Generosidade...

v Ensine a outros o que você sabe: não importa se é a receita de um cachecol, do maravilhoso prato de família, aquela dica infalível para sair do aperto... Quando a gente é mesquinho, vive pequeno! Seja generoso, mesmo se o segredo compartilhado é parte do seu sustento, afinal, sempre vai ter quem prefere comprar pronto e - com certeza - sempre vai ter quem precisa da sua dica para por o pão de cada dia na mesa. Viva grande!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Presente de Aniversário










Pulei de paraquedas e... caí nos fios de alta tensão! Meu alvo vai continuar esperando pela blusa, que só vai ser feita quando eu voltar das férias...
Alvo: Minha mamãezinha idosa, fazendo aniversário, que sempre prefere ganhar coisas prá casa, DESTA vez pediu um casaco (milagre!), feito por mim, a humilde discípula imperfeita... Só a expectativa, o medo, a tensão... Cada peça desse casaco que eu fiz foi um teste de coragem: é difícil agradar aquela bela senhora. A maior parte das vezes, eu me matava prá fazer algo (que a meus olhos estava lindo) que ela agradecia com cara de quem recebeu tofu quando pediu um bife... E depois, passando pela casa dela, encontrava ela vestindo a mesma blusa, refeita por ela - dureza! Por isso que, em nome da paz, resolvemos que ela ia ganhar outra coisa, não feita por mim... Às vezes, quando a pessoa é boa demais, ninguém é bom o bastante - a discípula se esforça, mas nunca chega aos pés da mestra. Não a culpo: ela é a melhor, em tudo o que faz...
Bomba: um casaco de frio, acinturado, elegante como a minha idosa gata;
Minha falha no pulo: errei na regulagem - fiz na sete, quando, por ser jacar, deveria ter feito na 7,5 ou 8;
Resultado: ficou lindo, mas justinho DEMAIS, nem serve na Naninha, que é a magrelinha da casa (embora ela tenha adorado, falou "Mami, eu emagreço mais, dá o casaco da vovó prá mim e faz outro prá ela, vai!!!!") . Nananinanão.
Presa nos fios de alta tensão, percebo que minha falha, meu erro, foram propositadamente arquitetados pelo Tecelão Maior, que já tinha um destino para o tal casaco:
- "FERNANDAAAAAA! Lucrou mais um casaco, mulher!"
Minha exigente mãezinha vai esperar eu voltar e fazer um mais adequado à sua silueta femininamente recheada (não gorda, apenas curvilínea...). Enquanto isso, nos encanamentos do castelo, sobrou um esquema, que agora penduro na janela, à espera de quem lhe dê o devido valor:
- foi usada a receita do cardigã, mas adaptado: tem um pouco mais de pontos, está mais comprido, a barra é feita à mão (então marca menos), tem casas para os botões ao invés das tirinhas;
- é manequim 38/40;
- pode usar 2 Cristal, uma cinza outra preta, ou 2 Quentinhas (são a mesma coisa);
- escolha 9 botões básicos - nada de enfeites, senão fica muito fantasiado...
CUSTO DESSE CASACO LINDOOOOOOO: R$24,50
O quê? Eu vi direito?
É.... Menos de 25 reais por um casaco desses: mesmo quando eu erro o alvo, o pulo ainda é lindo. Vai no shopping procurar qualquer coisa com 25 contos e me diz o que você compra!
DICAS:
- se você for fazer prá dar de presente ou para vender, faça um "kit emergência", acrescentando um mini-novelinho das duas lãs que você usou na confecção do casaco - assim, a pessoa pode fazer um pequeno reparo, em caso de descosturar algum lugar, romper um fio; acrescente 2 botões, para o caso de algum se perder...
- experimente fazer os remates das frentes de uma cor lisa (no caso de cinza/preto, que tal fazer os remates de preto?), assim, no virar da gola, fica o charme da cor única na belezura...
- que tal prender uns colchetinhos de pressão no avesso da gola, em lugares estratégicos, onde não apareçam, confeccionar à mão uma gola sobressalente numa lã peluda que combine com um dos tons do casaco, em Talhatino ou outra lã semelhante, prá poder variar o visual do casaco quando quiser (belezura 2 em 1...).
Bons Tricôs!
Ah, tô de férias. Só volto no final do mês (hehehehe).
(Prá onde será que uma mulher que entende tanto de moda USÁVEL e REAL vai nas férias? Para os Circuitos da Moda Internacional? New York? Paris? Tókio? NÁÁÁÁÁÁÁÁ´... Vou pros cafundós do sítio em Itapetininga, onde o Judas perdeu as meias xulezentas dele... Escutar as maritaquinhas brigarem, as siriemas gargalharem da minha cara, os grilos consertarem tudo fazendo serenata prá eu dormir)
Té.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Parece um cobertorzinho...






