Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Vestido de último minuto

Encontrei este vídeo no Youtube e achei simplesmente fantástico!

Olha só a criatividade: 


A menina transforma uma echarpe de malha, com a ajuda de uma agulha e fio de linha da mesma cor, em um minivestido. 


É claro que não é prá todo mundo usar (curtinho assim só prá meninas), mas, se você fizer uma saia longa da mesma cor (em jérsey, por exemplo, ou malha fria, apenas com elástico na cintura - reta e fácil de fazer...) e depois fizer o minivestido com uma echarpe do mesmo tecido (que você mesma faz...) por cima, fica super-democrático. Na minha opinião, se você cortar uma echarpe medindo 50 cm de largura por 1,60 de comprimento (simplesmente cortada no tecido, sem fazer barra), mais a saia ou uma saia-calça bem larga, tipo pantalona (que você pode copiar de um pijama seu...) vai ficar demais. Então, se divirtam assistindo:






sexta-feira, 27 de abril de 2012

Rápida e certeira



Quer coisa melhor que fazer uma blusa bem rápido (mas rápido mesmo, porque usa agulha 10!), com apenas R$4,00 (QUATRO REAIS???? É!!!!), de algodão com viscose, numa cor linda? A minha Naninha não quer mais nada: chegou da faculdade, pedi prá ela vestir prá eu fotografar e quando eu disse que custou só isso ela falou - "Adoro essas coisas que você faz, mãe... Com tão pouquinho dinheiro! Eu ia detestar andar por aí vestindo coisas caras, ia me sentir culpada, fútil, sei lá...". Minhas meninas lindas...

Pois aí está: 4 novelinhos de Samba, da Aslan, liquidando lá no site por R$0,99 centavos cada (porque depois não vai ter mais - se ainda não comprou, tá esperando o quê???). 

Ainda tem marrom (que é lindo, parece ouro velho...), esse azul aí, tem lilás, vermelho, laranja. Vale super a pena, é uma delícia de vestir, tem um brilhinho discreto da viscose (que fica maravilhoso à noite...). 

Compra e faz, muié, enquanto ainda dá tempo!

Faz assim: entra no site da Aslan bem AQUI, faz seu cadastro (se tiver medo de hacker, não precisa por o número do cartão - imprime um boleto e paga no banco ou na lotérica, embora eu sempre compro com cartão e nunca tive problema...). Daí você recebe em casa, pega aquela agulha 10 beeeem gordinha, que você quase nunca usa e põe ela prá trabalhar. 

Não tem agulha 10? Compra lá também, mas compra de  bambu que é uma delícia! Eles tão liquidando, custa só R$3,00 reais o par...

Essa blusa eu levei dois dias prá fazer - sem ter empregada prá ajudar no serviço de casa...  Você que é milionária e tem até mordomo prá te levar o Neve vai fazer num dia só...

O ponto pipoca? Já ensinei a fazer AQUI - ele é o meu melhor amigo, é lindo e nunca me deixa na mão.

"Táqui" a receitinha (manequim 42/44):



Faz e é só correr pro elogio (usando um top por baixo, prá não ficar mostrando suas coisinhas prá todo mundo, né?).

Bom final de semana!

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Sorteio bem em tempo!

Ó, o inverno tá chegando e,  pelo jeito quente que o verão foi, acho que o frio vai ser de rachar os lábios... E aí então - que tal concorrer a uma linda blusa em jacar, sem aquela pendurada toda de fios no verso? É isso mesmo, feita no trocador de cores, um serviço super bem feito, que a Roseane, do blog PINTANDO O SE7E tá sorteando.

 Mas tem que passar lá prá descobrir como, xeretar tudo de lindo que ela faz, babar um pouquinho, ficar fã... Faz que nem eu e se habilita - eu não dou muita sorte em sorteio, mas arriscar não custa nada... Acho que vou cruzar dois dedinhos do pé e grudar com esparadrapo até o dia do trabalho - será que deixa seqüela?

Bons sorteios! 

Golinha com Pérolas


 Ai, essa eu queria muito fazer prás minhas filhas... Mas até a Nana, que é mais afeiçoada a fricotes (como eu) não quis, disse que é um modelo muito "patricinha"... Sniff! Quem sabe um dia... Essa foto é de uma edição da revista Estilo de 2009 - me parece que a modelo é aquela loirinha da novela Rebeldes, da Record... Os preços das peças que a moça tá usando são um absurdo prá hoje (que dirá prá 3 anos atrás!). Agora, alguém pode me dizer: porque a moça tá usando 2 relógios? Um só não basta? É prá saber a hora em 2 lugares? Nunca vi...

