Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CHEGUEI!!!

Foram ótimas férias, obrigada, descansei bastante a cabeça e o corpo carcomido e velho - mas continuei fazendo meus artesanatos, tipo "até quando descansa carrega pedra".  

Mas foram pedras preciosas: fiz treze camisas, duas batinhas, uma blusa de tricô rendada linda em ponto pipoca e fiz metade de uma blusa de crochê. Cortei mais duas batinhas e as deixei meio encaminhadas - então dá prá ver que não perdi tempo. 

Ainda li um livro (o quarto e último da série Eragon - terminou muito bom - ainda não chegou traduzido no Brasil, mas meu filho achou prá baixar e a gente levou no ebook da Nana) em voz alta, à noite prá família (um costume antigo, de contar histórias prá eles, que nunca me abandonou...). 

Assisti seriados americanos e ingleses (White Colar e Merlin) e animes japoneses (One Piece é a coisa que eu mais gosto de assistir na vida, é maravilhoso). Comi mirtilo e amora preta até ter piriri. Bom demais. 



Mas, vamos ao que interessa: uma receita. Essa eu também dei no Natal, prá minha doutora, só não tive tempo de fazer o gráfico. Então, aí está: R$3,00 é o que você vai gastar prá fazer esta blusa, se você sabe o básico do tricô (meia de um lado, tricô do outro) e do crochê (correntinhas e pontos altos). É ISSO MESMO: UMA BLUSINHA POR 3 MERRECAS!!!!!!! 

Pega a receitinha de mãe que tá aqui, entra no site da Aslan e compra os 3 novelinhos de Samba que precisa para executá-los: tá custando 99 centavos cada. Usa com um sitiã cor da pele por baixo que fica melhor, a Nana tava com preguiça de trocar o top de ginástica... Ou então, compra mais um novelo, faz com agulha mais fina que fica mais fechadinha, mas aí esquenta e - no verão - o bom é ter buraquinhos pro suor escapar... 

Também voltou Bolero lá no site deles, então aproveita antes que seja tarde demais (aliás, eu te odeio: você pode comprar e eu não, recebi um ultimato da família: disseram que eu estou a beira do colecionismo, compro lãs e linhas demais... Injustiça! Faço tanta coisa boa prá eles e quando eu quero fazer uma simples comprinha ou outra eles tinham que ficar calados e pensar "ainda bem que o vício dela não faz mal prá saúde nem prejudica ninguém...", mas NÃO, todo mundo tem que ser mal prá mim...). Bom, onde que eu estava mesmo? Ah, é, pontas de estoque da Aslan: compra Samba e Bolero o quanto der, colega, tá menos de um realzinho cada novelo, você compra pelo site, imprime o boleto, paga no banco ou na lotérica, recebe em casa... Tá liquidando também Salsa, mas eu já vi pessoalmente, achei feia, é mesclada, a combinação de cores é meio de mal gosto - pelo menos pro meu gosto... Mas a Samba é fantástica, especialmente a azul, a vermelha e a marrom. E a bolero tem branca, creme, vermelha e preta - compra TODAS que você não vai se arrepender: faz blusa, faz estola, faz cachecol pro inverno, faz, faz, FAAAAAZ! É meio chatinha de trabalhar (até você se acostumar), mas tem uma maciez incomparável, um brilho, uma suavidade (AHHHHHHH, que tristeza, não posso aproveitar uma oferta fantástica dessas - acho que vou enlouquecer!!!).

Então é isso: se preparem que vou começar a postar as coisas que eu fiz, prá vocês fazerem também... 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Aumentos no tricot

Calma, calma... Logo eu chego... enquanto isso, se você é iniciante em tricot, olha só umas figuras prá te ajudar na hora de fazer as boinas que eu ensino aqui no blog:


domingo, 29 de janeiro de 2012

Acabamentos em crochê


Estes são bem fáceis, só prá você saber de onde eu tiro as ideias das minhas blusas feitas a máquina com acabamentos simples de crochê...

sábado, 28 de janeiro de 2012

Mais ideia em patchwork



Outra colcha, prá voce gastar os retalhos... Se a sua cama é box, tem até uma cabeceira de patch, prá deixar o quarto ainda mais lindo!

