Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Duas máquinas de costura de uma vez só!!!

Ahhhhhh! Tem até gente com mais de um blog, participando um montão de vezes!

Se eu não tenho sorte quando a concorrência é mais equilibrada, imagina agora... Mas, tô lá, a esperança é a última que morre. 

É só seguir o blog da Bella Bear - ela queria chegar aos 300 seguidores, já alcançou quase 1.200, "tadinha dela"... Deixar um comentário, (E, SE TIVER) postar no blog.

Vamos gente, quem não arrisca não petisca: as máquinas são de bordar muito show, uma usada em bom estado, a outra semi-nova - maravilha!!!

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Ideias pro Halloween

Sei lá, brasileiro copia tudo... Quando eu era criança a gente não comemorava Dia das Bruxas - a gente tinha medo delas, especialmente de uma mulher chata chamada Yolanda, que gritava muito, vivia batendo nos filhos mas, quando conversava com as outras mães, fingia que era um doce de pessoa. A gente chamava ela de "bunda de geléia" (criança é má mesmo...). Coitada. Devia ter seus motivos, mas criança não pensa nessas coisas...

Bom, se seus filhos tem festinha na escola, corre que dá tempo de fazer uma camisetinha de caveira superfácil - olha que ideias geniais:





Essas são deste site AQUI.

Mas você pode fazer em casa, que os desenhos são bem fáceis. 

Pode pintar... 

Ou usa feltro adesivado da Alecria que é só recortar , tirar a película e colar. 

Ou então aquelas entretelas adesivas dos dois lados, que aí você pode aproveitar retalhos fofos de tecido que você tem em casa. 

Ou entãããão, se não tem nenhum dos dois, usa entretela colante comum (adesiva de um lado só: passa a ferro ela no tecido - o lado brilhante é o que tem a cola), põe o desenho com o carbono e recorta. Depois prega na camiseta com ponto caseado ou alinhavo (mas então, na hora de lavar, tem que tratar com o maior cuidado - nada de máquina, hein?).

Agora, mais uma da página Chiquinha Absurda:



segunda-feira, 29 de outubro de 2012

E agora chega!

Pelo menos até eu detonar estes... 

Com a outra perna da jeans da Lola fiz mais este aqui, usando uma sobra desta camisa pros enfeites:


Não ficou demais? A estampa xadrez e o laçarote deram um ar de dançarina de can-can, meio velho oeste, não é?

Aí, com mais um pedaço de brim, daqueles que eu comprei a 6 reais o quilo na 25 de março, mais um avental de 50 centavos:


Reparem que tanto o primeiro (com onça) quanto este tem uma costura no meio: é que os retalhos todos mediam 40 por 80 cm - não sei que diacho a loja tem que "retalhar" tanto os retalhos... Dava prá sobrar um pedaço maior, caramba!!! 

Bom, me virei mesmo assim - e só reclamo porque tô mesmo ficando velha e resmungona - e, desta vez, ficou ainda mais bonito: fiz um carimbo usando um pedaço de EVA e meu alfineteiro: 

Recortei no "olhômetro" mesmo uma flor (vocês façam o favor de desenhar primeiro, prá ficar mais bonito) e colei na tampa do alfineteiro, com cola de isopor (vocês podem usar cola quente e colar em cima da tampa de uma embalagem de fermento em pó vazio: fica bem anatômico na hora de carimbar). Tem que passar +/- 1 mm de tinta de cada vez que carimba, o carimbo tem que ficar bem encharcado dela e tem que forrar a mesa com papelão ou bastante jornal,porque vaza. Os miolos são bolinhas de crochê, mas podia carimbar tinta amarela também...

Vocês podem fazer diversos tipos de carimbos: flores, folhas, frutas, legumes, uma bolinha prá cabeça, um triângulo maior pro vestidinho, faz as perninhas e os bracinhos com risquinhos, põe fios de linha prá cabelo e faz bonequinhas... As possibilidades são infinitas! 

Minha mãe já fez uma colcha de cama usando quadrados de calças jeans velhas e depois carimbou tudo - ficou lindo!

Quando eu era pequena fazia carimbos desses, mas com batatas... Ah, a pobreza e seu jeito de lidar com as coisas...

Você pode até fazer um lindo jogo de cama com isso: carimba umas flores no tecido de lençol e depois faz um edredom, usando manta acrílica; faz um barrado no lençol, prá fazer a "vira" e dá umas carimbadas nas fronhas! Fica único, inédito, genial!