Bom... 


O que interessa é: se você não tem frontura, não esquenta! Faz toda ela em ponto meia (aumenta uns 8 pontos em cada frente), daí faz o acabamento em crochê que fica lindo. Não tem máquina? Usa essa ideia e faz à mão, toda em ponto meia, usando um fio básico como o família ou - como eu faria - usa 2 fios de Anne juntos, que é algodão, antialérgico, tem um brilho discreto, é macio toda vida, tem cores prá caramba... Ou faz uma camisa costurada mesmo e aproveita a ideia de aplicar as pérolas na gola (por que não?)...

Vai, muié, faz uma!


Sai toda linda, esbanjando chiqueza, toda perolada...
 Como podem ver, fiz uma receitinha básica prá ajudar quem estiver a fim - só porque eu sou um anjo mesmo (^-^)...

Bons tricôs!

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Casaquinho de crochê


Esse é prá ninguém ficar de fora (não precisa de máquina de tricô prá fazer coisas lindas...): só uma agulhinha de crochê, quatro botõezinhos e lã ou linha de sua escolha. Está nos meus planos fazer ele prás minhas meninas, mas, enquanto esse dia não chega, que tal vocês me passarem a perna e fazerem primeiro? É lindo, trespassado, muito fácil de fazer - um clássico! - e vocês podem encompridar depois de pronto, se quiserem (aí ele vira um casacão...), bastando emendar o fio na barra e ir crochetando, do mesmo jeito (mas, prá dar o evasé vocês vão aumentando pontos, de vez em quando - tipo 4 pontos a cada 2 carreiras, espaçados de forma bem distribuída). 

É isso: bons crochês que o frio tá chegando!

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Casaquinho básico cinza



Ai, ai... Você ainda pensa que não dá prá fazer muito sem frontura e que um cone de lã é pouco prá fazer uma blusa?  Pois agora você vai adorar estar enganada! 

Olha que blusinha linda, facílima de fazer, de baixo custo (pois leva menos de um cone de lã) e que fica pronta numa tarde...

Faz uma de cada cor, capricha nos botões, sai vendendo, fica milionária, casa com um famoso - menos o Johnny Depp (Ai, que ódio desse homem! Não assisto mais filmes desse traidor de esposas! Ele que aguarde o retorno: praga de ex-mulher pega mais que resfriado em quarto fechado...). Deixa prá lá: cada um com seu cada dois... 

Peguem a receitinha, aquele cone solitário perdido na caixa de papelão e mãos à obra. Fiz folgadinha, porque é prá mim, manequim 44/46 - mas, é só você diminuir um pouco a regulagem e fazer no seu manequim. Mesmo assim, ficou boa na minha Naninha e é ela que tá usando...

Um aparte: sempre vejo, pelas estatísticas do meu blog, que pouca gente lê minhas historinhas, como a da postagem passada. Gente, vocês não sabem como eu fico triste com isso. As historinhas que eu posto são tão lindas, vem do fundo do coração, escolhidas a dedo dentre centenas que eu conheço, prá presentear vocês com algo que alimenta a alma... Quando eu posto uma receita (e quase tudo que eu posto tem uma receita) um montão de gente aparece, mas quando é historinha, quase ninguém se importa. Que pena... Vocês iam gostar muito, se dessem uma chance, perdessem 2, 3 minutinhos lendo...

Enfim, bom final de semana adiantado.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Aprender a escrever na areia



Dois amigos, Mussa e Nagib, viajavam pelas longas estradas que recortam as tristes e sombrias montanhas da Pérsia. Eram nobres e ricos e faziam-se acompanhar de servos, ajudantes e caravaneiros.

Chegaram, certa manhã, às margens de um grande rio barrento e impetuoso. Era preciso transpor a corrente ameaçadora.

Ao saltar, porém, uma pedra, Mussa foi infeliz e caiu no torvelinho espumejante das águas em revolta.

Ali ele teria morrido, arrastado para o abismo, se não fosse Nagib. Este, sem a menor hesitação, atirou-se à correnteza e livrou da morte o seu companheiro de jornada.

Que fez Mussa?

Ordenou que o mais hábil de seus servos gravasse na face lisa de uma grande pedra, que ali se erguia, esta legenda admirável:

Viajante:
Neste lugar, com risco da própria
Vida,
Nagib salvou, heroicamente, seu amigo
Mussa

Feito isso, prosseguiram, com suas caravanas, pelos intérminos caminhos de Allah.