Bons patchs!

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Um macacão prá bambina


Bem fácil de fazer, é um curinga: pode fazer curto, comprido, pode eliminar o entrepernas e fazer vestidinho... Fiz tantos prás minhas meninas, porque era fácil e ficava bonitinho - era só incrementar com umas florzinhas, um ponto russo, uma rendinha de algodão... 

Prá iniciante fazer sem stress: fica pronto rapidinho .

Boas costuras!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Tapete de patchwork



Olha os retalhos aí virando tapete: já pensou seu bambino deitadinho aí, brincando de carrinho, assistindo Phineas e Ferb, comendo Passatempo? Capricha nos tecidos, que criança olha bem de perto, viaja nos desenhos...

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Porta trecos pro banheiro

Ah, eu sei: voce é chique, compra aquele monte de coisas maravilhosas prá enfeitar seu banheiro... Mas, de repente, num dos 20 banheiros da sua casa você pode usar uma ideia destas...

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Golas em trico

Você olha prá isso hoje e fala: "Mas, dona Rosa... em pleno verão e a senhora aparece com essa de trico de inverno?" Ah, mas vai ficar na sua memória e, "quando o inverno chegar..." você já sabe onde buscar a inspiração prá fazer uma blusa com uma super golinha diferente... "Ah, Dona Rosa, tão sábia...".

domingo, 22 de janeiro de 2012

Patchwork de crochê


Uma colchinha bem fácil de fazer, prá iniciantes nessa arte. Sabe, quando eu tinha 11 anos fiz uma dessas em dois tons de verde (prá variar...) pro meu irmão Tato. Ele tem até hoje...

sábado, 21 de janeiro de 2012

Pegadores de panelas


Uma ideia prá você não queimar essas mãozinhas tão talentosas: já pensou, por causa daquele assado tão gostoso você ficar dias e dias sem tricotar, crochetar...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Um quadrinho prá sala

Já pensou: você e o Marildo recebendo visitas na sua sala, esse quadro bordado por você mesma enfeitando a parede... 

O Marildo vai pensar: "Ah, já não bastava ser tão linda e cheirosa, cozinhar tão bem e ainda tem todo esse talento!!"

 Ah, e se ele não pensar assim é um idiota: empurra ele de um barranco (melhor metaforicamente, violência nunca é a resposta prá nada...). 

Bons bordados!

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Mais Patchwork



Desta vez tem até dicas... Quando eu era pequena, adorava fazer isso: todas as roupas que ficavam velhas, rasgadas, a gente separava as partes boas, cortava retalhos e fazia tapetes, colchas... Ah, pobre é tão ecologicamente correto! A gente é que inventou a reciclagem...

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

A Beleza, a Vulgaridade e o Tédio


Há muito tempo atrás, longe do mundo dos homens, a Beleza exercia seu fascínio no mundo dos seres mitológicos. Entretanto, havia aqueles que a odiavam por ela ser exatamente o que era...

A Vulgaridade e o Tédio, cheios de inveja, traçaram um plano para matar a Beleza. Avisada a tempo por um de seus admiradores, a Beleza, até então privilégio dos deuses, fugiu para o mundo dos homens - e iniciou-se uma feroz caçada.

O Tédio e a Vulgaridade - certos de que, com seus atributos,  podiam acabar com a Beleza - iniciaram sua maligna jornada pelo mundo, atrás dela...

Encontrando um lavrador, perguntaram a ele se havia visto a Beleza.

"- Ah, se vi" - respondeu ele - "ainda agora a pouco estive com ela..." - disse o lavrador, repousando a enxada e olhando para longe, com olhos sonhadores...