Agora estes dois últimos aventais foram feitos com uma jeans clarinha: só prá vocês verem que qualquer calça serve. Não ficaram lindos?



Este último ficou bem simples, porque eu já tava meio enjoada de tanto fazer avental...
Mas acho que já deu prá inspirar quem achava que retalhos e calças jeans velhas não serviam prá muita coisa...


Eu sei, Keanu, eu sei... concordo com você.

Agora, se vocês querem dar umas risadas nesta segunda feira, entrem na página do facebook da Chiquinha Absurda (acho que eu devia cobrar royalties deles... Usar minha imagem assim, tão descaradamente... Mas, é para um bem maior...). Vejam alguns exemplos do que eles fazem:


(Eu, sempre às 5 da madrugada... Ô desgosto!!!)



O tempo não tem dó de mim...



E a menopausa, vai bem?


(Ai, que vergonha! Não paro de fazer isso, acredita?!)


Verdade...

Passem lá que tem uma melhor que a outra. A Lola que me mostrou sábado - bom demais, não é?

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Novos aventais de cozinha


Sim, porque os outros já estão em petição de miséria: descasco batatas, seco as mãos neles prá atender correndo à porta ou ao telefone, e assim ficam tão manchados que nem cândida clareia... Uma vergonha, eu sei... Mas prá isso existem retalhos baratos e calças velhas: o escuro, cheio de babados, era uma calça jeans lycra da Lolinha - vai me render 2 aventais, este já terminado e outro a caminho; o verde foi um retalho de brim comprado a quilo na 25 de março (1 quilo de tecidos variados por 6 reais - coisa prá caramba! Fazendo os cálculos, o avental saiu por 50 centavos!

Um eu enchi de babados porque, como a calça era estreitinha, tinha que por o babado prá dar "corpo" ao avental (e também porque ficou "binito"). Uma calça jeans rende 2 aventais com as "pernas". E olha: não desperdicei os bolsos, cada avental vai levar um bolso duplo!!! No outro usei o feltro auto-adesivo que ganhei no concurso da Alecria - nunca sei o que fazer com estampas de bichos (não sou muito fã...). Mas ficou bom, embora eu tenha comentado em casa que ia ser meio esquisito abrir a porta com algo escrito "Cozinheira Selvagem" vestido em mim... Mas o "marildo" me assegurou que poucas pessoas entendem inglês (Mal sabe ele... Hoje em dia, crianças vão saber direitinho o que está escrito no avental, mas deixa prá lá - selvagem mesmo só quando ataco uma lazanha...).

Querem molde de avental? No Cortando e Costurando tem DE GRAÇA!!! Imprime, pega um retalho e faz, que protege a roupa na hora de cozinhar, lavar louça, etc...

Agora, deixando de lado meu "arroz com feijão" e vamos direto pro "caviar": passa no blog da Helena e baba pelos aventais que mandam a rainha prá cozinha: esses você compra o molde e não se arrepende, porque são lindos demais! 

Bom final de semana!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

De olhos fechados...

"Há quem diga que o nosso frenético ritmo diário transformou nossa existência em uma passagem cega pela vida.
Há 6 anos, um respeitado jornal norte americano promoveu uma experiência onde um famoso violinista tocou numa estação de metrô, no horário de maior movimento pela manhã - um modesto palco para um mestre de sua profissão. Deslizando prá cima e prá baixo o arco em seu inestimável estradivários  durante 43 minutos, ele tocou algumas das mais célebres obras já compostas. Mais de mil pessoas passaram por ele: apenas 6 pararam para ouvir.

Beleza camuflada pela força da repetitiva monotonia.

Deslumbramento rejeitado pela falsa urgência da vida." *

Era um dia frio de janeiro. A estação de metrô era a da cidade de Nova York, onde - todos os dias - dezenas de músicos se apresentam em busca de trocados. O horário - 07:51 da manhã - era de rush, lá como cá... O jornal que promovia a experiência era o famoso Washington Post e o violinista não era apenas mais um: seu nome era Joshua Bell, somente um dos melhores músicos clássicos do mundo...

Tocando seu raro violino (cujo valor ultrapassa os 3 milhões de dólares) ele, apenas três dias antes dessa experiência, havia se apresentado para quase 3 mil apreciadores da boa música,  no Boston Symphony Hall, onde os assentos custavam em torno de 100 dólares por pessoa! Ou seja: ele conseguiu captar, como de costume, em uma única apresentação, 1000 dólares por minuto tocado  (e ele faz mais de 200 apresentações dessas por ano!).