Que tal fazer um ponchão desses, num ponto bem básico, com o qual você não passe frio de jeito nenhum e ainda esbanje charme? Então, mãos à obra, fogo nas agulhas prá aquecer esse friozão!

Cada pacote com 5 novelos de Sedificada, na Aslan, sai por pouco mais de 35 contos, o poncho levou 8 novelos - então precisaria de 2 pacotes (é melhor comprar assim mesmo, o que sobrar você faz cachecol, boina, luva ou polainas - aproveita! Quanto que não custa comprar cada novelo em separado... Economiza comprando o pacotão fechado, colega!!!)

Achou caro? Eu também... Mas é um daqueles projetos que a gente enfia na cachola e não sossega até fazer, eu queria essa lã mesmo, então... E, se você parar prá pensar, uma peça dessas não tem preço: é bem feita, caprichada, você não vai achar em loja nenhuma de nenhum lugar algo tão bom...

Ah, mas pode fazer com outra lã: até com família fica lindo, mas aí usa uma agulha mais fina, então o meu esquema tem que ser adaptado. Faz em ponto arroz que também fica lindo, usa uma lã trabalhada e faz de ponto simples que também arrasa: o importante é fazer!

Pensa só: dá prá você sair de casa com a blusa do pijama por baixo (e todo mundo achando que você está toda produzida, hein?) Só toma cuidado prá um pedaço da manga não aparecer: cadê sua moral de mulher poderosa se alguém souber que você usa pijama de coelhinho...

Dá prá andar por aí com a bolsa protegida dos mãos-leves e - se você morar na Zona Leste da cidade de São Paulo, pode andar munida com um fuzil por baixo dele, prá se defender dos assaltantes e estupradores (a fauna dessa nossa floresta...)

Bons tricôs!