"- E como ela é?" - perguntaram juntos a Vulgaridade e o Tédio, pensando que sua presa (com certeza) estaria viajando disfarçada...

"- Ela é morena, queimada de sol, tem longos cabelos negros, os grossos lábios vermelhos que se abrem num sorriso lindo quando estão comigo...".

"- Nos diga onde ela está!"

Chegando ao local que o lavrador indicara, encontraram apenas uma jovem mulher, a beira de um riacho, lavando roupas. Pensando que a Beleza havia se antecipado e fugido, pararam um homem no caminho e lhe perguntaram a mesma coisa.

"- Ah, a Beleza? Faz tempo que não a vejo... Casou-se, foi embora para o outro lado do oceano...".

Lá foram a Vulgaridade e o Tédio, incansáveis em sua busca. Sempre parecia que a perdiam por pouco - a Beleza era sempre mais esperta que eles e fugia. E se disfarçava...

Aqui diziam ser loura, com a pele clara e olhos da cor do céu; mais adiante, apresentava a sedosa pele negra, olhos da cor da noite... 

Nem bem chegavam, ficavam sabendo que a Beleza havia se mudado para a China e agora tinha longos e lisos cabelos negros, olhos como duas pequenas fendas... Ora era magra, ora mais cheinha de corpo... Nariz de um jeito, queixo de outro - como sabia se disfarçar a Beleza!

Até hoje a Vulgaridade e o Tédio continuam tentando matar a Beleza. Mas esta - inteligente além de bela - sabe se esconder em toda parte, sob as mais distintas formas... Quando encontrada, esconde-se melhor ainda, a vista de todos, bem nos olhos de quem a vê...

(mais uma do Malba Tahan - adaptação minha)

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Outra manta de sofá

Esta é de crochê, xadrez super lindo. Eu sei, vende cobertor com um xadrez parecido, mas não foi feito por você, não é lindo do jeito que esse é...

Manda braza que é fácil, dá prá fazer usando o método que eu usei prá fazer este casaco AQUI.

Não tem desculpa - é fácil ou não é? 

Já pensou o Marildo, sentado prá ver MMA no inverno, cobrindo as pernas com essa belezura? Ele vai abençoar o dia que você fisgou ele...

Bons crochétis!

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Manta de sofá

Patchwork de iniciante, prá fazer com retalhinhos (ou ir até a 25 de março, comprar uns metrinhos de tricoline, com umas estampas que combinem)... Fica linda, enche os olhos...

Vai lá, mulher: faz, faz, FAAAAZ!

Boas costurinhas!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Escorredor de louça

Olha só que bonitinho e prático: um crochezinho de barbante, em filet, prá escorrer os copos depois de lavar. Fácil de fazer e ainda enfeita a cozinha...

Ai, nessa hora eu devo estar tirando um cochilo na rede, babando, com a cara coberta por um paninho prá fugir dos pernilongos...

Bons crochétis e boas férias prá mim!

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Blusinha de verão


Essa é prá quem não tem máquina e é iniciante: é feita somente em ponto trico dos dois lados. O enfeitinho é feito deixando "escorrer" um ponto, formando esse vão. Mas ó, tem que usar com sutiã por baixo, hein? Não vai bancar a modelo de revista - perceberam a pose que ela está? Depois da foto ela saiu andando, as "meninas" dela balançando, a gravidade fazendo seu estrago, ela passando a mensagem errada prá todo mundo... Você, que é linda, chique e discreta com sua beleza vai fazer direitinho, né?

Bons trabalhos!

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

O Rei cruel e o pernilongo


Era uma vez um Rei jovem, que não temia nem respeitava a Deus nem a ninguém. No máximo, algumas vezes ele ouvia o que lhe dizia seu velho tutor, um homem cheio de sabedoria, mas também atormentado de remorsos, que em vão tentava aconselhá-lo, mas que não era mais ouvido...