Cinco meses depois, em viagem de regresso, encontraram-se os dois amigos naquele mesmo local perigoso e trágico.

E, como se sentissem fatigados, resolveram repousar à sombra acolhedora daquela mesma pedra que ostentava a honrosa inscrição.

Sentados, pois, na areia clara, puseram-se a conversar.

Eis que, por motivo fútil, surge, de repente, grave desavença entre os dois companheiros.

Discordaram. Discutiram. Nagib, exaltado, num ímpeto de cólera, esbofeteou, brutalmente, o amigo.

Que fez Mussa? 

Que faria você, em seu lugar?

Mussa não revidou a ofensa. Ergueu-se e, tomando tranquilo o seu bastão, escreveu na areia clara, ao pé do negro rochedo:

Viajante:
Neste lugar, por motivo fútil,
Nagib injuriou, gravemente, seu amigo
Mussa

Surpreendido com o estranho proceder, um dos ajudantes de Mussa observou respeitoso:

- Senhor! Da primeira vez, para exaltar a abnegação de Nagib, mandastes gravar, para sempre, na pedra, o feito heroico. E agora, que ele acaba de ofender-vos tão gravemente, vós vos limitais a escrever, na areia incerta, o ato de covardia! A primeira legenda, ó cheique, ficará para sempre. Todos os que transitarem por este lugar dela terão notícia. Esta outra, porém, riscada no tapete de areia, antes do cair da tarde, terá desaparecido como um traço de espuma entre as ondas revoltas do mar.

Respondeu Mussa:

- A razão é simples. O benefício que recebi de Nagib permanecerá, para sempre, em meu coração. Mas a injúria... essa negra injúria... escrevo-a na areia, como um voto, para que, se depressa daqui se apagar e desaparecer, mais depressa, ainda, desapareça e se apague de minha lembrança!

Eis a sublime verdade, meus amigos! 

Aprende a gravar, na pedra, os favores que receberes, os benefícios que te fizeram, as palavras de carinho, simpatia e estímulo que ouvires.

Aprende, porém, a escrever, na areia, as injúrias, as ingratidões, as perfídias e as ironias, que te ferirem pela estrada agreste da vida.

Aprende a gravar, assim, na pedra...

Aprende a escrever, assim, na areia...

E serás feliz.

(Malba Tahan - apesar do nome, um dos melhores escritores brasileiros)

terça-feira, 17 de abril de 2012

Camiseta com caveira




Esta é bem fácil, até criança consegue fazer... Parece que as caveiras estão em moda (além de vampiros - vá entender...). Essa caveira eu tirei de um anime que eu assisto há anos com meus filhos - One Piece. É bom demais, infinitas vezes melhor que novela. Meu filho baixa pela internet e, todo fim de semana a gente se junta prá ver, além de Naruto, Bleach, HunterXHunter. Adoro. One Piece é, de longe, meu favorito. É sobre um garoto cuja vida é salva por um pirata e cujo sonho acaba sendo ser pirata também, mas ele é diferente: é o amor pelo mar, pela aventura que o faz partir pelo mundo em um bote a procura de uma tripulação e de um navio prá chamar de seu. Ele tem um coração enorme e, nas suas viagens, só faz o bem por onde passa: salva pessoas, cidades, conquista amigos que dariam a vida por ele. É engraçado, é triste, é lindo. Sem preconceito: se vocês tiverem oportunidade de baixar pela internet, façam isso, vocês só tem a ganhar. Meu filho gravou em CD e eu assisto as temporadas passadas tudo de novo, de vez em quando, passando roupa...

Bom, essa caveira é a bandeira pirata do anime. Em um pedaço de contact eu fui posicionando os strass que aderem ao tecido com calor do ferro de passar roupa - aproveitando a transparência do contact prá seguir o desenho que eu baixei da net. Posicione o desenho sobre a mesa, coloque o contact por cima (já livre da camada protetora), com o lado adesivo virado prá você e grude os strass  com o lado brilhante no contact e o "fundinho" colante virado prá você. Você pode comprar os strass em cartelas em lojas de Armarinhos ou na internet, na Aslan, no Bazar Horizonte. Na 25 de Março vende até na rua, em camelôs... 

Vocês podem fazer o desenho que quiserem, da mesma forma que eu fiz o símbolo do Batman AQUI.