quarta-feira, 6 de julho de 2011

JAQUETINHA DE TRICÔ UNISSEX




Era uma vez...
Uma lã que a Aslan tirou de circulação antes que eu tivesse tempo de conhecê-la melhor, me apaixonar...
Me sinto traída, apunhalada pelas costas.
Não bastasse os golpes que a Pingouin me deu quando tirou Cherie e Bijou de mim, agora, mal eu conheço essa belezura, ela se vai, assim, sem explicação...
Bom, chega de chorar as pitangas! Não tem, não tem, vai de Anne: é incrível como são parecidas! A mesma grossura, o mesmo brilho - a Anne é até melhor, pois tem mais cores e é 100 % algodão (esquenta bem, dá prá transpirar tranqüilo, é ótima!). Como a Delicatessen mede 350 metros cada novelo e a Anne mede 500, acho que com 4 novelos sai a blusa, mas compra 5 por via das dúvidas, assim não tem surpresa desagradável - e o que sobrar dá quilômetros de biquinhos de pano de prato... Se for usar Cristal, da Pingouin, vão ficar muito abertos os pontos nessa regulagem, então é bom aumentar os pontos na largura e no comprimento.
Bom, pelo menos comprei essaí no saldão, paguei 14 contos e deu uma jaqueta... (O quê? Essa jaqueta só 14 merrequinhas? Calmaí, também tem o custo do zíper - RS1,50...)
Ainda tenho um pacote de marrom, cor de chocolate amargo e uma cor de margarina: sei lá o que vou fazer com elas, ainda não pensei...
É unissex, faz pro bambino, prá bambina, faz uma prá você! A que eu fiz é manequim 40/42 - fica justinha. Aplica uma etiqueta bordada, prá dar um ar mais profissional, faz um bordadinho prá deixar mais feminina, sei lá, incrementa, dá o seu toque!
Ah, até me lembro: as jaquetinhas que eu fazia pros meus filhotes irem prá escola (as do uniforme eram mal feitas, descosturavam à toa, eram caras demais e não esquentavam nada...) Parece que foi ontem - eu ensinando eles a mexer no computador, a jogar vídeo game... Eles me olhavam com aqueles olhinhos brilhando, só porque eu conseguia mudar de fase, salvar o Alex Kidd, livrar o Pato Donald dos perigos da montanha... Hoje já estão todos maiores do que eu, ganhando o mundo, crescendo enquanto eu encolho... Amo tanto esses bebês que chega a doer...
Bons tricôs prá todo mundo!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Atendendo a pedidos...






Esta é a roupinha da minha bambina canina, prá quem tiver uma e quiser fazer também. Mas, se o seu bichinho não é tão pequenininho, não tem problema não: do jeito que eu expliquei, é só adaptar e fazer pra ele também - a explicação é fácil.

DICAS:

- Acho crochê, neste caso, melhor que tricô: não puxa tanto fio... Se o bichinho se coça, é um "Deus nos acuda" prá consertar o estrago...

- Prá bichinhos menininhos, use ponto alto simples, ponto tijolinho de crochê, ponto trança... Florzinha não pega muito bem...

- Se quiser fazer com perninha, é só encompridar a barra, fazendo as perninhas em círculo. Mas não acho bom, acho que suja muito fácil.

Vamos lá: inventa, acrescenta, se supera! Faz pro seu bichinho uma roupinha, deixando ele quentinho e bonito, afinal, ele é mais um acréscimo da misericórdia divina na sua vida, te amando tanto e pedindo tão pouquinho...

Bons crochétis!

Era uma vez uma jaqueta de criança...




Hoje é dia de customizar, reaproveitar, reinventar algo que você goste muito - ou não goste nada - e fazer ficar com outra cara. Acho que já deu prá perceber que eu não sou nem um pouco louca, pois não rasgo dinheiro. Economizo, reaproveito, reciclo. E não é apenas porque eu nasci muuuuuuito pobre: é porque eu sou muito consciente do valor das coisas. Vivemos hoje em uma sociedade muito rica - nunca jogamos tanta coisa fora. Se você passar aqui no meu bairro, na estrada que dá acesso à Rodovia Presidente Dutra, vai ver toneladas de roupas jogadas no jardinzinho que divide as duas pistas (isso bem em frente a um aglomerado de barracos, de uma favela ainda em estado de formação...). Roupas que algumas pessoas conseguem batendo de porta em porta, simulando serem de alguma instituição de caridade: depois que eles separam o que interessa, descartam tudo ali, e depois tacam fogo...

Logo nosso planeta se chamará Planeta Lixo... E vocês acham que o Paizinho do Céu está gostando disso?

Bom, deixando essa conversa prá outra ocasião, a história aqui se desenrola no "rolar" de alguns anos, onde uma jaqueta de veludo do meu moleque, tamanho 10/12 anos, muito querida dele, ficou esquecida no maleiro do guarda roupa. Na verdade, sempre vou doando tudo que não serve mais neles, mas essa jaqueta - foi a primeira que fez ele ficar mesmo com cara de homenzinho, tão entendendo? É queridinha... Ela é bem grossa, com forro, muito bem feita e ele ficava "maravilindo" com ela. E eu tive essa idéia de guardá-la, prá tentar reformar ou usá-la como molde para outra, maior. Mas acabei esquecendo mesmo.