O Rei governava o país com mão de ferro e escárnio, fazendo o povo trabalhar mais e mais a fim de pagar impostos que nunca bastavam para satisfazer sua cobiça. Decretava prisões e mortes sem piscar os olhos e passava seus dias em festas, caçadas e viagens luxuriantes.
Enquanto isso, o velho e acabado tutor, que tinha um lugar de honra na corte real por ter educado dois reis, se sentia culpado pela má índole do rei atual.

-"Como posso ter errado tanto? Quando era jovem ele era tão cheio de bondade, sensível às dores dos semelhantes... Bastou subir ao trono e um horrendo rosto foi revelado: ninguém parece ser seu semelhante, todo mundo vive apenas para servi-lo, só ele é que importa...".

Sofrendo dessa forma, dia e noite, o velho tutor passeava pelas ruas empobrecidas do reino, machucando mais e mais sua alma com toda miséria que via...

Um dia, cansado de não achar resposta, embrenhou-se na floresta que dava continuidade às terras reais, tencionando jamais voltar. Depois de caminhar por horas, exausto, sentou-se encostado no carvalho mais antigo da floresta, muitas vezes mais velho do que ele. Ali, chorando de desalento, orou por ajuda para seu reino e seu povo, mas, principalmente para seu aluno - aquela alma tão perdida em egoísmo.

Não se sabe se sua prece foi atendida - ou se tudo não passou de um sonho. Uma linda mulher, transparente e fluida como água e luminosa como a luz atravessando uma fresta lhe apareceu e disse:

-"Entendo a dor no seu coração e mais ainda o sofrimento do seu povo. Mas esse desejo de morrer não resolveria nenhum problema... Se você quer mesmo ajudar, deixe-me transformá-lo em um pernilongo."

-"Como?! Um pernilongo? Mas, se o Rei não teme a homem nenhum, nem mesmo é temente à Deus, como posso ajudá-lo me tornando um ser tão pequeno?"

-"Você saberá como. Às vezes, é preciso muito pouco para se fazer muita coisa..."

Transformado em pernilongo, o velho tutor voou rápido até o Rei e foi direto ao seu ouvido, tentando, como sempre, aconselhá-lo. O soberano, contudo, não ouvia palavra alguma, somente um zumbido irritante e interminável. Toda vez que o Rei ia proclamar alguma prisão, decretar alguma lei injusta, aumentar algum imposto, ordenar a execução de alguém, lá ia o tutor no seu ouvido, gritando conselhos, implorando misericórdia... E assim o Rei, por dias, não conseguiu terminar uma sentença sequer - pois o zumbido do pernilongo o irritava mais que tudo.

Nem à noite o Rei tinha sossego: tentando ensiná-lo a ser bom durante o sono, lá ia o velho tutor transformado em pernilongo recitar orações, cantar antigas cantigas de criança, tentando chamar seu coração às doces lembranças da infância.

Após uma semana sem dormir, mal se alimentando, em irritante desespero, o Rei decretou que se caçassem todos os pernilongos do país e que lhos trouxessem. O Ministro do Tesouro lhe disse que, como tinham no reino um pântano, haviam muitos pernilongos e que caçá-los poderia levar muitos meses. Essa caçada comprometeria o tesouro real, uma vez que os trabalhadores não poderiam ganhar o dinheiro dos impostos e ao mesmo tempo perder tempo com insetos.

Mais irritado e desesperado ainda, o Rei ordenou que a caçada fosse feita e que, a cada pernilongo apresentado, deveriam ser pagos 50 centavos ao caçador.

Escandalizado -  mas obediente, assim fez o ministro.

Em breve, naquela mesma tarde, sacos e sacos de pernilongos apareceram nos portões do palácio, todos regiamente comprados pelo encarregado do Rei.

Foram tantos que logo o povo recuperou tudo que lhe tinha sido usurpado, mas ao Rei  pouco importava o esvaziamento dos cofres. Ele sabia que todo dinheiro seria seu, de novo, logo no dia seguinte. Tencionava ele dormir bem aquela noite, livre - finalmente - do pernilongo e iniciar novamente seu tirânico reinado.