Eis outras bandeiras piratas do anime (muito criativas:


Dá prá fazer em blusa de lã, mas usando rebites ou bordando em ponto de malha. 

Boa brincadeira prá vocês. 

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Bem levinha...




Uma blusinha de lã ultra fácil de fazer, que fica pronta num piscar de olhos; que gasta menos (MENOS!!!???) que um cone de lã; que não precisa de frontura prá fazer?

Pois é... O outono taí, tem dia que está quente como se ainda fosse verão, tem outros dias que parece que o inverno está chegando. Prá esses dias: um agasalho que cabe na bolsa (literalmente e figurativamente), que esquenta sem esturricar nossa delicada e linda pele e que custou só 9 contos (preço da lã na Serv- Mak, Av. Celso Garcia, 4423. "Minina", melhor que isso só dois isso: faz uma de cada cor, faz do teu guarda-roupa (ou closet, se você é chique...)  um arco-íris de praticidade e bom gosto (melhor ainda: fica de olho "ni mim" que eu tô com lã prá fazer uma porção prás minhas bambinas, é só você copiar...).

O ponto não podia ser mais simples: inspirado na Barra doble, você tira umas agulhas fora do trabalho (como elas não são tecidas, gasta menos lã, fica uma malha mais leve e delicada, deixa transpirar!). A cada 10 carreiras você faz, no meio dessas 3 agulhas que estão em trabalho, um delicado furinho (intercalando como eu fiz, ora numa tira, ora noutra). Costura e arremata tudo com ponto baixíssimo. Sem frontura (e você que ainda pensava que só peças de verão é que dava prá fazer sem ela, né? Se enganou, meu bem...).

Moleza, né? E é só um cone, um cone, 1 COOOONEEEEE!!!

Beleza: vão fazer as suas que eu já tô terminando outra (cinza, tá ficando D+!).

Bons tricótis, bom final de semana adiantado que eu tô cheia de coisas prá fazer.

terça-feira, 10 de abril de 2012

Crochê que já vem pronto



É isso o que parece a renda francesa... Muito usada em vestidos de casamento, a renda francesa é uma boa opção quando a gente precisa - ou quer - uma renda no corpo, prá se sentir linda e feminina. E é também um jeito fácil, rápido e barato de andar bem vestida: com apenas um metro (eles só vendem a partir dessa metragem na Niazi Chohfi...) fiz essa blusinha prá minha Nana, ao custo de R$19,90. Sobrou, é claro, pois 60 cm bastariam. Não tem molde: copiei o formato de uma camiseta dela, costurei tudo usando o ponto de malha (D) da minha Janome 2008 e TCHARAM!!! Uma blusinha delicada de renda. Essa tem relevos de linha de viscose ressaltando as flores da renda, o que deixa um brilho discreto, mas muito lindo à noite. Lá na Niazi Chohfi tem de várias cores, com ou sem relevo, todas parentas distantes das malhas - o que lhes confere uma maciez e um caimento todo especial. Duas dicas importantes:

- primeiro: na hora de fazer, cuidado com o decote...  O tecido, como é elástico, não fica parado - escorrega no corpo - então corte o decote uns 3 cm menor do que você deseja, vire prá dentro e, com linha da mesma cor da renda, alinhave e costure o decote prá dentro com ponto elástico com uma margem de (no máximo) um centímetro. O meu decote ficou mais aberto do que eu planejava...

- segundo: na hora de usar, discrição é a palavra chave. Se você é magrela como a minha Naninha pode usar com um top cor da pele que fica bom, mas preste atenção também ao local onde você vai com ela (já pensou ir assistir a uma missa usando uma blusa assim tão transparente? Meio fora de situação, né?). O melhor mesmo é usar uma segunda pele por baixo, uma regatinha da mesma cor, sei lá, usa o teu bom senso...
Boas costuras!

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Vestido prá Páscoa



Fiz este vestido com 1,5 m de malha fria estampada, que comprei na loja ModaModa, ao lado do Shopping Penha, Rua Antonio Lobo, 50,  fone 2295-5955, São Paulo - Capital. 

O único ponto contra foi o preço: acostumada a comprar baratinho na 25 de março, paguei R$13,90 o metro do tecido (Óóóóóóóóóóh), então ele custou 21 milhões de dólares. 

Mas valeu a pena pela estampa, pois, na 25 de março a maioria das lojas só tem flores graúdas, padronagens de bichos ou psicodélicas, tipo "Timothy Leary is dead" mas deixou de herança um tremendo mal gosto prá estampas... 

