "A Feiticeira" ou pisca como a "Jeannie é um gênio" prá fazer aparecer comida assim, do nada...). 

Inventei o prato na inspiração divina, só pro pobrezinho não passar vontade...




quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Outro vestido


Como diz minha amiga Nina, do blog O Meu Pensamento Viaja , do tipo lavar e vestir. Fiz prá minha irmã, que tá meio pesadinha, assim veste fácil e fica bonita. 

A Modelo, prá variar, é minha Naninha (tudo fica lindo nela...). 

Malha fria, comprada por quilo, baratinha, na loja Niai Chohfi, na 25 de março - mais um vestido que custou 4 reais (menos que um pastel e um caldo de cana...). 

Prá fazer é simples: o que dá a forma ao vestido é o cinto. Espia só:


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Concurso Coats

Da Inez, do blog Como no Tempo da Vovó... Link prá participar:

Tia Joanita e sua bolsa

Quando a gente se casa, consegue mais do que apenas uma companhia prá caminhar junto pela vida... Tudo o que a pessoa traz de bagagem chega junto - experiências, hábitos e... familiares!

Posso me considerar uma ganhadora sozinha na megasena: ganhei uma enteada que me ama e montes de tias - mulheres fantásticas, inteligentes, super bem humoradas e (acima de tudo) amorosas. Todas tão unidas, com histórias passadas tão duras e sofridas e, ao mesmo tempo,  tão "levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima"! Lições preciosas de vida.

Infelizmente, o tempo tem dessas coisas: enquanto passa, vai nos furtando, aos poucos, tudo o que ele mesmo havia nos dado...

Cada uma delas, quando morreu, levou consigo um pedaço do meu coração, me deixando em troca saudade e lembranças...

E agora só me resta uma: Joanita. Prá ela fiz esta bolsa, prá poder carregar um montão de coisas e se lembrar, enquanto faz isso, que eu carrego muito amor por ela no meu coração...

Não tem molde: seriam quatro retângulos de tecido, mas tive que diminuir de um lado prá caber na alça de madeira.

Olha o lado de trás:

E olha o detalhe de fuxicos com botão de strass (depois de feitos, colei com cola quente):

Primeiro de tudo: tecido de fora = crepe madame (brilha de um lado como cetim, do outro é meio áspero); tecido de dentro = oxford. Enfeite = passamanaria (gastei uma peça inteira).
Depois de enfeitar, cortei a manta do mesmo tamanho...

Depois de enfeitada a parte da frente, passaei um zig bem largo (comprimento do ponto = 4) por toda a volta, prá unir a manta acrílica nessa parte.

Agora por dentro: bolsos...
Alfineta e depois alinhava

Tá vendo que moleza? Costurei só no zig...

Depois é só passar o enfeite por cima que ninguém fica sabendo...

Porque as fotos teimam em ficar tortas?

Do lado de dentro põe um bolso com zíper de um lado e um outro bolso grandão com divisões, prá guardar chave, celular, carteira, sem deixar solto na bolsa.

Faz o quadrado do fundo.



Peguei papelão, forrei com EVA, colei com aquela fita adesiva metálica (silver tape)e fixei no fundo da bolsa com cola quente (prá dar estrutura). 


Aqui eu medindo, antes de costurar prá fechar a bolsa...


Direito com direito, costura toda a lateral da bolsa e depois desvira. 

Depois que costurou tudo, prega na alça. Eu alinhavo tudo o que eu faço - prefiro isso do que ter que desmanchar porque deu errado.

Coloca um fecho imantado e pronto!

Não ficou fofa? Tia Joanita adorou. Ela sempre diz que o "Marildo" é um homem de muita sorte por me ter - mal sabe ela que a sortuda sou eu, por ter ganhado tanta gente linda quando conheci ele mas, deixa quieto...   

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Prá conquistar o mundo!!!


Huá! Huá! Huá! Huá! Huáááááá´! (minha risada do mal...).

Pode não ser meu neto de sangue, mas esta avó de contrabando pode ser a peça que faltava pro moleque conquistar o mundo: pelo menos, ela foi quem fez seu primeiro mínion (da animação "Meu Malvado Favorito" - já assisti cinco vezes...).

Tá, ele parece meio perdido, não tem cara de conquistador, mas vai crescer...

A receitinha taqui:

Os pés são meinhas feitas na máquina - não sei fazer meias à mão, então não posso dar uma receita alternativa - sinto muito...

O topo da cabecinha fica igual a uma boina - diminuições intercaladas:

A roupinha é bem simples:

Na verdade, é só um retângulo de jeans, recortado, costurado no meio e daí faz uns piques na hora de desvirar, prá não ficar enrugado no meio das perninhas. Agulha e linha mais cola quente em alguns lugares...

Crocheta olhos, borda boca, faz fiapos de cabelo e pronto!

Ah, faz de outra cor e pode ser uma boneca, um coelhinho prá Páscoa...


sábado, 16 de fevereiro de 2013

Estrelas, mapas e bússolas...