Nessa mesma noite, nem bem o Rei se aconchegou nas reais cobertas, mal começara a pegar no sono - lá veio de novo o pernilongo. "Zuim! Zuim! Zuim!" - a noite toda, sem descanso ...

Mais caçadas, mais pernilongos e mais noites sem dormir...

Já desesperado, com os olhos em fogo e o corpo alquebrado, o Rei finalmente abriu o coração numa prece, perguntando ao Deus que ele não respeitava o porquê daquilo tudo, daquele desassossego... O mestre - em forma de pernilongo - zumbiu no seu ouvido real e, desta vez, o que o Rei ouviu foram palavras, como se fossem vindas de sua própria consciência...  A voz lhe falou do sofrimento o povo, de sua fome, miséria e abandono - de como o próprio povo se sentia atormentado dia e noite - não por um zumbido, mas por suas leis injustas, seus desmandos... Falou da missão sagrada do Rei, como protetor desse povo e não como usurpador de todos os seus bens. Amargurado, o Rei chorou. 

Chorou tanto, tanto, que acabou por pegar no sono e dormiu a melhor noite de sono de sua vida.

Na manhã seguinte, revigorado, acordou de bom humor e com disposição para uma nova vida: a lição fora aprendida. Pensou ter tido um sonho, no qual seu antigo mestre, desaparecido a um tempo que ele não lembrava, lhe dava conselhos e reprimendas justas.

Daquele dia em diante foi para o povo o melhor rei de todos: protetor e justo, sábio e  misericordioso.

O mestre? Nunca mais foi visto, mas seus conselhos ecoaram nos ouvidos do Rei por toda a vida - como um zumbido de pernilongo...

Rezemos todos para que os maus se arrependam e se tornem bons - essa é a nossa parte. Deus se encarrega de enviar os pernilongos...

(Historinha que eu contava para meus filhos quando eram pequenos - não faço idéia de quem é o autor...)

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Era uma vez uma casinha...


Eu sei que tem casinhas de montão prá vender hoje: de plástico, com bolinhas dentro... De madeira, vendidas na beira das estradas, feitas de pallets... Mas eu garanto, uma dessas é inesquecível: se voce fizer, seus filhos vão lembrar dela prá vida toda. Eu tenho uma vizinha, no sítio, que fez uma casinha de bambu pros filhotes: ficou tão linda que eu quis ser criança de novo (se bem que eu sempre quero ser criança de novo, é um problema - vivo assistindo desenho animado, é um vício...). Taí a idéia!

Boas férias prá mim e prá todo mundo!!!

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Dica de tricô à máquina

Prá você, que gosta das minhas blusas mas ainda não se ajeitou a fazer nada com linha de algodão: não tem terror - é só aprender a lidar com elas.
A que dá mais trabalho é a Cléa 1000 usada dupla - melhor usar regulagem 9 ou então 10. De preferência não use a frontura: fica muito difícil mexer a máquina. Neste caso é melhor somente laçar os pontos na máquina, fazer o trabalho, arrematar folgado com o remalhador ou agulha de crochê e então costurar à mão. Daí faz os acabamentos em crochê - que fica mais fácil e mais lindinho. 
Ah, mas o principal - antes de qualquer coisa: manter a máquina sempre limpa e bem lubrificada. Se você tricota bastante, tem que limpar a máquina com escovinha (de dentes de criança é boa, porque é delicada e tem cerdas macias), limpar os carros tirando os fiapos que acumulam e usar óleo de máquina ou lubrificante. Eu uso um a base de silicone, chamado WD-40, mas tem um montão de similares no mercado. Tem um cheirinho de baunilha e eu uso prá limpar o exaustor, o fogão, aplico dentro de fechaduras e cadeados, limpo e lubrifico minhas máquinas (costura e tricô). Se a máquina estiver sempre limpa e lubrificada o tricô segue seu curso sem problemas, sem emperrar. 
É bom ficar de olho na espuminha que serve de "caminha" para as agulhas: com o uso e a constante lubrificação ela tende a achatar, ficar encharcada de lubrificante e perder sua fofura. Então aí é ir a um revendedor, comprar outra espuminha e trocar. 
Não use agulhas tortas para não prejudicar o carro e a estética do trabalho.
É isso.  Nessa hora, se eu não estiver costurando ou tricotando, estou de olhos fechados escutando o vento nos eucaliptos e cedros, as siriemas anunciando chuva ou sol, os passarinhos agradecendo mais um dia de vida neste mundo lindo...