Contudo,  ali - anônimo, naquela estação de metrô - arrecadou míseros 32 dólares, atirados às pressas por umas poucas pessoas.

O intuito era realizar uma experiência sobre percepção, gosto e prioridade das pessoas: em um ambiente comum, em uma hora inapropriada, percebemos beleza? Paramos para apreciá-la? Reconhecemos talento em um contexto inesperado?

A resposta obtida pelo jornal foi um sonoro "não!". Sem o contexto correto para indicar qualidade e valor, a maioria das pessoas não se dá conta da beleza e do talento bem debaixo do seu nariz...

Você já foi em um daqueles restaurantes onde, nas paredes, se expõem quadros de artistas locais, que enquanto enfeitam o ambiente, também estão à venda? Pois bem: Se você pegasse um quadro famoso em um museu, quadro este não muito conhecido do público leigo, mas cujo valor esteja na escala de milhões de dólares, removesse dele sua moldura e o expusesse no tal restaurante, ficaria chocado se alguém oferecesse por ele mais de 300 reais - e olhe lá...

Vivemos em um mundo onde a aparência conta; mais do que o material de que algo é feito, é sua apresentação que importa...

Ontem, batendo perna no shopping JK Iguatemi (o mais luxuoso onde já entrei), em meio a lojas Prada, Chanel, Dolce & Gabana, me dei conta do quanto isso é verdade: um vestido tubinho, de algodão, que eu faço por menos de 20 reais, custava ali mais de 2 mil - pela etiqueta, pelo luxo do local...

Jesus falava algo mais ou menos assim: quem tem ouvidos para ouvir, ouça; quem tem olhos para ver, veja.

Parece alegoria, mas é uma verdade muito dura de se admitir: a maior parte de nós não enxerga um palmo adiante do nariz. 

Ah, enxergamos bem o suficiente para cobiçar uma bela roupa na vitrine, caminhar do lado de um companheiro que as pessoas admirem pela beleza e status social, ter uma bonita casa. Apreciamos a nova cor de cabelo da atriz da novela, invejamos o carro do comercial de televisão que alguém que conhecemos finalmente comprou... Mas não VEMOS o que realmente mais importa: os pequenos (e as vezes mesmo os grandes) milagres do cotidiano, bem ali, na nossa cara.

Outro dia, no metrô lotado, indo a uma consulta médica no horário de maior movimento, presenciei algo muito lindo: duas senhoras idosas japonesas, daquelas bem pequenininhas, estavam totalmente amassadas no meio do bolo de gente, tentando se aproximar da porta. Chegou a estação da Liberdade, bairro oriental de São Paulo e elas não conseguiam descer. Foi então que alguns homens, trabalhadores com suas mochilas, carregando uniformes e marmitas, deixaram de lado sua indiferença e seguraram com o corpo a porta do vagão, enquanto os outros ocupantes iam se espremendo prá deixar as senhoras passarem. Ao saírem,  ambas se inclinaram em reverência quase silenciosa, dois "obrigadas" discretamente pronunciados com sorrisos nos rostos.

A gentileza venceu a rotina e - tenho certeza - todo mundo que presenciou aquela situação começou muito bem seu dia (como eu). Até agora me sinto uma privilegiada...

A beleza está o tempo todo à nossa volta:


É uma plantinha que teima em nascer em uma rachadura (como esta,cuja semente chegou pelo ar e se instalou na beirinha do tanque de lavar roupa, no meu quintal...), um sabiá ou bem-te-vi que insiste em cantar em pleno burburinho do trânsito caótico da cidade grande...

Minha Lolinha cantarolando no chuveiro, às 5:30 da madrugada, faça chuva ou faça sol, se preparando prá mais um estafante dia na faculdade e no trabalho...

Gentilezas inesperadas... Sorrisos gratuitos de estranhos no corre-corre da vida.

Pode ter certeza: neste mesmo momento, há uma melodia que estamos deixando escapar do alcance dos nossos ouvidos, há algo belo de tirar o fôlego para o qual estamos momentaneamente cegos, enquanto nos deixamos arrastar pelo cotidiano...

(* Trecho retirado de uma propaganda esportiva no canal TNT. Lindo, né?)