Daí, ano passado, a Lola achou, provou e ficava boa em tudo - menos nas mangas, que eram muito curtas.

Munida de uma tesourinha de bordado e muita paciência, virei ela do avesso e desmanchei os punhos, pontinho por pontinho. Depois a costura do forro e por fim a costura do veludo - sem descosturar as mangas dos ombros. A Naninha foi prá mim na loja de tecidos e comprou 30 cm de veludo. Custo: R$3,00!!!

Foi só cortar as mangas, na altura que eu calculei que, juntando o novo veludo, caberia na Lolinha. Costurei. Eu tinha essas etiquetas bordadas, parecendo galões militares, duas com fundo preto e duas com fundo verde: apliquei as verdes no veludo preto e as pretas no veludo verde. Encompridei o forro com uma sobra de forro que eu tinha. Costurei a manga e o forro e repreguei os punhos. Antes disso: os punhos tinham um elástico muito apertado, para punho de criancinha, então eu abri e substituí por outro elástico, maior, dando mais folga. Depois foi só colocar outra etiqueta bordada, também com motivo militar, no bolso do peito, onde ficava o logotipo da marca da jaqueta: quis mudar o visual, acompanhar o estilo.

Pronto! Vai durar prá sempre, porque é de um material bom, ficou linda e o fato de ser masculina não importa: é só contra-atacar com uma echarpe bem feminina que tudo fica na santa paz.

Você pode reaproveitar quase tudo: é só ter boa vontade, bom senso e imaginação.

Lembra da jaqueta jeans que eu reformei aqui? Bom, ela podia ter virado um casaco de frio, assim: fazendo umas mangas de tricô, de tranças ou cordas, e costurando por dentro, saindo, como se a jaqueta fosse um colete. E na barra, fazia a mesma coisa: tricotava um barrado aberto na frente, bem grande, da mesma lã e do mesmo motivo, saindo por de dentro dela. Demais, né?

Só se lembre do seguinte: use sempre tecidos de cores que combinem, de texturas parecidas (nada de misturar tecido pesado com algodãozinho leve, hein?) Se usar estampa, tenha discernimento de escolher algo que seja atemporal, pois a moda muda, mas o bom gosto fica.

Boas reforminhas!

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Mas que pechincha linda!