domingo, 8 de janeiro de 2012

Um vestido, uma camisolinha...

"Ce" que sabe... Dá prá fazer a mão, na máquina, dá prá crochetar...  


Já pensou um vestidinho assim na praia, você toda bronzeada (aliás, eu te odeio... Até o sol das 9 da manhã me enche de bolhas - meléca de pele branquela de barata descascada...). 


Ou então, feita com linha preta e um tecido bem derretido prá combinar, usada à noite, de  camisolinha - assim o Marildo se apaixona de novo ("Mél béin"! quanto poder!!!). 


Faz, "muié", faz que é linda.

Receitinha: 


Não se ajeita no trico? Então, aqui vai um gráfico de crochê:



Tem máquina e tá com pressa? Faz usando este gráfico AQUI...


Bons tricótis e boas férias prá mim!

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Ultima do mês



Isso mesmo: estou de férias... Mas antes, olha só o que eu fiz:

Esse novelo de Cléa 1000 tava abandonado lá na loja, talvez por causa da cor... Tadinho, tão sozinho e baratinho!!! Minha Nana não queria que eu comprasse, falou: "a cor é muito 'cheguei', só presta prá fazer barradinho em toalha, pano de prato...". Mas virou uma blusa - e ela não larga da Nana, parece justiça poética... Então, faz uma prá você, usando linha Anne 500, ou Cléa 1000 - fio duplo. 

Receitinha de mãe:


Cartelinha - prá quem não gosta de perder tempo com o transportador e tem paciência com os #$@%* pontos que caem:




Durante as minhas férias, programei um monte de postagens prá vocês não sentirem saudades da minha janela: não foram feitas por mim, mas são boas inspirações.

Então, não esqueçam: não deixem a minha janela jogada prás baratas, criando teias de aranha: passem sempre aqui, deixem comentários (que eu adoro ler, mas só vou responder em fevereiro).

Boas férias prá quem vai, bons trabalhos prá quem fica!!! (aliás, a máquina de costura vai comigo, e um monte de linhas...).

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Mais tricozinho sem frontura

De novo, colegas sem fronturas (e as com fronturas que gostam de descomplicar a vida...): mais uma blusinha linda, fresquinha, deliciosa, feita com apenas um novelinho de linha Cléa 1000. 

Quer mais o que? Uma blusa com 7 contos é bom demais ou não é? Essa, então, nem botão leva... 

Usa a mesma receitinha passada, mas não tira agulhas fora do trabalho e nem divide a frente. Vai fazendo as mesmas florzinhas com o transportador, faz um decote V na frente, na altura da carreira 40 depois da cava, arremata 1 ponto a cada carreira até sobrarem apenas os pontos para os ombros, depois faz um biquinho de crochê para acabamento e VOILÁ! Outra blusinha gostosinha prá voce variar ou prá fazer e vender e ganhar dindinzinho abençoado pelo trabalho. 

Bons tricótis!!!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Embelezando o mundo...





Com talento e economia. 

Atenção, Tricoteiras Sem Fronturas: primeira receitinha do ano. Será que com APENAS um novelo de Cléa 1000 dá prá fazer uma blusa? Se dá... Fica levinha (porque a linha é fina), fica fresquinha (porque é 100% algodão), tem cores lindas prá você escolher, não desbota...