Por incrível que possa parecer, eu, anonimamente, escolhi todas as estampas de malha fria pro dono da loja comprar: no dia que fui comprar a microfibra prá fazer os jalecos da Naninha perguntei se tinha malha fria e o dono mostrou que só tinha uma com estampa de tigre (éca!); disse que estava precisando comprar e me mostrou o catálogo de amostras, dizendo que estava com dificuldade de escolher as estampas. Eu, xereta toda vida, peguei o catálogo e, toda metida, fui "palpitando": "compra esta, esta, esta....). E não é que ele comprou as que eu falei? Ele me disse que essas estampas nem chegam nas lojas de tecido, o distribuidor dele só vende prá confecções, mas que ele, como conhece o homem de longa data, consegue essa canjinha de trazer essas estampas lindas prá lojinha dele. Bom, né? Se vocês morarem em São Paulo - Capital e forem lá comprar, não vão se arrepender: todas são florais miudinhas e delicadas, que deixam a gente se sentindo uma romântica diva. Eles tem um verdadeiro arsenal de belezas e, o que a gente perde em preço (pois na 25 de março é bem mais barato...) ganha em atenção e gentileza, pois os donos são gente muito boa e ainda parcela no cartão - assim a facada no bolso do patrão é mais "homeopática"... 

A Nana ficou linda no vestido, apesar dele ser meu, meu MEEEEEEU (brincadeirinha - ela usa tudo que eu faço prá mim, mesmo que fica grande nela...). 

O molde? Gostaria de dar, mas fiz copiando de um outro vestido que eu tenho... Se alguém se interessar posso até cortar ele em pedaços e escanear, mas só vou me dar a esse trabalho todo se alguém quiser meeeesmo (afinal, volta de feriado, roupas de tonelada prá passar...). Melhor mesmo é vocês arriscarem comprar, no seu exato manequim, o molde nº 175 da Modelitus (custa 10 reais mais taxa de entrega, que varia de acordo com o local onde você mora). Passem no site da MODELITUS, comprem vários que eles entregam o molde em papel grosso pelo correio, na sua casa (e a taxa de entrega vai decrescendo quanto mais moldes você leva...). O vestido 175 é bem parecido com o meu.

Bons trabalhos!

quinta-feira, 5 de abril de 2012

O charme está no decote






É só mais uma blusa rendada, feita no carro verão (Ai, saudade...Bons tempos em que eu tinha paciência com ele...). 
Estão aí fotos, receitinha de mãe e ainda um esqueminha no paint prá facilitar o acabamento do decote - prá quem nunca fez.




 Eu sei, eu sei, que um montão de gente tricota melhor que eu, que nessa hora tá dizendo: "Eita, Dona Rosa, tentando ensinar o Padre Nosso ao vigário..." Mas, me deixa! Tem iniciante que nunca viu isso e que vai achar demais!
Bons tricôs e bom feriado de Páscoa!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Camisa branca



Parece laise, mas não é. É muito bonitinho esse tecido, mas, de certa forma, me arrependi de tê-lo comprado. 

Motivo: é uma meleca passar essa camisa à ferro. 

Não sei qual era a ideia do fabricante: imprimir (em um tecido fininho de algodão) com uma tinta emborrachada, meio "acrilpuff", umas florzinhas que imitam bordado e, ao mesmo tempo, fazer uns furinhos queimando o tecido. O resultado, apesar de bonito, perde de longe prá laise verdadeira, que é moleza de passar - e a gente tem que pensar em tudo isso quando faz uma roupa (não é só ficar bonito, tem que ser prático, funcional...). A única vantagem é o preço: enquanto a laise verdadeira custa em torno de 20 reais o metro por aqui, esse saiu a metade... Quando eu comprei, quase levei o tecido igual na cor preta - sorte que aquela voz dentro de mim me disse prá não dar o passo maior do que a perna. Agora, quando tenho que passá-la, tenho que por a temperatura na lã e usar um tecido por cima - e mesmo assim cola tudo, um horror! 

Bom, mas a Naninha adorou, fiz com manga 3/4 porque agora já começa a ficar fresquinho e é bom uma camisa diferente. Custo: R$11,00 na ModaModa, ao lado do Shopping Penha, São Paulo/Capital. 

Molde de camisa: AQUI. É só você encompridar as mangas (com um metro dá uma camisa com manga 3/4 se você é até manequim 44.

Boas Costuras!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...