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Sorteio do outro lado do Oceano

Ai, que lindo!!! De onde meus avós vieram um dia, de navio, dando adeus a Portugal... De lá pode vir a tua chance de possuir um belíssimo tabuleiro de estanho, todo trabalhado de flores, ou frutas, ou animais - ou no tema natalino!!!

É só entrar no blog da querida Isa: Pequenas Maravilhas da Isa, virar seguidora, postar o link no blog e deixar um comentário. Ela disse prá mim que a maioria dos seguidores é do Brasil e que, se uma de nós ganhar, ela manda prá cá a belezura!!!
Olha só o tipo de arte maravilhosa que ela faz:



Então, colega!!! Tá esperando o quê??? Corre lá... Aproveita prá xeretar tudo que é lindo...

Mas corre!


Short ou cueca samba-canção





Pode fazer prá você, prá andar fresquinha em casa ou prá dormir com uma camisetinha... Ou pode fazer pro "marildo", como cueca samba canção (que foi a inspiração).

Chuta quanto custou cada uma... Errou! R$2,00 (DOIS REAIS!!!!!!).

O tecido tem nome muito chique: "charmeuse". é aquele pano dos pijamas masculinos, cujas estampas são nossas velhas conhecidas. É macio, derretido, uma delícia. Tenho uma camisolinha branca de rosinhas azuis desse mesmo tecido (mas onde eu comprei só tinha estampas masculinas... Snif!).

Foi na Niazi Chohfi, na 25 de março - tão liquidando o metro a R$3,98, com estampas que não acabam mais - todas muito lindas. Cada metro rendeu 2 shorts, o patrão ficou de olhos brilhando porque ele adora esse tecido. Fiz 6, mais duas com um lençol velho que tava parado, ocupando espaço.  Total: 8 shorts prá ele andar "tomando deforota" pela casa, refrescando o corpinho nesse calor de primavera.

Também dá prá fazer pijaminha de mulher: faz o shortinho, faz uma regatinha bem arejada, enfeita com uma gripure preta ou branca e a estampa que era masculina fica feminina...

Fiz o molde do jeito mais fácil que eu imaginei:é só você saber usar uma régua escolar que você faz. Na hora de cortar, põe 1 cm a mais de costura, 3 cm prá barra e 4 prá cintura. A frente e o verso são praticamente iguais - não precisa ser perfeito,não é cirurgia de cérebro.

Mas lembrem-se: não fiz curso de corte e costura, vocês vão achar milhões de moldes melhores que o meu pelo mundo - afinal, sou só uma curiosa que não tem medo da máquina nem da tesoura... No meu molde, a parte da frente é a mais "seca" e a mais cavada é a de trás (prá ter espaço pro bumbum).

A toalha xadrez amarelinha que está por baixo? Comprei lá também o tecido: 1,40 m de largura, comprei 1,40 de comprimento (custou R$3,50 o metro), fiz bainha, apliquei o barrado de bordado inglês (que comprei na 25 de março por 1 real o metro) e a sianinha que eu já tinha, então a toalha saiu por menos de 12 reais. Beleza, né?

Agora, dica de mãe na hora de costurar o tecido do shorts: ele é um tipo de cetim, então desfia que é uma meleca, esgarça depois de um tempo a costura... Prá evitar isso, faça assim:

Começa costurando o entrepernas: costura, passa zig-zag e então rebate a costura (passa mais uma vez a costura, assentando aquele paninho que fica entre a primeira costura e o zig). Faz a mesma coisa quando for unir as duas pernas. Faz a barra (todas as costuras usando regulagem bem baixa, quase a número 1 da máquina). Por fim, na cintura, antes de fazer aquela barra onde vai enfiar o elástico, passe um zig zag bem apertadinho. Assim, conforme a pessoa for usando o shorts e o elástico ficar "roçando" no tecido, não vai desfiar.

Já pensou: dá prá ganhar dinheiro!!! Se você comprar lá na 25, o custo de cada um sendo 2 reais e você vender por uns 15, 20 reais, já tá lucrando que é uma beleza (e é rápido e fácil de fazer...). Vai, colega, tá esperando o quê???

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

É ou não é incrível?!!


E - acredite, se quiser...- foi feito de LIXO!!!

Primeiro: uma embalagem vazia de sabão líquido de 5 l, com uma bela alça que me inspirou a fazer um cisne...



Então peguei fita adesiva, papelão (de caixa de sapato - no meu caso foi uma caixa de luminária); cola branca, jornal, um pincel, um canudo vazio de papel guardanapo de absorver fritura (prá encompridar o pescoço). Massa corrida (dessas de usar em parede).