No começo, se movimentar pelo mundo devia ser mais ou menos assim:

- "Onde foi que você achou essas frutas?"

- "Depois que você subir a colina, você desce ela, segue a margem do rio e, quando estiver perto de uma rocha que parece um urso, dá a volta nela, anda até o sol chegar no meio do céu e aí você chegou."

Um contava pro outro, que contava pro outro...

Aos poucos, se guiavam pelo sol - as direções tinham a ver com o lado que o sol nascia, o lado onde ele sumia e a noite chegava... E, nela, você seguia as estrelas - menos quando estava chovendo...

Então o homem inventou os mapas (prá chegar nos lugares e também enterrar e desenterrar tesouros...)

Construiu a primeira bússola...

E continuou se orientando pelo céu, através do sol e das estrelas, usando o astrolábio...

Hoje, temos sorte. Um aparelhinho tão pequeno quanto um GPS (ou um celular) pode nos dizer como chegar em qualquer lugar (quando funciona...)...

Com religião acontece mais ou menos isso... 

Todos nós temos uma mesma busca interior - mesmo que muitos de nós não se deem conta disso: nosso destino é nos aproximarmos do nosso Criador. Fomos todos criados para experimentar a vida, aprender com ela, interagir com todas as outras criaturas saídas da mesma Suprema Imaginação e, com a evolução do sentimento e da razão, chegarmos onde quer que Ele esteja.

Para isso, cada um de nós se utiliza de um instrumento de navegação pela vida (porque é isso que as religiões são: meios para atingir um fim - chegar a Deus) que seja mais adequado à nossa compreensão e entendimento. Orações, conselhos, normas de conduta, direções a seguir.

Quem souber manejar uma bússola, por pior que seja a tempestade, nunca se perde... 

Quem souber ler as direções nas estrelas, navega até durante a noite... 

Se teu instrumento te serve bem - bom prá você! 

Continue a tua jornada em direção ao Pai e ajude aos que te parecem perdidos no caminho, na medida da tua generosidade e intuição, respeitando sempre o livre arbítrio de cada um. 

Jamais despreze os meios que teus irmãos talvez também tenham para  chegar lá - o que importa, realmente, é "Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo". Quem segue essa diretriz, está no caminho certo, independente das flores e das pedras que esse caminho possa ter.

Todas religiões santas, todas tão belas quanto a mais brilhante estrela do céu. Todas capazes de nos guiar até os braços do Pai, que nos espera, independente do nome pelo qual o chamemos - Aquele Pastor que deixa noventa e nove ovelhas esperando e parte em busca daquela que se perdeu...



Os antigos romanos tinham um ditado: "Todos os caminhos levam a Roma" e, conforme o mundo daquele tempo, eles estavam certos. 

Eram um império tão grandioso, com tantos territórios conquistados por toda parte... Para cada território que conquistavam, construíam uma estrada que para lá levasse, a fim de manter o domínio, cobrar impostos, estender a todo império a paz romana... Não importava a estrada que você pegasse, de um jeito ou de outro você chegava em Roma...

Talvez Deus seja um "pouquinho" maior que o Império Romano... Talvez, para chegar até Ele, também hajam muitas estradas, muitos caminhos e atalhos... 

Continue a tua busca, na estrada de tua escolha - caminhando sempre... 



sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Vestido lindão de 4 reais!



Malha levinha, comprada por quilo na 25 de Março - o pedaço saiu R$4,11 (acredita?!!!). 

E quem se importa com a modelagem ampla, que mais parece um saco de batatas, se depois de vestido e amarrado com o laço, ele acintura e fica lindo?

Fácil de fazer, lindo, barato - "Ocê qué mais u quê, colega?"

É um regatão com manga - amadureçam essa ideia... Fiz prá minha mamacita, que é mais cheinha, mas também cabe em mim (que também sou do tipo recheadinha) e a modelo é minha Nana magrela (não posso elogiar muito porque é parecida demais comigo, fica parecendo errado elogiar a mim mesma...).

Bom final de semana e boas costuras!!!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Mais básica impossível!

Uma camisa por R$5,90. 

"Mas, Dona Rosa, porque frizar sempre essa história de preço?"


Porque eu gosto de lembrar prá todo mundo que a gente não precisa ser rica prá andar bem vestida: é só ter boa vontade e um pedaço de pano. 

Oxford, 1 metro. Simples, não é?

Molde prá fazer camisa: no Cortando e Costurando e no Portal do Artesanato tem.

Manga 3/4, que é prá agasalhar se vier um friozinho repentino e arregaçar se der na telha - mas preta, porque é elegante, combina com tudo, pode usar fechada, com uma regatinha uma renda por baixo.

E - detalhe importante - caprichar na beleza, na feminilidade (sim, porque apesar de ser camisa e ser preta, não é por isso que você vai ficar com cara de trabalhador braçal, né? Um batom, um brinquinho, um salto - nunca fizeram mal a ninguém...). 

Espia o olhar da minha Lola: parece um anjo... E quando abre a  boca, derrete meu coração, me faz sentir pequenininha, me faz perguntar onde foi que eu acertei...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...