Esta é uma receitinha do ano passado (dá prá ver pelo cabelo da Lolinha, que estava diferente: é que eu já estava com idéias de fazer um blog, mas não criava coragem...): comprei um pacote de Pingouin Desejo, em saldão, por R$11,00 - ou seja, uma jaqueta muito linda por essa ninharia, com gorrinho de lambuja. É só dar uma passeada lá pela 25 de março, com tempo prá garimpar, que você acha essas preciosidades.
Jaqueta de tricô com capuz / e\ou gorro
Manequim 42/44
Material: 5 novelos (100 g) de Pingouin Desejo (ou lã similar em espessura e comprimento dos novelos)
1 par de agulhas de tricô nº 6
1 agulha de tapeçaria para costurar
6 botões de madeira
Pontos utilizados: tricô; meia; barra 2 x 2(2 tricôs, 2 meias); ponto de gomos: sob uma base de 8 meias, dividir os 4 pontos centrais passando-os, 2 para a esquerda, 2 para a direita, na mesma carreira, por debaixo dos dois pontos externos (de cada lado). São, na verdade, 2 cordas, cruzadas ao contrário e criando um "vão" no centro.
Modo de fazer:
Costas: Montar 78 pontos, tricotar em barra 2 x 2 por 12 carreiras. Tricotar a primeira carreira: *4 tricô, 8 meias* repetir de * a * até o final da carreira e terminar com 4 tricôs. Cruzar os gomos a cada 12 carreiras. Cava na carreira 84: arrematar, a cada 2 carreiras, 4, 2, 1, 1. Termina na carreira 124.
Frente: 52 pontos, sendo 6 em cordões de tricô (para a beirada de abotoamento) e 46 em barra 2 x 2 por 12 carreiras. Após a barra, segue com os 6 pts em cordões de tricô e faz: 5 meias, *4 tricôs, 8 meias* e termina com 5 tricôs. Cruzar os gomos a cada 12 carreiras. Cava na carr. 84, no lado oposto aos cordões de tricô igual a das costas.
Pescoço: na carr. 108, arremata, cada 2 carr., do lado dos cordões de tricô, 8, 3, 2, 1 (3 x +/-), (até sobrarem somente 20 pontos na agulha). Na carr. 124 arrematar. Fazer outro lado igual mas invertido.
Mangas: 44 pontos agulha 6, barra 2 x 2, 12 carreiras. Após a barra, aumentar um ponto de cada lado de imediato e seguir da seguinte forma: 2 meia *4 tricô, 8 meia* até o fim, terminar com 2 meias. Cruzar o gomos a cada 12 carreiras e, ao mesmo tempo, aumentar, nessa hora, 1 pt. de cada lado. Na carreira 108 fazer a cava, diminuindo, a cada 2 carr., 4, 2, 1 de cada lado até sobrarem apenas 32 pontos. Arremate.
Capuz: Após costurar o casaco, levante ao redor do pescoço 100 pontos na agulha 6, tricote: 6 cordões de tricô, *4 tricô, 8 meia* até o fim, terminando com 6 cordões de tricô. Tricotar por 80 carreiras, arremate e costure. Pregue os botões de forma equidistante na frente e, com o dedo ou uma agulha grossa, alargue pontos no lado oposto para fazer as casas.
Gorro (opcional): 13 pts, agulha 6, faça assim:
1ª carreira: tricote cada meia duas vezes (meia normal e sem deixar o ponto da agulha cair, tricote-o novamente na alça de trás, fazendo outro meia, só que torcido)menos o 13º meia (que é o ponto de borda, para costurar o gorro).
2ª, 4ª, 6ª 8ª, 10ª, 12ª e todas as pares: fazer em tricô, sem aumentos.
3ª carreira: Faça duas vezes cada segundo ponto meia, conforme foi explicado para 1ª carreira. Você terá sempre um ponto meia tricotado normalmente, e o seguinte você tricota duas vezes, um normal e outro torcido.
5ª carr.: Fazer duas vezes em meia (um normal e outro torcido no mesmo ponto) cada 3º ponto.
Nas carreiras ímpares seguintes, seguir fazendo esses aumentos intercalados, aumentando a distância entre os mesmos para acompanhar o crescimento do círculo do gorro: não se pode aumentar de qualquer jeito, senão ficam folgas ou apertos que comprometem a estética e o conforto do gorro na cabeça. Então, vão se aumentar, na 7ª carreira, cada 4º ponto (tricotado em meia 2 X), na 9ª cada 5º ponto e assim sucessivamente até alcançar a medida da cabeça que vai usar o gorro. Neste caso, fui até a 13ª carreira. Arremata. Fazer uma barra com 3 pontos arroz na beirada e quantas cordas quiser, de acordo com a largura da barra que quiser. Note-se que eu cruzei todas as cordas ao mesmo tempo, do mesmo lado, fazendo parecer "cobrinhas" rolando em uma duna de areia... Costure o gorro, aplique a barra e pronto!
Como já tinha capuz, era desnecessário fazer o gorro, mas eu tive a idéia do gorro e não quis desperdiçar.
Quem não quiser, pode aproveitar a sobra de lã e fazer 2 bolsos quadrados e aplicá-los no casaco.
Ou deixa de fazer o capuz do casaco, faz o gorro e os bolsos: usar a imaginação e a criatividade é de graça, não paga nada...
Faz pro bambino: é unissex, é só trocar o lado do abotoamento...
Bons tricôs!!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...