Você monta o "esqueleto" do seu cisne recortando a embalagem de sabão e acrescentando nela as partes que vão dar forma ao cisne (asas, cauda, um pescoço maior e curvado prá baixo). Faz uma bola de jornal prá ser a cabeça, faz um bico de papelão.

Daí corta pedaços de jornal com a mão (quanto menores, melhor, pois se adequam às formas arredondadas sem fazer dobras.
Misture cola branca com água em iguais quantidades e, com o pincel, vá colando sobre o esqueleto já montado. Espere secar uma camada prá colar a seguinte (é trabalho de dias... Mas vale a pena e é gostoso de fazer).
 Eu fiz três camadas de jornal e uma de papel guardanapo também cortado - fica mais poroso prá receber a massa corrida de parede (que estava vencida, ia pro lixo!!!).
Eu tinha feito de cabeça um "negócio" que eu achava que tinha em cima do bico... Meu filho me fez tirar, procurou a imagem certa na internet.
Aqui tá o cisne, coberto de massa mas sem lixar. Usei lixa marrom avermelhada, cortei pedacinhos dela e fui lixando. Não dá prá usar a lixa cinza, a massa gruda e não lixa nada...

Massa corrida vencida: coloquei umas colheradas em um pote, fui colocando uns tantinhos de água e amassando com garfo (como um purê duro e frio) até ficar mais molinha e poder passar com pincel. Passei duas camadas, mas poderia ter passado mais.

Espera um dia prá secar, lixa e tá pronto prá pintar.

Ah, os olhos eu fiz com dois botõezinhos bolinha infantis, que eu lixei (enfia um fio de linha grosso dentro do buraquinho e segura o botão pela linha). Furei com uma faquinha de ponta fina bem no lugar que devia ter olhos, rodei a faca prá fazer um buraquinho redondo e colei.

Passe duas vezes tinta acrílica branca com pincel macio (prá não deixar marcadas as cerdas do pincel).

Achei na internet uma figura de um cisne e desenhei com lápis os olhos e o bico. Usei dois tons de azul prá pintar.

Até criei um carimbo usando um pedaço de esponja de lavar louça amarela (aquele lado macio) e forrei o cabo de um pincel (fiz assim as florzinhas, carimbando bolinhas...):


Meu pincel liner tava um lixo, por isso os galinhos enrolados não ficaram muito bons -mas é uma porcelana totalmente caseira - e feita de lixo! Tá bom demais.






Se eu não dissesse, só mostrasse a peça pronta, vocês nem diriam, não é? Aliás, se eu não tivesse fotografado todo o processo, vocês podiam até duvidar de mim...

Uma vez fiz um bezerro atropelado, de papel maché (é o nome desse tipo de trabalho...) prá uma peça da escola do meu filho: era em tamanho natural, com as tripas saindo, sangue, moscas... Ficou demais, a professora quis prá ela...

É isso: não desperdice nada que possa ter utilidade, transforme em algo útil e maravilhoso! O meu cisne vai ser um porta-ovos... Mas podia ser uma cestinha de pães no café da manhã, forrado com uma toalhinha de crochê ou um pano de prato.

Não é boa em pintura? Ó, depois que cobriu todinha de jornal, dá uma pintada de branco (prá sumir as estampas e letras do jornal) e cola pedaços de papel de presente ou retalhos de tecido e depois enverniza tudo com goma laca, que fica lindo! Superlindo! E superútil também!

Não desperdiça o tempo, que ele não volta nunca! Se ocupa fazendo coisas legais, que o tempo passa, os problemas vão assumindo seu verdadeiro tamanho, enquanto a gente trabalha...

Também não desperdice seu talento, sua imaginação - você só sabe do que é capaz, se arregaçar as mangas e tentar fazer.

DICA IMPORTANTE: se quiser dar um "peso" na peça, prá que ela fique mais parecida com porcelana mesmo, antes de começar o trabalho com o jornal faça uma mistura de cimento, areia e água e despeje dentro da peça (um dedinho chega). Depois que secar, faça a colagem do jornal por cima de tudo e a camada de cimento no fundo vai fazer o cisne ficar pesadinho...

Não limpe a peça nem com álcool nem com removedor - JAMAIS. Use um perfex, água e umas gotinhas de detergente.

E agora uns vídeos que eu achei no Youtube com duas coisas lindas prá fazer com jornal - assiste que é demais!



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...