Você intercala umas agulhas fora do trabalho para fazer umas "canaletas", que ajudam a separar listras, dentro das quais você dispõe flores feitas com o transportador (nada de usar carro verão - tá calor demais prá ainda ter que esquentar a cabeça com ele...). 

Conclusão: 1 novelo = 1 blusa linda

Se você acabou o ano meio "ruim das pernas", com o bolso furado, taí uma dica boa prá sair do aperto: com 7 contos você compra um novelinho, faz a blusa, vende por (sei lá) 30, 40 reais (por baixo - vale mais que o dobro disso se estivesse numa vitrine de shopping...). 

Com o dinheiro compra mais novelos, faz mais blusas, vende e vai multiplicando o dinheiro! Olha, momentos difíceis todo mundo atravessa; a dificuldade bate em todas as portas, disfarçada com um monte de caras: problemas de saúde, falta de dinheiro, relacionamentos difíceis... Com fé e trabalho a maioria deles a gente resolve: os outros, a gente entrega nas mãos do Pai. O que não pode é desistir, entregar os pontos. 

Faz as blusinhas, vende - que daqui a pouco o aperto passa. 

"Se a vida te dá limões, faça uma limonada". 

Sábias palavras... Eu já recebi tanto limão da vida - que virei expert em fazer mousse de limão, bolo, sorvete, chá, usar limão na salada, no macarrão, no arroz (tanto real quanto metaforicamente...). Falou limão - é comigo mesmo: minha fruta favorita. Nem sei quem eu seria se Deus tivesse me feito nascer com o burro na sombra... 

Então, colega, não reclama do limão - espreme todo o suco dele, aproveita as lições da vida que viver é aprender.

Tá aqui a receita (que é manequim 46 - porque é minha - mas a Nana tá linda usando ela - e minha bambina é manequim 40). Faz branquinha que fica um doce, faz goiaba como eu fiz, faz azul... Faz, faz FAAAAAZ que você vai adorar!


Ah, os botões tem glitter (prá agradar a perua que trago amarrada e amordaçada dentro de mim) - paguei 3 reais por uma cartela com 25 deles, lá na 25 de março...


Bons trabalhos!

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Primeira belezura do Ano!!!






Branca, brilhante, sedosa, macia, derretida, rendada, feminina - linda!!!!!

Feita com 5 novelinhos de Neoné branca, da Pingouin, ficou pronta em menos de uma semana (comecei dia 26 de dezembro, acabei dia 31). Fácil de fazer, no ponto pipoca (que parece difícil, mas não é - é só pegar o jeito e você faz assistindo a novela... O ponto e até os vídeos prá você aprender o ponto estão AQUI). Paguei 5 contos cada novelo na Aslan (SÓ 25 MERRÉCAS POR ESSA RENDA LINDAAAAAAAA!) mas paguei frete, esperei chegar... Se você tem pressa, tem bilhete único prá gastar pouco na passagem (ou é milionária e vai de chofer, de limusine, com o "puldo" no colo...), mora em São Paulo/Capital - dá uma de esperta e compra no maravilhoso bairro da Penha (onde eu embelezo a redondeza...), no Depósito de Fios Alvorada, rua Padre João, 49, telefone: 2646-6759. Não tô ganhando comissão com a venda, não, que eles são simplezinhos: é que lá custa R$4,80 cada Neoné, tem todas as cores e aceita cartão de crédito (pena que não parcela, senão eu pirava na batatinha e empobrecia o patrão a prestação - de uma vez só ele percebe e briga comigo...). 

Taí as fotos, a receitinha e a dica da compra barata - quer mais o quê? Um café com leite e um pão com manteiga? Eu também, que deu fome...


Ah, remendando a postagem: manequim 40, mas serve até 44 porque é bem elástica. Depois que fica pronta, parece pequena, mas é ilusão de ótica - estica que é uma maravilha... 

Bons tricótis!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...